Teatro

TEATRO

A TROUPP PAS D’ARGENT

A TROUPP PAS D’ARGENT

Foto: divulgação

TEATRO SESI - Avenidade Graça Aranha, n° 1 - Centro

Por Marcela Rodrigues

A TROUPP PAS D’ARGENT
Apresenta
“CIDADE DAS DONZELAS”

Em cartaz todas as quartas e quintas de outubro, às 19h30.
TEATRO SESI - Avenidade Graça Aranha,n° 1 - Centro.

"CIDADE DAS DONZELAS" ESPETÁCULO INDICADO AO PRÊMIO SHELL 2008 (RIO)

De domingo á domingo rola no Hall do Teatro SESI uma exposição que conta um pouco da Trajetória da Troupp e do Espetáculo.

Está rolando também, a Oficina da Troupp, já ministrada em São Paulo, Minas Gerais, Espirito Santo, Santa Catarina, Paraná, CHILE e agora no Rio!

Oficina Pas D'argent - Processos da Linguagem Corporal. Nesta oficina viveremos, passo a passo, a pesquisa de movimento e o processo de linguagem corporal desenvolvido pela Troupp Pas D'argent em seus dois anos e meio na construção do espetáculo "Cidade das Donzelas" - estudo este, que resultou na indicação ao Prêmio Shell.

Em cartaz todas as quartas e quintas de outubro, às 19h30.
Dias 28 e 29. No Teatro SESI.

Para saber preços, receber a Ficha de Inscrição e saber mais informações:
troupppasdargent@yahoo.com.br / midixculpaproducoes@gmail.com.br

Trecho da Espetáculo (youtube) www.youtube.com

História Baseada em Fatos Irreais

Em 1945, num vilarejo bem distante, no meio do nada, em lugar nenhum do Sertão, é narrada a peregrinação de Carolino. Um jovem e inteligente andarilho, que nascido em Juazeiro, viaja o mundo inteiro e volta para a sua terra, mas antes, por pura curiosidade, ele se embrenha na Cidade das Donzelas, e percebe que lá só habitam mulheres bizarras e misteriosas, todas marcadas por traumas de família no passado. Devido a esse fato, perpetua por gerações uma matança desgovernada a todo e qualquer homem ou mulher bonita que lá se atrevam a adentrar. Muitos anos depois, essa história cheia de encantamento, mistério e muito bom humor, é narrada por um singelo andarilho cuja graça é Franzilino, que ao passo da fatalidade, também se hospeda na cidade.

SINOPSE

Franzilino Sertanejo Peregrino Conta a historia de Carolino Que sem lenço, documento ou certidão, Chega na Cidade das Donzelas no meio do sertão E se espanta ao ouvir falar Que não existe nem homem ou mulher bonita naquele lugar E que as moças feias que habitam por lá Matam qualquer um que arrisca se aproximar Tentando desvendar esse mistério acolá A gente embarca nessa história, temendo nunca mais voltar...

ENCENAÇÃO

O espetáculo “Cidade das Donzelas” retrata com humor, um Sertão cheio de mistério e poesia, onde a todo o momento, surgem figuras burlescas. Desenvolveu-se o estudo de métodos corporais inspirados na Commédia Dell’Arte italiana e no Teatro de Mamulengo, paralelo a esse processo, mantivemos o foco nos costumes nordestinos: sotaque, música, dança, vestimenta, artesanato, culinária etc. Mostramos um movimento que abandona os meios convencionais de representar uma realidade tangível e evidencia uma proposta de interpretação e direção expressionistas. A direção realça uma estética lúdica e onírica, dando atenção às diferentes possibilidades de utilização do espaço cênico, assim como a relação com o espectador, buscando um corpo e voz disponíveis e expressivos, capazes de criar e estilizar linguagens, e assim, potencializar a missão e o papel do ator. Durante o início do processo buscou-se um peso dramático, psicológico e humano para as personagens. No momento em que estabelecemos os conflitos internos, os arquivamos e fomos caçar o humor exagerado entre as agruras e desventuras humanas, mergulhando no ditado de Samuel Beckett: - “Nada é mais engraçado do que a infelicidade...!”.

O que se diz não são verdades mastigadas, tampouco movimentos coesos e padronizados, menos ainda, interpretações triviais e prosaicas, na verdade o que se rebela é o imaginário. Está presente neste trabalho o estudo teórico e prático do improviso (Lazzi), das tradições de teatro popular, da sistematização do trabalho do corpo e voz, da análise do movimento, dos jogos acrobáticos, da mímica e das músicas e danças regionais. A trama traça uma espécie de ligação entre a tradição mediterrânea e o povo brasileiro, e é inspirado na literatura popular. Essa linguagem é capaz de aproximar povos aparentemente diferentes, contribuindo ainda para que se entenda a arte brasileira e o próprio Brasil.

CENÁRIO E FIGURINO

A estética do cenário é inspirada na série de quadros “Retirantes” de 1944, de Candido Portinari. A atitude artesanal de idealizar e construir todo o círculo cênico, bem como, cenário, figurino, instrumentos, adereço e maquiagem, através de um processo intenso de investigação, ocasionou um trabalho totalmente autoral e harmonioso. Desse modo, nossa homenagem ao Nordeste se tornou mais genuína.

