JPG Oferta da Semana 300x250 VI
show/300x250.gif

EVENTOS - RIO DE JANEIRO

Por Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Rio de Janeiro (RJ)

Eventos em comemoração aos 30 anos do Ibase

Exposição e Mostra de Cinema, na CAIXA Cultural, homenageiam o sociólogo Betinho, nos 30 anos do Ibase

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro inaugura, na próxima terça-feira (9), a partir das 10h, a exposição “Betinho e o IBASE”, sob a curadoria da historiadora Dulce Pandolfi e do jornalista Augusto Gazir. A mostra reúne cartazes, fotos, documentos, cartas e vídeos que narram a trajetória da vida e do trabalho desenvolvido pelo sociólogo Herbert de Souza à frente do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE). A organização foi fundada por Betinho, em 1981, com a missão de aprofundar a democracia brasileira, seguindo os princípios de igualdade, liberdade, participação cidadã, diversidade e solidariedade.

A exposição faz parte de uma série de eventos comemorativos dos 30 anos do Instituto, que acontecem durante todo o mês de agosto. Serão realizados ciclos de conferências com participação de pensadores, pesquisadores, artistas e políticos, que discorrerão sobre diversos temas articulados com a cidadania, como racismo, pobreza e cultura digital, entre outros. O convidado da primeira conferência será o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vai falar sobre Cidadania e Política.

Em paralelo, acontece a mostra “Cinema é Política”, apresentando uma série de filmes, que fazem alusão aos mais importantes fatos políticos brasileiros. Na primeira semana, serão exibidos “Três irmãos de sangue”, “Migrantes”, “Garapa” e “O sonho de Rose”. O evento IBASE 30 tem patrocínio da Caixa Econômica Federal.

A exposição:

“Betinho e o IBASE” é uma homenagem da instituição a seu patrono e fundador, um dos mais incansáveis lutadores em prol de causas sociais brasileiras no Século XX. Nos 16 anos que esteve à frente do Instituto, a vida e a imagem de Betinho se confundiram com a entidade que criou. Durante anos, sua rotina foi acordar cedo, no seu apartamento, em Botafogo, e caminhar pelo bairro para tomar café da manhã na casa da rua Vicente de Souza 34, primeiro endereço do IBASE.

Betinho e o IBASE:

Em 1979, ainda no exílio, mas com a perspectiva de um breve retorno ao Brasil, os amigos Carlos Afonso, Marcos Arruda e Herbert de Souza, trocavam cartas sobre a instituição que deveriam fundar no país. Dois anos depois, nascia o IBASE que, desde a sua fundação, tornou-se um ator político ativo e interlocutor das demandas da sociedade civil, em importantes campanhas como: “Diretás Já” (1984); contra o racismo, “Não Deixe Sua Cor Passar em Branco” (1990); reforma agrária, “Terra e Democracia” (1991); e a legendária “Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e Pela Vida” (1993-96) que instalou milhares de Comitês da Cidadania e engajou milhões de pessoas em ações contra a fome no Brasil e mundo afora. Um dos marcos da instituição foi a criação, em 1989, do primeiro servidor brasileiro de internet, o Alternex.

Serviço:
Exposição “Betinho e o IBASE”
Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Livraria
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro, Rio de Janeiro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 2544-4080
Abertura: 9 de agosto de 2011, às 10h (para o público)
Exposição: de 9 de agosto a 18 de setembro de 2011
Horários: de terça a sábado, das 10h às 22h, domingo, das 10h às 21h
Entrada Franca
Classificação indicativa: Livre para todas as idades
Ciclo de conferências
Caixa Econômica Federal – Auditório do Edifício sede Rio de Janeiro
Endereço: Av. Rio Branco, 174, subsolo, Centro, Rio de Janeiro (Metrô: Estação Carioca)
Entrada Franca
Livre para todas as idades

PROGRAMAÇÃO:

Ciclo de conferências

Dia 09/08, terça-feira
Cidadania e política (fechado para convidados)
Luiz Inácio Lula da Silva

Dia 11/08, quinta-feira
Cidadania e meio ambiente
Carlos Minc, secretário estadual do ambiente
Tião Santos, representante dos catadores de Jardim Gramacho

Dia 16/08, terça-feira
Cidadania e cultura digital
Ivana Bentes, diretora da Escola de Comunicação da UFRJ
Pedro Markun, consultor, integrante do Transparência Hacker

Dia 18/8, quinta-feira
Cidadania e desabilidades
Jurandir Freire Costa

Dia 22/8, segunda-feira
Cidadania e história
José Murilo de Carvalho
Mônica Francisco

Dia 24/08, quarta-feira
Cidadania e juventude
Regina Novaes, professora da UFRJ
ReFem, cantora

Dia 30/08, terça-feira
Cidadania e questão racial
Liv Sovik, professora da UFRJ
Leci Brandão

