NossaDica.com - Agenda de cultural do Brasil

Dicas - Teatro São Paulo

A Minha Primeira Vez

A Minha Primeira Vez

A Minha Primeira Vez | Foto divulgação

Pro Luciana Cassas

04 de janeiro a 30 de junho de 2013

Sob a direção de Isser Korik, A Minha Primeira Vez estreia no dia 4 de janeiro (sexta-feira), no Teatro Folha. Jovens atores - Emiliano d'Avila, Luana Martau, Ronny Kriwat (que fizeram Avenida Brasil), Gabriella Vergani, Ian Soffredini e Tammy Di Calafiorimergulham em depoimentos reais e picantes de internautas sobre a primeira experiência sexual, num caleidoscópio de emoções, para todas as idades.

Encenada na América, Europa e Ásia, a peça deKen Davenport é montada pela primeira vez no país. Em 2007, o produtoramericano comprou os direitos da páginamyfirsttime.com, com 40 mil depoimentos na época, e transformou seu conteúdo em um espetáculo de sucesso.

O experiente Isser Korik fez a tradução e aadaptação da peça, usando depoimentos do texto original e outros de brasileiros,que foram colhidos do site (http://www.aminhaprimeiravez.com.br),criado no começo de 2012 pela produtora Conteúdo Teatral, responsável pelarealização da montagem. O site brasileiro recebeu mais de mil depoimentos deinternautas, até agora.

INFORMAÇÕES
Temporada: 04 de janeiro a 30 de junho de 2013
Horários: sexta, 21h30; sábado,20h e 22h; e domingo, 20h
Ingressos: R$40,00 (setor 2) e R$ 50,00 (setor 1)
Duração: 90minutos
Classificação etária: 18 anos
LOCAL: Teatro Folha - Shopping Pátio Higienópolis (Capacidade: 305 lugares)
Av. Higienópolis, 618 - Terraço. Tel: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) 3823-2737
Estacionamento do Shopping R$ 8,00 (primeiras duas horas).

Sobre a Peça

A encenação, que tem um site como fio condutor,utiliza recursos de vídeo mapping para reproduzir diferentes cenários virtuais,no fundo do palco. Concebido por Osvaldo Gonçalves, a cenografia "física" brincacom a criatividade do espectador: módulos brancos viram moita, cama, carro.

Antes de cada apresentação, será entregue para oespectador um questionário sobre a sua iniciação sexual (idade, local, se foiplanejado). Nos bastidores, as informações serão tabuladas. As estatísticas maisinteressantes sobre os espectadores presentes na plateia serão reveladas ao longo do espetáculo.

As lembranças e narrativas do público ganhamforma no palco, com personagens de gerações e universos culturais diversos, quecertamente fará o público se identificar com as situações encenadas.

O elenco reúne atores de diferentes estilos. "Aescolha deles foi feita para que a energia em cena compreendesse a gama desentimentos da primeira relação sexual vivida por pessoas comuns de todos ostipos (periguetes, malandros, gays, voyeurs e últimos românticos). A peça falade um tema universal, por isso a importância da identificação do público com ospersonagens e intérpretes", fala o diretor Isser Korik.

Para compor o visual dos personagens (a maioriaadolescente), o figurinista Luciano Ferrari optou pelo básico. A meta é realçara beleza, valorizando o melhor dos corpos, com conforto, em sintonia com aatmosfera sexy da encenação.

"Esquetes românticos, cômicos, violentos oudramáticos conduzem o público a desmistificar a primeira relação sexual e pensarno que importa: a próxima vez", conclui Korik.

Sobre a dramaturgia- KenDavenport

É considerado um dos principais produtores deNova York. Suas criações foram encenadas em 25 países e geraram mais de US$ 100milhões.My First Time estreou em 12 de julho de 2007; permaneceu dois anos e meio em cartaz, em Nova York; e ganhou montagens naAmérica (EUA, Chile e México), Ásia (Coréia do Sul) e Europa (Espanha,Finlândia, Itália e Malta). É inspirada no site homônimo criado em 1998 pelosjovens norte-americanos, Peter Foldy e Craig Stuart. MyFirstTime.com reúnehistórias anônimas de 53 mil pessoas sobre a primeira experiência sexual, commais de 36 milhões de acessos.Cerca de 12 mil pessoas o visitamdiariamente: 25% são do mundo todo e 75%, dos EUA.

Sobre o elenco

Emiliano d'Avila
Para o ator, "A Minha PrimeiraVez é uma caixinha de surpresas, que mostra como o desejo pode conduzir a uma situação-limite, podendo chocar com histórias que as pessoas nemimaginam". Nascido em Salvador, entrou para o elenco deAvenida Brasil,como Lúcio, filho de Janaína (Cláudia Missura). Antes, foi Pedro Balla, em Clandestinos - O Sonho Começou, de João Falcão (Globo, 2010). Participou da peça homônima que deu origem à série.