TEXTO E MÚSICA

O texto caminha pelo cômico atrevido, satírico e histórico como sempre acontece nas formas de literatura popular. Tem linguajar simples, com traços de fala coloquial. São feitas homenagens a nomes importantes da história nordestina, tendo uma métrica semelhante à Literatura de Cordel. A preocupação foi enfocar um Sertão verdadeiro e, mesmo que com uma linguagem burlesca, enaltecer essa parte tão rica do Brasil, divulgando a arte cotidiana, as tradições, as identidades locais e a literatura regional, contribuindo para a manutenção do folclore nacional.

A Trilha Sonora é autoral e foi inspirada em músicas regionais. Antes da composição de todas as letras a Troupp mergulhou em uma série de pesquisas e estudos sobre letras e ritmos, bem como Embolada, Maracatu, Repente, Aboio, Desafio, Coco de Umbigada, Frevo, Bumba-Meu-Boi, Baião e Quadrilha.

Ficha Técnica
Texto e Direção: Marcela Rodrigues
Supervisão Geral: Thales Coutinho (Armazem Cia. de Teatro)
Concepção/Confecção do Figurino: Lílian Meireles e Orlando Caldeira
Cenário e Adereço: Natalíe Rodrigues
Pesquisa de Movimento: TROUPP
Músicos/Instrumentistas Convidados: Rafael Juliani, Flavio Monteiro e Kátia Jórgensen
Pesquisa Popular e Musical: TROUPP
Letras e Músicas: Marcela Rodrigues
Preparação Vocal: Kátia Jórgensen
Preparação Instrumental: Rafael Juliani e Flavio Monteiro
Confecção de Instrumentos: TROUPP, Flavio Monteiro, Renato Borges (PARANÁ) e Ruy
Pessôa (Oficina do Barulho/PERNAMBUCO)
Iluminação: Luiz Paulo Nenen
Operador de Luz: Aline Mohamad
Maquiagem e Caracterização: TROUPP
Direção de Produção: TROUPP
Assistente de Produção: Aline Mohamad
Assistente de Palco: Ana Ribeiro
Realização: TROUPP PAS D'ARGENT E MIDIXCULPA PRODUÇÕES ARTISTICAS ME

VIAGENS

PARANÁ - Festival de Teatro de Curitiba - 2008
PARANÁ - Campina Grande do Sul - 2008
SANTA CATARINA - Florianópolis - 2008
SÃO PAULO - Sumaré - 2008
ALAGOAS - Penedo - 2008
RIO GRANDE DO SUL - Dom Pedrito - 2008
RIO DE JANEIRO - Rio das Ostras - 2008
RIO DE JANEIRO - Duque de Caxias - 2008
SÃO PAULO - Limeira - 2008
MINAS GERAIS - Espera Feliz - 2008
SÃO PAULO - Presidente Prudente - 2008
SÃO PAULO - Campo Limpo - 2008
MINAS GERAIS - Juiz de Fora - 2008
ESPIRITO SANTO - Vitória - 2008
RIO DE JANEIRO - Macaé / SESC-Rio - 2009
ESPIRITO SANTO - Vila Velha - 2009
PATY DO ALFERES – Rio de janeiro - 2009
CHILE – Santiago, Pudahuel, Salamanca, Conchalí, Quelen Bajo, Chillepin e Hualañé - 2009
ESPIRITO SANTO - Guaçuí - 2009
RIO DE JANEIRO - Resende - 2009
MINAS GERAIS - Pouso Alegre - 2009
RIO DE JANEIRO - SESC Nova Friburgo – 2009
EQUADOR – Machala e Quito - 2009

A TROUPP PAS D’ARGENT

PRÊMIOS

INDICADO AO PRÊMIO SHELL (RJ-2008)
Categoria Especial do Júri Pela Pesquisa de Movimento

I FESTIVAL DE TEATRO DE NITERÓI (RJ)
Prêmio Especial do Júri pela Pesquisa de Linguagem

IV FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE STÊNIO GARCIA (MG)
Melhor Espetáculo Adulto

FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE LIMEIRA (SP)
Revelação de Direção, Melhor Figurino,
Melhor Sonoplastia, Melhor Maquiagem.
Indicação para Melhor Ator (Orlando Caldeira)
E Melhor Atriz (Lílian Meireles)

5° FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE DUQUE DE CAXIAS (RJ)
Melhor Espetáculo Adulto, Melhor Direção,
Melhor Atriz (Marcela Rodrigues), Melhor Figurino,
Melhor Cenografia, Melhor Maquiagem.
Indicação para Melhor Atriz Coadjuvante (Natalíe Rodrigues)
E Melhor Ator (Jorge Florêncio)

3° FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE JUIZ DE FORA (MG)
Melhor Espetáculo, Júri Popular, Melhor Direção, Melhor Texto,
Melhor Música, Melhor Ator (Orlando Caldeira), Melhor Atriz Coadjuvante
(Dividiram o Prêmio: Carolina Garcês, Lilian Meireles e Natalie Rodrigues)
Indicação para Melhor Atriz (Marcela Rodrigues) e Melhor Figurino

FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE GUAÇUÍ (MG)
Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Texto, Melhor Música,
Melhor Ator (Orlando Caldeira), Melhor Atriz (Natalie Rodrigues)
Melhor Figurino, Melhor Cenário, Melhor Maquiagem

Contato:

E-mail: troupppasdargent@yahoo.com.br / midixculpaproducoes@gmail.com
Marcela Rodrigues: (21) 94986183 / 94986183
Carolina Garcês: (21) 86288691 / 86744480

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet