Home / Cultura e Diversão Agenda Brasília / Carnaval de Rua 2017 Brasília – A programação dos “Blocos Alternativos de Brasília”

Carnaval de Rua 2017 Brasília – A programação dos “Blocos Alternativos de Brasília”

A Ambev, via LIC – Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura de Brasília, patrocina ações para viabilizar o desfile de 39 Blocos de Rua de Brasília

“Blocos Alternativos de Brasília – Carnaval de Rua Brasília 2017”

Ao longo de um mês, Brasília abre suas Quadras, Praças, Ruas e Eixos para o desfile de seus blocos carnavalescos e desponta no cenário nacional como o quinto maior Carnaval do país.

Carnaval de Rua Brasília 2017 – Do pré-carnaval à ressaca da folia, Brasília se transforma em um rico caldeirão multicultural, temperado pelos desfiles de seus blocos alternativos. Localizada no centro do país, a Capital Federal tem como um de seus predicados a de ser um polo aglutinador de todas as raízes brasileiras. Característica essa que se reflete em uma folia carnavalesca colorida e que esbanja criatividade, inspirada pela influência das diferentes vertentes artísticas que desembarcam aqui vindas de todas as regiões desta grande nação plural.

Do Choro ao Xóte, do Samba ao Frevo, da Música Eletrônica às Guitarradas, do Carimbó ao Rock, Brasília acontece ao longo de todo o ano com festas, shows e a ocupações de espaços urbanos. Mas é durante o Carnaval, que a cidade se vestem destas vertentes e vai ao encontro de um de seus momentos de maior efervescência multicultural, com tudo acontecendo ao mesmo tempo, durante um curto período de tempo, de graça e nas ruas. Momento que, a cada ano, vem surpreendendo carnavalescos de todo o Brasil com sua folia despretensiosa, colorida, política, familiar e irreverente.

O movimento de ocupação dos espaços públicos de Brasília parte de iniciativas independentes, de forma bastante pulverizada e alternativa, levando para as ruas o gosto musical de grupos de amigos e coletivos artísticos. Este movimento começou a crescer, de forma acelerada, às vésperas do carnaval 2013 quando o GDF anunciou que não iria investir na festa. O balde de água gelada, com o receito de não haver Carnaval, para a surpresa de muitos, não abalou os ânimos dos festeiros, talvez tenha até surtido um efeito contrário.

Em meio ao surgimento desta nova folia brasiliense, nasceu um coletivo de artistas e agitadores culturais, que passou a se reunir compondo um Coletivo de Blocos Alternativos de Brasília. Grupo que se mobilizou no sentido de sensibilizar órgãos governamentais e a iniciativa privada com o propósito de, juntos, discutirem meios e caminhos para viabilizar a realização do carnaval de rua da capital do país.

Hoje, a folia brasiliense já é a quinta maior do Brasil e só no ano passado levou um milhão de brincantes para as ruas, numa festa espontânea, plural e democrática. Os resultados positivos alcançados, são fruto da mobilização e engajamento deste Coletivo de Blocos, que, em conjunto e sintonia, alcançou resultados positivos e agregadores para o movimento carnavalesco da cidade, inserindo Brasília no circuito nacional.

A tomada das ruas pela folia carnavalesca, que neste ano tem início em 5 de fevereiro e segue até o dia 5 de março, é marcada pela presença, prioritariamente, de pessoas do Distrito Federal, nascidas aqui ou que escolheram a região para fixar residência. É possível arriscar dizer que a ideia de fazer um Carnaval brasiliense parte da intenção de mostrar ao Brasil que aqui não é só política, mas sim uma cidade humana, cheia de belos contrastes, popular, democrática, genuinamente brasileira e festiva.