Gabriella Vergani
Com sua carinha de adolescente, interpreta váriosdepoimentos reais emA Minha Primeira Vez. "Algumas histórias são lindas e românticas, outras tensas ou cômicas", conta. Na TV, fezo telefilme Carro de Paulista, exibido pela Cultura; no tablado atuou em Cala Boca já Morreu, sob a direção de Sandra Corveloni. Participoude curtas: Ontem, como Helena ("Melhor Atriz" no festival da AcademiaInternacional de Cinema); eJiboia, título de "Melhor Curta" no Festival de Cinema Mix Brasil.

Ian Soffredini
A Minha Primeira Vezvai fundo ao falar sobre desejo, em sua opinião. "Uma atmosfera sexual permeia apeça, quebrando paradigmas de como a iniciação deve ser". Em 2012, atuou na releitura de A Bela Adormecida (que estreia em janeiro no Teatro Folha)e emEspontânea,peça calcada na improvisação, doNúcleo EsTeP. CursouThe Academy of Creative Training -Brighton e a Foundation in Acting Course at Arts Educational School London.

Luana Martau
Para ela, "não tem como não se identificar com A Minha Primeira Vez, porque a peça fala de umaexperiência que todo mundo passou ou vai passar". Na Globo, a gaúcha de 28 anos,que cresceu no Rio, viveu a cabeleireira Beverly, em Avenida Brasil, e participou de Cordel Encantado, como Carlota (2011); o desempenho lhe valeu a indicação de Melhor Revelação Feminina, no Prêmio Extra. Em 2010, fez a série Clandestinos - O Sonho Começou. Estreou na TV, em 2009, nanovela Cama de Gato (Globo).

Ronny Kriwat
"A dramaturgia de A Minha PrimeiraVezé interessante porque enfoca as diferentes formas que umaexperiência comum a todo mundo pode acontecer, passeando por vários estilos:comédia, drama, água com açúcar e suspense", conclui. Em 2010 e 2011, o ator viveu Theo Lopes, protagonista de Malhação. Em 2012, participou do elenco de Avenida Brasil, como Tomás, filho de Cadinho (Alexandre Borges) e Noêmia (Camila Morgado).

Tammy Di Calafiori
"A Minha Primeira Vez é um presente para o intérprete, porque nos permite percorrer todas as possibilidades de sentimentos e de estilos de narrativas: da comédia ao drama",diz a atriz, que fez as novelas Alma Gêmea, Ciranda de Pedra e Passione, na Rede Globo. No cinema, ela participou do filme Suprema Felicidade, de Arnaldo Jabor.

Sobre direção, tradução e adaptação - Isser Korik

Diretor, ator, produtor e dramaturgo. Colecionatrabalhos marcantes como comediante, em quase 30 anos de carreira. Entre eles,Vacalhau&Binho, de Carlos Alberto Soffredini, que resgatavatextos de Zé Fidélis, personagem de um programa de rádio, permanecendo oito anosem cartaz. ConcebeuNunca se Sábado..., apresentado por quatro anos, emSão Paulo, sob sua direção-geral. Inspirado no humorístico televisivo americanoSaturday Night Live, companhias (como Parlapatões e Le Plat du Jour) eartistas (Ingrid Guimarães, Ary França, Lília Cabral, entre outros) se revezavamno palco em números inéditos. Dirigiu a trilogia cômica de Alan AyckbournEnquanto Isso...-três montagens com os mesmosargumentos e elenco, que podiam ser vistas de formas independentes, mas ligadasentre si (em cartaz em 2011 e 2012). Traduziu e atuou emE o Vento NãoLevou, versão da peçaMoonlight and Magnolias. A comédia sobre acorreria para transformar o best-sellerE O Vento Levouem roteiro parao cinema cumpriu temporada em 2011 e 2012, em São Paulo.

Sobre a realização - ConteúdoTeatral

Comprou os direitos autorais de MyFirst Time e produziu um espetáculo, com o texto original adaptadoe com depoimentos de brasileiros. Para tanto, criou o site (http://www.aminhaprimeiravez.com.br/site/),onde é possível falar sobre a própria iniciação no sexo e acompanhartestemunhos, como o do Rafinha Bastos, da Daniele Valente, da Juliana Araripe edo Ronnie Von. Sob a direção artística de Isser Korik e a comercial de LéoSteinbruch, produziu dezenas de peças infantis (OsSaltimbancoseA Pequena Sereia)e adultas, como Equus e Um Violinista no Telhado. Responsável pela administração do Teatro Folha (São Paulo) e do Teatro Amil (Campinas), recebe espetáculos em regime de coprodução.