DICAS - AGENDA CULTURAL RECIFE

Noturnos

Noturnos

Foto: Rodrigo Moreira

Por Assessoria de Imprensa: Moretti Cultura e Comunicação

Teatro
Companhia Fiandeiros de Teatro apresenta 'Noturnos'
03 a 26 de agosto de 2012

O espetáculo resulta de uma pesquisa sobre invisibilidade social e traz para a cena três fragmentos de dramaturgia que dialogam, de maneira poética, com as várias situações vivenciadas pelos atores durante o processo de estudos sobre o universo dos moradores de rua.



A peça tem estreia programada para 03 de agosto em Recife, onde fica em temporada até 26 de agosto, aos sábados e domingos. Em seguida, será apresentada em Niterói, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Em seus nove anos de existência, a Companhia Fiandeiros de Teatro vem desenvolvendo pesquisas e realizando trabalhos acerca da obra de autores pernambucanos. Ao longo dos anos, criou um repertório de espetáculos com base em estudos no campo da poética, da dramaturgia pernambucana, da musicalização e dos desdobramentos da interpretação do ator.

Seu novo espetáculo, Noturnos, é resultado de nove meses de intensa pesquisa e levanta discussões sobre a condição humana existente, não apenas no universo das ruas em suas várias instâncias, mas também numa sociedade regida cada vez mais por uma banalização do consumo. Três quadros compõem a peça: O presente, A cura e Salobre. Em cada quadro é possível identificar as referências relativas aos temas: violência, sexualidade, solidão e ociosidade, que foram identificados nas entrevistas e nas vivências dos atores em seu contato com as ruas e seus moradores. O título da peça, Noturnos, faz referência a esses seres que ressaltam nas ruas à noite, quando a cidade esvazia, e também faz referência ao tipo de designação musical que remete a reflexão, a um estado taciturno da alma.

“A cena de Noturnos é a representação dos escombros de uma sociedade doente em seus delírios de consumo, em suas neuroses e na sua solidão. A visão do homem contemporâneo como reflexo de sua incapacidade em ver a si mesmo, incapaz de perceber suas ruínas interiores e o desmoronamento de sua própria condição de humanidade.” Diz André Filho, Diretor e autor da peça

Ao longo dos seus 09 anos de existência, a Companhia Fiandeiros de Teatro vem desenvolvendo um repertório de espetáculos com excelente repercussão. Além da formação teatral, seus integrantes também desenvolvem trabalhos no campo da Arte-Educação, das Artes Plásticas, da Música, da Dança e da Gestão Cultural. Em seu repertório figuram premiados espetáculos, como “Vozes do Recife - um concerto poético”, “O Capataz de Salema” e “Outra Vez, Era Uma Vez...”.

De 03 a 26 de agosto de 2012, Recife poderá prestigiar mais um trabalho dessa companhia de pesquisa, que agora traz para a cena o seu mais recente trabalho de investigação cênica. Noturnos ficará em cartaz aos sábados e domingos, comemorando os nove anos da Companhia e os três anos do Espaço Fiandeiros, na Rua da Matriz, nº 46, 1º andar. Recife/PE.

Texto e Direção: André Filho
Elenco: Daniela Travassos, Karine Gaya, Jefferson Larbos, Manuel Carlos e Samantha Queiroz.

INFORMAÇÕES  - Companhia Fiandeiros de Teatro apresenta Noturnos
Data: 03 a 26 de agosto de 2012 | Horário:  sábado e domingos,  às 18h
Ingressos:  pista: R$ 20,00 (inteira)  R$ 10,00  (meia)   
LOCAL - Espaço Fiandeiros
Rua da Matriz, nº 46, 1º andar

Show

Beto Kaiser

Quinta, 16 de agosto de 2012 - Lançamento do novo CD

Beto Kaiser

Foto: divulgação

Morando há mais de 30 anos no Recife, o guitarrista carioca Beto Kaiser logo se apaixonou pela cidade e seu povo. E foi justamente essa paixão que o inspirou nas composições de “Seu Serafim, Profissão Herói”, seu novo CD autoral cheio de referências à história da terra do Galo da Madrugada (onde o músico tocou por vários anos no trio elétrico principal).

A começar pelo final em ritmo de Frevo da faixa de abertura, que leva o nome de uma praia do Litoral Sul do estado, “Itapuama” (um hard rock “chiclete” com solos no estilo Iron Maiden). Já em “Maxambomba” (outro rock pesado com solos distorcidos) Beto simula o som do trenzinho urbano trazido da Inglaterra para ser o primeiro transporte coletivo motorizado da capital pernambucana. Corruptela popular para “machine pump”, a maxambomba foi uma espécie de bisavô do “metrô de superfície” do Recife – Metrorec (inaugurado em 1985) e operou de 1867 (quando ainda existiam escravos na cidade) a 1919 (com a chegada dos bondes elétricos).

Outro interessante registro histórico do Recife que Kaiser faz em seu novo disco é o da saudosa gasosa “Fratelli Vita”. O gostinho especial do refrigerante de guaraná - que marcou época na cidade desde a instalação da primeira fábrica na Rua da Imperatriz (1913), passando para a Rua da Soledade até ser vendida para a Brahma (1972) - também ficou imortalizado em forma de um “esperto” heavy metal.

Em “Seu Guezim” (um divertido country com uma “nervosa” bateria) e “Beethoven” (uma canção lenta executada ao violão) Beto Kaiser faz uma releitura das próprias composições do tempo da “Banda Cristal” (sua primeira formação profissional), para nostalgia dos que acompanharam a cena recifense de rock dos anos 1980. A Cristal tocava no “Espaço Arte Viva” (em Boa Viagem), o mesmo point alternativo que deu origem ao movimento Manguebit e onde fizeram suas primeiras apresentações as bandas Mundo Livre S/A (de Fred Zeroquatro) e Urb Et Orb (com o então desconhecido Chico Science no vocal).

“Doce Mar” (mais progressiva) é outra bela canção do novo disco, na qual Beto homenageia a mãe, Tem também “Azul Marinho” (uma balada romântica com forte apelo sentimental) e “Los Germanos” (um rock´n´roll com solos eloquentes), que prestigiam dois grandes amigos que Kaiser fez na cidade. Por fim, “Seu Serafim” (um rock-pop “adocicado” que empresta o título ao CD) e “O Negão” (um rock romântico com sabor nostálgico), dedicadas ao pai e ao irmão. Os mesmos músicos que participaram da gravação do CD (Estúdios Casona) formam a banda MUCICA, que acompanhará o guitarrista Beto Kaiser no show de lançamento: Ebel Perrelli na bateria e Jansen Mendonça na guitarra-base, além de Gustavo Bigode e Sérgio Eduardo (irmão de Beto) dividindo o baixo.

INFORMAÇÕES  - Beto Kaiser
Data: 16 de agosto de 2012, quinta,  às 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira)  R$ 5,00  (meia)   
LOCAL - Teatro Barreto Júnior – Pina
Mais informações no site www.seuserafim.k6.com.br

Uma Questão de Justiça

Exposição Permanente

Uma Questão de Justiça

Foto: divulgação

Na exposição permanente do Memorial da Justiça, processos judiciais históricos referentes à escravidão, à capoeira e ao cangaço são ponto de partida para o levantamento de questões sobre liberdade, cidadania e acesso à Justiça. Painéis, reproduções de fragmentos de processos, objetos e vestimentas relacionados ao universo de escravos, capoeiristas e cangaceiros, espaço de convivência, exibição de vídeo.

Memorial da Justiça. Avenida Alfredo Lisboa, s/nº, bairro do Brum.
Telefone (81) 3224-0142 | memojust@tjpe.jus.br.
Seg. a sex., 13h às 17h. Entrada gratuita