Dança

DANÇA

O Quebra-Nozes

BALLET DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

Foto: divulgação

O Quebra-Nozes, balé com música de Tchaikovsky

Ballet

Por Lígia Azevedo / Arteplural Comunicação

BALLET DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO
apresenta O Quebra Nozes no TEATRO ABRIL

De 18 a 20 de dezembro em São Paulo

A tradição e o encanto do mais belo conto de Natal chega a São Paulo em montagem da coreógrafa Dalal Achcar. Como convidados estão a primeira bailarina do Royal Ballet de Londres, Roberta Márquez, e o primeiro bailarino do English National Ballet de Londres, Arionel Vargas. Eles dançam ao lado da nova geração de artistas do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (que comemora 100 anos), incluindo Claudia Mota e Márcia Jaqueline, duas novas primeiras bailarinas da companhia

Um extraordinário mergulho na fantasia, turbinado pelo virtuosismo e a técnica do mais tradicional corpo de baile brasileiro - o do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro - será visto pela primeira vez em São Paulo neste mês de dezembro: a superprodução natalina O Quebra-Nozes, balé com música de Tchaikovsky e coreografia de Dalal Achcar, chega ao Teatro Abril, em São Paulo, com récitas nos dias 18, 19 e 20 de dezembro (sexta a domingo). A realização é da TIME FOR FUN e a temporada faz parte das comemorações dos 100 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Como convidados especiais, o elenco terá a superstar brasileira Roberta Marquez, atual primeira bailarina do Royal Ballet de Londres, e o cubano Arionel Vargas, primeiro bailarino do English National Ballet de Londres. Ao lado deles, dançam também os primeiros-bailarinos e solistas Claudia Mota, Márcia Jaqueline, Felipe Moreira, a nova geração do do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

O Quebra-Nozes é um marco do Natal no mundo inteiro, com dezenas de versões que ganham os palcos em dezembro. A montagem do BTM-RJ - na versão que fez sua estréia em 1981 e que foi considerada pela revista Newsweek a melhor entre centenas - tem cenários e figurinos criados pelo artista argentino José Varona. O cenógrafo e a coreógrafa Dalal Achcar empenharam-se em criar uma envolvente fantasia que transportasse o público para dentro da delicada atmosfera do sonho que leva a jovem Clara a um mundo de príncipes, bombons, ratinhos e fadas, onde um soldadinho de chumbo ganha vida para defendê-la. <

RENOVAR E MANTER A TRADIÇÃO

Apresentado pela primeira vez em 1892, em São Petersburgo, a coreografia é baseada na versão que Alexandre Dumas, Pai, fez de um conto infantil de Hoffmann, O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos. A música de Tchaikovsky e a coreografia original de Marius Petipa e Lev Ivanov deram ao balé o status de clássico desde as primeiras récitas. O público ocidental só veria o ballet pela primeira vez em 1934, no Sadler's Wells Theatre.

No Brasil, a primeira versão foi levada ao palco do Teatro João Caetano por Eugênia Feodorova, com Dalal Achcar no papel de Fada Açucarada, em 1957. A grande popularização do balé se deu a partir da excepcional montagem da própria Dalal realizada em 1973 com participações estelares como a de Cyril Athanassoff. "Desde então eu fiz o Quebra-Nozes todos os anos da minha vida - no Municipal do Rio, no João Caetano", lembra a coreógrafa. Foi a montagem de 1979 que colocou Ana Botafogo (ao lado de Fernando Bujones) pela primeira vez como solista no palco do Theatro Municipal. Hoje em dia O Quebra-Nozes é uma tradição natalina que mora no coração de todos os brasileiros. "Fico orgulhosa e comovida com o carinho que o público tem para com o Quebra-Nozes", diz a coreógrafa.

Marcos da temporada O público paulistano terá uma oportunidade única de ver a montagem carioca: é a primeira vez que o Quebra-Nozes é apresentado fora do palco do Theatro Municipal do Rio. Segundo o diretor do BTM, Helio Bejani, "esta temporada faz parte das comemorações dos 100 anos do TM e é muito importante a possibilidade de mostrarmos o nosso trabalho para um público que, pelas grandes distâncias que envolvem nosso país, não tem acesso ao Theatro Municipal do Rio".

