NossaDica.com - Agenda de cultural do Brasil

Bares Rio de Janeiro

Guacamole Cocina Mexicana

 Guacamole Cocina Mexicana

Guacamole Cocina Mexicana | Foto: divulgação

Por Mônica Villela / META Companhia de Imprensa

Tempero e vibração mexicana, aliados a bom atendimento, fazem sucesso na Rua Jardim Botânico A filial carioca do Guacamole Cocina Mexicana integra a bem sucedida rede catarinense de restaurantes temáticos, com unidades em Florianópolis e Balneário Camboriú. Aberta em junho de 2012, no charmoso bairro do Jardim Botânico, a casa já ostenta filas diárias e coleciona clientes cativos. Ir ao Guacamole é uma experiência vibrante, que desperta toda a intensidade dos sabores e ritmos mexicanos, embalados por mariachis que circulam com graça pelo salão. Paredes de cores vivas, lustres divertidos, cactos, sombreros, tequileiros e tequileiras “calientes” compõem a atmosfera, repleta de elementos culturais, que remete ao folclore daquele país. O Guacamole alia o melhor da culinária tradicional, famosa pela variedade de condimentos e texturas. Extenso, o cardápio traz opções de pratos típicos de todas as regiões, feitos com ingredientes frescos e de alta qualidade. O carro-chefe são as tortilhas, que variam na forma, recheio e modo de preparação.

Os nachos Guadalupe (tortilha chips da casa, chilli de carne moída, frijoles refritos, cheddar, queijos mistos, milho, azeitonas pretas ao forno e pimenta jalapeña; R$ 33,90) são os mais pedidos da casa. Também faz sucesso o burrito Santa Fé, que vem com cubos de mignon, queijos mistos e alface (R$ 32,80). Há ainda a versão vegetariana, batizada de Carlos Santana, que sai a R$ 26,80 e vem com legumes grelhados. A fajita de camarão flambado na tequila (R$ 48,60) é servida em porção generosa, acompanhada de guacamole, sour cream, pico de galo, tortilhas de trigo, arroz mexicano e feijões refritos. Entre os petiscos, destaque para a tapachula (R$ 32,90), uma tortilha recheada de queijo, cubos de mignon e molho barbecue. E para adoçar no final, o chimichanga dulce (R$ 15,90) é imperdível! Uma tortilha crocante, recheada com maçã e pêra, chega quente à mesa, acompanhada de sorvete de creme e geléia de morango com pimenta.

Mais de vinte rótulos oriundos de diversas regiões do México aparecem na completíssima carta de tequilas. A lista vai da Sauza Hornitos Reposado (R$ 14,50 a dose) à Tezón Reposado (R$ 35,50). São preparadas com muita competência a margarita (R$ 15,90) e a michelada (R$ 14,90, de cerveja Sol Premium). Outra pedida certeira é o mojito de morango (rum, hortelã, limão, morango e sprite; R$ 15,60). Para os que gostam, há ainda cervejas, vinhos, vodcas, caipirinhas, wiskies e que tais.

INFORMAÇÕES
Guacamole Cocina Mexicana (Capacidade: 190 lugares)
Rua Jardim Botânico, 129, Jardim Botânico
Tel: (21) 3178-3100. Aberto diariamente, das 18h às 3h
Couvert artístico: R$ 8 (seg. a qua.); R$ 10 (qui. a dom.)
Estacionamento c/ manobrista: R$ 12,00
Cartões de crédito e débito: todos. www.guacamolemex.com.br
Leia Mais+ Diversão Rio de Janeiro

Bar Luiz - Boêmia e Tradição

A Trajetória de um Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro

Bar Luiz Quando foi fundado, em 3 de Janeiro de 1887, Dom Pedro II era o Imperador do Brasil. A cidade do Rio de Janeiro era capital do Império e tinha a pretensão de ser uma Corte moderna, à imagem e semelhança das principais capitais européias. Paris era referência mundial de cultura e civilização e os cariocas incorporavam os hábitos e costumes da capital francesa, dentre eles a prática de se consumir bebida em mesas dispostas pela calçada.

O Rio de Janeiro, assim como toda cidade, tem suas tradições. O patrimônio da Cidade Maravilhosa inclui, além de suas belezas naturais, alguns redutos históricos, consagrados como pontos de referência na memória e no cotidiano do carioca.

O núcleo fundador onde a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro começou a crescer é o bairro conhecido como Centro da Cidade. Sua centralidade não é geográfica, mas puramente cultural. Deste centro, na verdade litoral da Baía de Guanabara, a cidade principiou a se expandir, a delimitar territórios e fronteiras, a ser loteada e povoada.

Esta região é parcamente explorada pelos turistas que aqui desembarcam, ocupados em desfrutar os dias de sol nas belas praias que ofertamos. Contudo, alguns dos referenciais mais importantes da cultura carioca se localizam nesta área, acessíveis a pessoas com os mais diversos interesses. Centro financeiro e econômico da cidade, seu comércio abarca os mais variados artigos de consumo. A infra-estrutura cultural da região dispõe de museus, centros-culturais, cinemas e teatros, além de espaços para o lazer a céu aberto, como praças e passeios públicos. Disponível também aos olhares mais atentos está a paisagem de suas ruas, que engloba desde casarões e edifícios do período colonial até prédios e monumentos pós-modernos. Este cenário é um perfeito reflexo da pluralidade do corpo social e urbano do Rio de Janeiro.

Todavia, é através do mosaico social de seus transeuntes que o bairro expressa toda sua vitalidade. Diariamente, milhões de pessoas circulam pelos seus caminhos, vivenciando costumes e histórias. Se estas ruas falassem por si, teriam muito que contar. Contudo estas experiências estão registradas na memória de quem trabalha na região e nas paredes de seus estabelecimentos e casas comerciais. Conhecer uma cidade é desvendar o seu epicentro, o local onde se concentra uma amostra de todos os bairros.

Inseridas neste mosaico de experiências e histórias, encontramos algumas das casas mais antigas do comércio carioca, dentre as quais o Bar Luiz, instituição que completa 120 anos de existência em 2007. Conhecido pela qualidade do seu chope - um dos melhores da cidade - e de sua típica gastronomia alemã, o Bar Luiz tem sido testemunha ocular dos eventos ocorridos nos últimos séculos no Rio de Janeiro. Patrimônio histórico-cultural da cidade, além de aglutinador de personagens das mais diversas condições sociais pelo próprio perfil do estabelecimento, este bar espelha um pouco da peculiar cultura do Centro e da cidade do Rio de Janeiro.

Pizzaria Guanabara

Dsde a década de 1960 recebendo notívagos

Abrigo seguro para todo tipo de notívago, eventual ou de fé, a casa só fecha na hora do café-da-manhã. Inaugurada em 1964, virou point nos anos 80, no auge do Baixo Leblon, quando a esquina em frente abrigava o badalado Real Astória. O atendimento pode ser feito no salão interno, refrigerado, nas mesas próximas ao balcão ou na varanda. Hoje, continua recebendo muita gente do meio artístico – Giulia Gam e Alceu Valença, por exemplo, são clientes fiéis. Os sabores mais tradicionais de pizza podem ser servidos em fatias. A de calabresa sai por R$ 3,30. As carnes também têm boa saída. O medalhão de filé com arroz à piemontesa custa R$ 33,00. A pizzaria serve chope Brahma, claro ou escuro, por R$ R$ 1,70 (garoto), R$ 2,20 (tulipa) e R$ 2,70 (caldeireta).