Envolver os Blocos Alternativos de Brasília sob um único guarda-chuva, partiu de uma iniciativa da Secretaria de Cultural que irá disponibilizar, sob a gestão de um grupo de produtores culturais independentes, estruturas de palco, luz e som, banheiros químicos, serviços de brigadistas e seguranças, comunicação, gestão técnica e consultoria na elaboração de projeto para captação de recursos. Nesta primeira edição, o projeto “Blocos Alternativos de Brasília – Carnaval de Rua 2017”, sob a chancela da LIC – Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura do Governo de Brasília, abrange 39 Blocos e tem como principal foco viabilizar a saída destes e a realização de uma festa mais segura e melhor estruturada para mais de 350 mil pessoas, sem alterar tampouco interferir na identidade ou formato de qualquer um dos Blocos.

PROGRAMAÇÃO – Carnaval de Rua 2017

EIXÃO 44

O Eixão 44 é um coletivo de mulheres lésbicas do Distrito Federal, sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, tendo como sua única prerrogativa o feminismo e o combate ao racismo, machismo e xenofobia. É um coletivo civil constituído para fins sociais, recreativos esportivos e culturais, destinado a congregar suas associadas e a comunidade.

Dia: 4 de fevereiro

Horário: das 15h à 2hAM

Local: Praça Central de Planaltina

ABRINDO A RODA

O Abrindo a Roda dão o pontapé inicial do carnaval brasiliense às 9 horas da manhã do dia 5 de fevereiro com uma grande roda de choro ao estilo bem brasiliense. Neste ano, o Bloco vai homenagear o artista plástico piauiense Francisco Galeno, talvez um dos artistas locais que alcançou maior reconhecimento no País.

Pelo segundo ano consecutivo, o Abrindo a Roda aquece nosso carnaval com uma viagem através dos choros de Chiquinha Gonzaga, Jacob do Bandolim, Raul de Barros e tanto outros, e também promove um passeio através da irreverência das marchinhas de carnaval, além da promessa de levantar foliões com frevos e cirandas.

Dia: 5 de fevereiro

Horário: das 9h às 15h

Local: Em frente à Administração do Parque do Sudoeste

VIRGENS DA ASA NORTE

Virgens da Asa Norte/Divulgação

Fundado por uma turma de amigas e amigos loucos por carnaval que se sentiram da obrigação de fazer folia em Brasília. Surgiu então o Virgens da Asa Norte, um Bloco inspirado no carnaval pernambucano, quando em dias de folia homens de vestem de mulher, uma tradição que acontece há 73 anos. Segundo os organizadores, o Bloco busca atravessar os gêneros, desfilar exagero, deboche, irreverência e bom humor. O grupo percussivo PATUBATÊ é que vai animar o bloco.

Dia: 5 de fevereiro

Horário: das 11h às 21h

Local: Estacionamento atrás do Conic

SEGURA O CÔCO

Sabendo-se que a arte popular é referência nas manifestações culturais no Paranoá, o Coco do Cerrado desfila Maracatu, Samba de Coco e Ciranda. Mestra Martinha do Coco é quem anima a festa e, para esquentar mais ainda a folia, participam como convidados da Mestra o Tambor Lua Nova, as Batuqueiras, Calango Careta, Raízes da Nova Geração e DJ Jul Pagul.

Dia: 5 de fevereiro

Horário: das 17h à 0h

Local: Coreto da Praça Central do Paranoá

 SUVACO DA ASA

Suvaco da Asa/Divulgação

Ocupa a área central de Brasília e se firma como a maior folia de frevo fora de Recife. Nasceu para matar as saudades que todo bom pernambucano tem do som dos clarins, das alfaias e dos maracatus. O que era apenas festejo entre amigos, agora já está na agenda pré-carnavalesca de amigos dos amigos, vizinhos e agregados de todo o DF e hoje, dos anos depois dos primeiros cortejos pelas quadras, ruas e avenidas do Sudoeste, faz do Suvaco um dos maiores e mais democráticos blocos do Distrito Federal. Como de costume, desde as primeiras saídas do bloco, o grupo PATUBATÊ participa da brincadeira, agitando os foliões.

Dia: 11 de fevereiro

Horário: Das 9h às 22h

Local: Gramado do Setor de Diversões Central, em frente à Funarte

VAI COM AS PROFANAS

Bloco, que se define como tropical-feminista, bebe na estética e na música tropicalista para valorizar e luta pela igualdade de gênero. Para os criadores do “Vais com as Profanas”, que trazem dos selos Mimosa e Conspiração Libertina a experiência de como fazer grande baladas, o Carnaval é festa, não tem época e é parte das culturas regional e urbana brasileiras.