É ainda uma oportunidade de ver no palco os novos solistas do corpo de baile do BTM. A veterana Ana Botafogo - que, em 30 anos de Municipal, não dança o Quebra-Nozes pela segunda vez, devido a uma lesão que a afastou dos palcos por três meses - apresenta os novos bailarinos. Segundo ela, trata-se de uma geração com um aprimoramento técnico impressionante. "Eu, ao longo dos últimos anos, tenho tido sempre a incumbência de apresentar essa nova geração, seja para o público fiel ao balé seja para a imprensa, e fico muito envaidecida, diria mesmo orgulhosa quando esses jovens representam bem o nosso Theatro. Nós, bailarinas veteranas do Theatro Municipal, sabemos da responsabilidade que temos em passar o respeito e o amor que sentimos pela tradição e história deste nosso teatro centenário", completa Ana Botafogo.

A temporada é também marcante para Roberta Marquez, que foi discípula de Dalal Achcar e começou sua carreira no corpo de baile do BTM. "Amo o Brasil, poder pisar nos palcos brasileiros, onde começou minha paixão pelo balé, é algo que meu coração dispara só de pensar. Poder dançar com o BTM é um grande prazer. O BTM me ajudou a ser a bailarina que sou hoje", diz Roberta Marquez.

O Quebra-Nozes - Ballet com prólogo e dois atos

PRÓLOGO - Vê-se a casa do Conselheiro Von Stahlbaum, cuja esposa e três filhos (Clara, Louise e Fritz) preparam a festa de Natal, na sala feericamente iluminada. As crianças e os convidados se divertem na festa. O padrinho de Clara, o estranho Dr. Drosselmeyer, faz truques e mágicas para os convidados e dá de presente à afilhada um lindo quebra-nozes em forma de soldadinho. Os irmãos, com inveja, tomam-lhe o brinquedo e o quebra-nozes é danificado.

Ao fim da festa, todos se retiram e os moradores vão dormir depois da tradicional Dança dos Avós. Clara, insone, desce para buscar o quebra-nozes. Na sala escura, iluminada apenas pela árvore, Clara se apavora com o relógio que bate a meia-noite e com o ruído dos ratos. A menina vê a estranha figura do padrinho, que faz com que a árvore de Natal cresça aos seus olhos. Bonecos ganham vida. O soldadinho de brinquedo ouve os ratos se aproximando e conclama os companheiros à luta.

Uma batalha acontece entre os Ratos e os Soldados, comandados pelo Quebra-Nozes. Os Ratos estão prestes a vencer quando Clara atira o chinelo na cabeça do Rei dos Ratos. Distraído, é morto pelo Capitão dos Soldados, que se transforma num Príncipe e convida Clara a um passeio pelo Reino das Neves e pelo Reino dos Doces.

PRIMEIRO ATO - Clara e o Príncipe viajam através de uma floresta gelada. Os flocos, metamorfoseados em criaturas vivas, dançam com o Príncipe e a Rainha das Neves.

SEGUNDO ATO - Clara chega ao Reino dos Confeitos e é apresentada pelo Príncipe à Fada Açucarada. O Príncipe conta como Clara salvou sua vida e a menina é convidada a presidir a festa em sua honra. Sentada no trono, ela vê as danças do chocolate, do chá e do café, especiarias raras no século XIX, representadas pelas coreografias espanhola, chinesa e árabe. Seguem-se os Russos, os Mirlitons e Madame Reginier, a bombonière de cuja saia saem doces, suspiros e bombons. As Flores dançam para Clara e a própria Rainha faz um pas-de-deux com o Príncipe. A valsa de despedida é dançada por todos e Clara volta para casa com seu Príncipe, em meio aos ares de fantasia e sonho.

"O Quebra-Nozes"
Realização: TIME FOR FUN
Teatro Abril (1.530 lugares) - Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 - Bela Vista.
Dias:  18, 19 e 20 de dezembro
Horários: Sexta às 21h, Sábado às 17h e 21h e Domingo às 16h
Duração do espetáculo: 2h30 (com intervalo de 15 minutos)
Estacionamento: O teatro não possui estacionamento próprio
Assentos: O teatro conta com 16 assentos para deficientes físicos e 11 para pessoas obesas.
Classificação etária indicativa: Livre - Menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsável legal.

Assessoria de Imprensa
Arteplural Comunicação
Jornalista responsável - Fernanda Teixeira
site - www.artepluralweb.com.br