Dia 1º/09, quinta-feira
Cidadania e fome
Lena Lavinas
Francisco Menezes, diretor do Ibase

Dia 06/09, terça-feira
Cidadania e território
Maria Alice Rezende de Carvalho
Itamar Silva, coordenador do Ibase

dia 8/9, quinta-feira
Cidadania e direitos
Maria do Rosário
Cândido Grzybowski, diretor-geral do Ibase

Mostra Cinema é Política

Dia 12/08, sexta-feira
Três irmãos de sangue, com debate com o diretor

Dia 13/08, sábado
Migrantes, com debate com o diretor
Garapa

Dia 14/08, domingo
Sonho para Rose
Terra para Rose

Dia 19/08, sexta-feira
Vocação de Poder, com debate com o diretor

Dia 20/08, sábado
Onde a coruja dorme
Panorama arte na periferia

Dia 21/08, domingo
Acorda, Raimundo… Acorta!
O Dia da Cura.
Super Betinho
Três Irmãos de Sangue

Dia 26/08, sexta-feira
Garapa, com debate com o diretor

Dia 27/08, sábado
Lixo Extraordinário, com debate com os catadores de Jardim Gramacho
Sobreviventes
Dia 28/08, domingo
Tecido Memória, com debate com o diretor
Cabra Marcado para morrer

Sobre Betinho

O sociólogo Betinho tornou-se, no final dos anos 1970, época em que estava exilado pela ditadura brasileira, um dos símbolos da campanha da anistia, e na década de 1990 símbolo de cidadania no Brasil ao liderar a campanha contra a fome. Betinho mobilizou por inúmeras vezes a sociedade brasileira para enfrentar a truculência política, a pobreza e as desigualdades sociais. Hemofílico, morreu de Aids em 9 de agosto de 1997, deixando um exemplo de solidariedade e de luta pela transformação social.

Betinho nasceu em Bocaiúva (MG), em 3 de novembro de 1935. Sua militância política começou na adolescência, na Juventude Estudantil Católica (JEC), em Belo Horizonte. Na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), foi um dos fundadores da Ação Popular, uma organização formada por um grupo católico pró-socialismo. Formou-se em Sociologia em 1962 e engajou-se na luta pelas reformas de base do governo João Goulart. Resistiu ao golpe de 1964 e à ditadura que se instalou no Brasil. Quando a repressão intensificou-se, partiu para o exílio em 1971. Morou no Chile, no Canadá e no México.

No fim dos anos 1970, a volta de Betinho, o irmão do Henfil, virou marca da campanha da anistia por causa da música “O bêbado e a equilibrista”, de Aldir Blanc e João Bosco, na voz de Elis Regina. Retornou ao Brasil em 1979.

O Ibase

Nos primeiros anos, os principais focos do trabalho do Ibase foram o processo de transição da ditadura para a democracia no Brasil, a reforma agrária e a dívida externa brasileira. Nas décadas de 80 e 90, a atuação do Ibase também foi marcada pela promoção de campanhas públicas de grande visibilidade como: “Se Liga Rio” (1988); “Não Deixe Sua Cor Passar em Branco” (1990); “Terra e Democracia” (1991), que levou 200 mil pessoas ao Aterro do Flamengo; “Se essa rua fosse minha” (1991) e “Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e Pela Vida” (1993-96). Também atuou ao lado da sociedade brasileira nas “Diretás já” (1984); na campanha da “Constituinte” (1988); na “Conferência de Meio Ambiente e Desenvolvimento” das das Nações Unidas em 1992, a “Eco 92”; no “Movimento pela ética na política” (1992) e no “Fora Collor”(1992).

Após a morte de Betinho, em 1997, a equipe do Ibase, agora capiataneada pelo filosófo e sociólogo Cândido Grzybowski além de continuar o trabalho iniciado por seu fundador, assumiu novos desafios como a avaliação de programas de políticas sociais governamentais. Foram avaliados o Programa de Geração de Emprego e Renda (Proger), o Proger Rural, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e o Bolsa Família.

Atualmente os núcleos temáticos são: Diálogo dos Povos e Alternativas democráticas à globalização, Políticas Públicas e Emancipação Social, Democratização do Estado e da Economia, Cidades e Territórios, Política Democrática e Participação Cidadã. Além disso, trabalha com os seguintes temas transversais: Direitos Humanos, Combate ao Racismo e ao Patriarcalismo, FSM e Alternativas ao Desenvolvimento e criação de novos paradigmas. A instituição também está inserida no debate e no fortalecimento do software livre e investe fortemente em comunicação, com o objetivo de levar ao público um olhar diferenciado sobre as temáticas abordadas pela instituição. Para isso, produz publicações e mantém o portal http://www.ibase.br.

Imprensa:

Raquel Silva
Assessoria de Comunicação

raquelsilva@alternex.com.br (21) 2274-7924

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Rio de Janeiro (RJ)
www.caixa.gov.br/imprensa - www.caixa.gov.br/caixacultural