O Bloco toma as ruas com folia e agitação para dizer que é razoável falar de coisa séria, com sorriso na cara e para provar que não tem dia nem hora para ser feliz e respeitar a todas e todos.

Dia: 11 de fevereiro

Horário: das 15h às 23h

Local: Praça Central do Setor Comercial Sul

MARIA VAI CASOUTRAS

Maria Vai Casoutras/Divulgação

Com repertório diversificado, que passeia por releituras de clássicos carnavalescos e som autoral, o grupo, formado por mulheres, desfila a marca da alegria característica da música brasileira nos mais variados ritmos, timbres e estilos.

Dia: 12 de fevereiro

Horário: Das 16h às 22h

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

SAMBA DO PELEJA

Da reunião de amigos, que levam seus instrumentos para tocar um sambinha animado, surgiu o Samba do Peleja. E neste ano de 2017 comemoram 10 anos deste encontro, que hoje, além de animarem festas e reuniões, são um Bloco de Rua que celebra a felicidade e as formas mais plurais de democracia e da amizade. A versatilidade deste coletivo, tem como características levadas lúdicas de sambas que passeiam por vertentes variadas e extenso repertório.

Dia: 18 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

EIXÃO 44

Eixão 44/CB Press

O Eixão 44 é um coletivo de mulheres lésbicas do Distrito Federal, sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, tendo como sua única prerrogativa o feminismo e o combate ao racismo, machismo e xenofobia. É um coletivo civil constituído para fins sociais, recreativos esportivos e culturais, destinado a congregar suas associadas e a comunidade.

Dia: 18 de fevereiro

Horário: das 15h à 2hAM

Local: Estacionamento 7 do Parque da Cidade

 

ENCONSTA QUE CRESCE

Inspirados pela diversidade cultural dos blocos de rua do Rio de Janeiro, amigos resolveram criar em Brasília, um bloco que tivesse a sonoridade do frevo pernambucano, o axé baiano, as marchinhas e os sambas enredo do carnaval carioca. Nasceu então o Encosta que Cresce, um chamado às irreverencia, diferença e democracia. Os organizadores convidam foliões a caírem na alegria de brincar o carnaval de forma livre e espontânea.

Dia: 18 de fevereiro

Horário: das 15h às 22h

Local: SRPN, Estacionamento do Ginásio Nilson Nelson

GALO CEGO

Galo Cego/Divulgação

Da intimidade do carnaval em família, o Bloco do Galo Cego surgiu dentro de casa e tomou as ruas. A ordem é criar sua fantasia, discreta ou extravagante, chegar de mansinho e aos poucos se deixar levar pela brincadeira e diversão que nasceu há 20 anos na casa do percussionista Bruno Dourado, filho do Seu Amaro. Apelidado como Galo Cego por um amigo, Seu Amaro foi quem iniciou seus filhos e parentes na arte da percussão.

Dia: 18 de fevereiro

Horário: A partir das 13h

Local: Setor Bancário Sul

TUTHANKASMONA

Criado como espaço de respeito à população LGBTQ e à diversidade, o Tuthankasmona estreou em 2016 com o surpreendente número de 5 mil festeiros e o orgulho de entrar na lista dos Blocos do Distrito Federal que não registou nenhum caso de assédio às mulheres tampouco aos gays, travestis, transgêneros e transexuais.

Político, por estimular outras festas populares a respeitarem a pluralidade e a liberdade, e inclusive por convidarem todas e todos para uma folia democrática, o Bloco arrasta seus foliões pelos arredores do Teatro Nacional com o intuito de denunciar seu fechamento e aparente morosidade das autoridades na reabertura deste e de outros Espaços Culturais do DF. O formato do Teatro Nacional foi a inspiração para o nome do Bloco.

Dia: 18 de fevereiro

Horário: das 16h à 1hAM

Local: Teatro Nacional Cláudio Santoro

CAFUÇU DO CERRADO

Cafuçu do Cerrado/Divulgação

Jovem bloco pré-carnavalesco, que desfila no domingo que antecede a folia, caminha para sua quinta edição em 2017. As raízes do Cafuçu do Cerrado estão firmes nas culturas carnavalescas da Paraíba e de Pernambuco (terras natais dos produtores do bloco), que tem como atrações principais as troças: orquestras de frevo, marchinhas de carnaval, e tantas outras levadas típicas, e, claro, o que há de mais gostoso no universo da sofrência: o brega.

O charme do bloco está na irreverência dos seus foliões, os Cafuçus e Cafucetas (ou Rariú, variação pernambucana). Cafuçu é um neologismo brasileiro, usado para designar uma pessoa brega, um ‘sem classe’. Normalmente Cafuçu também é utilizada para definir mal gosto ou muitas vezes esteticamente incoerente. Portanto, os Cafuçus e Cafucetas vestem-se de brega, esbanjam cordões de ouro, camisa florida e calça de oncinha, peças do guarda-roupas, que, para eles, são o que há de mais chique e moderno. ( – )

Dia: 19 de fevereiro

Horário: das 15h à 0h

Local: Setor Bancário Norte

FALTA POUCO

Falta Pouco/Divulgação

Fundado em 2011, o Falta Pouco se embriaga de festas consagradas como as do Rio de Janeiro, Salvador e Recife. Surgiu como ponto de encontro e folia entre amigos. Mais um brinde ao pré-carnaval com a chegada do reinado de Momo trazendo o espírito da paz e alegria dos carnavais antigos. A banda, responsável pela agitação, é formada por músicos de diversos grupos de samba da cidade como Adoraroda, Candanguero, Carnavália, Sambassim, Ensaio Geral e Filhos de Dona Maria. O repertório, festivo e extenso, exibe clássicos do samba, frevo, maracatu, marchinha e maxixes.

Dia 19 de fevereiro

Horário:  das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

ME ENGOLE QUE EU SOU JILÓ

Me Engole Que Eu Sou Jiló/Divulgação

Os cults, vidrados e apaixonados pela sétima arte, tem no “Engole que eu sou Jiló” uma noitada de folia para botar na Rua, no caso – a Tesourinha da 201 Norte, suas fantasias cinéfilas. Iniciativa dos criadores do Cineclube Jiló na Guela, o Bloco surgiu há três anos, quando estreou com o enredo “Solta a Claquete”. Para este ano, só indo ao Bloco para conhecer o novo sambinha, que certamente vai combinar referências à produção cinematográfica, o samba e as desventuras da vida cultural e noturna brasiliense.

Dia: 20 de fevereiro

Horário: das 19h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

BORA PRA CUBA

Bora pra Cuba/Divulgação

O melhor da música e da cultura Cubana. Fantasias, brincadeiras e muita dança para carnavalizar nossas raízes latinas e nossa irmandade com o paraíso caribenho. Comidas e bebidas típicas de Cuba serão vendidas a preços especiais. O Bloco nasce da fluidez e convergência da comunidade latina do DF em união com artistas, boêmios e carnavalescos. A música ao vivo é da banda Sabor de Cuba e tem ainda o DJ Caju Clash para agitar a folia.

Dia: 23 de fevereiro

Horário: das 17h às 21h

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

BORA COISAR com EMÍLIA MONTEIRO

Bora Coisar com Emília Monteiro/Divulgação

A invasão de ritmos quentes do norte brasileiro e do Caribe, Bora Coisar é o primeiro Bloco de Carnaval Amazônico de Brasília, onde a alegria é sensualizar, aguçar sentidos na pegada das guitarradas, no calor do calypso, na irreverência do treme e ainda muito Marabaixo, Batuque, Carimbó, Zouk e outros

Bora Coisar é comandado pela compositora e cantora Emília Monteiro, uma genuína representante da cultura do Norte do nosso Brasil que realiza um trabalho independente e vem despontando no cenário local e já alçou voos por outras regiões do país, com bem-sucedidas passagens pelo carnaval recifense, fechando o Galo da Madrugada, e por baladas em São Paulo.

Dia: 23 de fevereiro

Horário: das 21h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

LIBRE!

Uma folia que não se apega a um estilo ou vertente musical. Para os organizadores, a ideia é mostrar que o Carnaval é uma manifestação multicultural que, através da música, dialoga com as mais diversas linguagens em atos performáticos de interação entre foliões e que dissemina a cultura de paz. Em Libre!, o grito de Carnaval busca ecoar a diversidade cultural, o transporte gratuito, para os dias de folia, o direito da população de ocupar, circular e se apropriar da cidade, o direito a livre manifestação e a consciência ambiental.

Dia: 24 de fevereiro

Horário: das 17 às 3hAM

Local: Museu Nacional da República

REJUNTA MEU BULCÃO

Athos Bulcão era apaixonado por Carnaval e, como Brasília é apaixonada por sua arte, um grupo de brasilienses criou o bloco festejar esses amores – por Brasília; e pela arte do artista que emoldura monumentos da capital federal. Idealizado no Rio de Janeiro por saudosos brasilienses que lá moravam, o bloco desembarcou em Brasília em 2015 desfilando muita alegria, poesia e samba no pé. Em 2016, um concurso de fantasias inspiradas em Athos, premiou as melhores com mimos oferecidos pela Fundação Athos Bulcão, uma importante parceira deste bloco.

Em 2017, os foliões do Rejunta meu Bulcão colocam o bloco na rua de forma sustentável, amorosa e colaborativa, por meio de uma “vaquinha”, para confecção de adereços inspirados na obra de Athos Bulcão a serem distribuídos gratuitamente no dia do bloco.

Dia: 24 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

CARNAPATI

Carnapati/Divulgação

Bloquinho para a criançada pensado por quem, na cidade, melhor entedo do assunto – a Cia. Teatral Mapati. O Espaço Cultural infantil mais antigo do DF, o Mapati sabe bem como entreter a meninada com brincadeiras lúdicas e culturais. Entre personagens mágicos de contos e histórias brasileiras, o tradicional Carnapati é o ambiente ideal para pais levarem seus pequenos para brincarem o carnaval com segurança e muita arte.

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 10h às 18h

Local: Estacionamento 4 do Parque da Cidade
VILÕES DA VILA

Vilões da Vila/Divulgação

Um desfile de foliões festeiros pelas ruas e vielas histórias da região pioneira de Brasília, a Vila Planalto. Arte e cidadania, democracia e diversidade musical, e respeito ao patrimônio são as marcas deste projeto. Arte e cidadania por realizar de oficinas de percussão e distribuir de livros em ações que ultrapassam as datas do Carnaval. Diversificado e democrático, por acontecer na rua e contar com a participação de vários outros Blocos, alternativos e tradicionais, do carnaval candango. E em respeito ao patrimônio, por valorizar a história dos pioneiros e estimular a preservação.

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 14h às 22h

Local: Praça Nelson Corso da Vila Planalto

 

CONCENTRA, MAS NÃO SAI

O “Concentra, Mas Não Sai” desfila desde 2001, na 404 norte, reduto da boemia e da malandragem asanortista. Idealizado pelos moradores da própria quadra e de quadras vizinhas, muitos deles envolvidos diretamente com a música e a noite brasiliense.

Desde sua fundação, vários artistas já passaram pelos palcos do Concentra, principalmente quando o bloco começou a realizar e apoiar eventos culturais e sociais na comunidade, como feiras, festa junina, rodas de samba, entre outros.

No carnaval de 2016, o bloco teve seu ponto alto, quando contou com as participações de como Dhi Ribeiro, PATUBATÊ, Tyayro, entre outros. Para este ano, a participação do PATUBATÊ já é certa.

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 16h às 23h

Local: SCN 404/405

 

BABYDOLL DE NYLON

 

Cansados de ouvirem que na Capital do pais não havia carnaval, seis amigos resolveram criar o que chamaram de “menor, mais ridículo e menos promissor bloco de carnaval de Brasília”. A bordo de pequeno carro de som, um hino e pronto. O fato é que o hino – “Baby Doll de Nylon”, de Robertinho do Recife e Caetano Veloso, por si, já é um bloco de carnaval.

Despojado e espontâneo, porém com regras claras – Todos deveriam estar vestidos de baby doll – De hora em hora, uma volta no circuito, ao som do hino; – No som, apenas axé music dos anos 80 e 90, marchinhas e breguiçes.

Eis que a brincadeira cresceu, de poucas 120 pessoas da primeira para 65 mil na sexta. Em 2015, em reconhecimento a tais números e ao indiscutível pioneirismo do bloco na construção do novo carnaval local, o GDF premiou os fundadores pelos serviços prestados à cultura da cidade com o troféu “Mérito Cultural Candango”.

O Babydoll de Nylon é um bloco assumidamente diversificado, livre de preconceitos, inclusivo e defensor ferrenho da liberdade e da tolerância. Por isso, o reduzidíssimo número de ocorrências policiais, sendo zero registros graves até hoje, mostrando um comportamento diferenciado de foliões que estão ali exclusivamente para se divertir, é comemorado a cada ano.

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 13h às 19h

Local: Praça do Cruzeiro

 

BEM MEB

BEM MEB/Divulgação

De um site o BEMMEB, um catálogo de música com fotos, entrevistas e textos sobre a cena eletrônica da cidade, surgiu a ideia de criar um Bloco dedicado à vertente musical que ferve as pistas de dança da cidade e tem seus representantes locais espalhados pelo mundo.

Um braço da boate LGBTQ Victoria Haus, o projeto também acontece em outras datas além do carnaval, e alia balada, arte, saúde, gastronomia, workshops de eletrônica, feira de produtos e arrecadação de roupas, sapatos, brinquedos, livros e alimentos, que são encaminhados para a área mais carente de Brasília.

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Saída W da Galeria dos Estados

 

PRESEGUIDAS

Perseguidas/Divulgação

O bloco-protesto-festivo mais libertário e escandaloso da Capital Federal!. Martinha do Coco, Samba Flores e as Batuqueiras vão garantir a alegria das folionas e foliões. DJ Ju Pagul e convidadas seguram a pista do bloco mais feminista da capital. Explicitamente compromissado com a garantia dos direitos humanos, a Perseguidas é uma vadiação livre, que pretende unir a luta feminista à maior folia do planeta, com muito escracho, alegria e liberdade. ()

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

SANTO PECADO

Santo Pecado/Divulgação

Bloco percussivo idealizado por dois irmãos (João Gustavo e Rodolpho “Xéu”) e criado em conjunto com amigos. Com apresentações que acontecem em outros momentos do ano, o Bloco já se apresentou na Torre de TV, Eixão do Lazer, Orlas das Pontes do Bragueto e da JK, Museu da República e Parque da Cidade. No aniversário de um ano, em 2014, arrastaram mais de 5 mil pessoas para a Concha Acústica. ()

Dia: 25 de fevereiro

Horário: das 15h à 0h

Local: Orla da Ponte JK

 

AGONIZA, MAS NÃO MORRE

Batizado pelo samba de Nelson Sargento, baluarte do carnaval carioca, seu nome serve como inspiração para seus foliões – “independentemente do que aconteça, o importante é não deixar a peteca cair, o samba morrer nem a farra acabar”.

Inventado por três boêmios do Carnaval, o “Agoniza, mas não morre” brinda os brasilienses com os elementos mais marcantes das raízes do samba – os batuques cariocas, o espírito boêmio, a nostalgia, a gafieira, o clima de boteco e a alegria.

Dia: 26 de fevereiro

Horário: das 14h às 22h

Local: CLS 312/313

 

EIXÃO 44

O Eixão 44 é um coletivo de mulheres lésbicas do Distrito Federal, sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, tendo como sua única prerrogativa o feminismo e o combate ao racismo, machismo e xenofobia. É um coletivo civil constituído para fins sociais, recreativos esportivos e culturais, destinado a congregar suas associadas e a comunidade.

Dia: 26 de fevereiro

Horário: das 15h à 2hAM

Local: Passagem subterrânea da CLN 215

 

DO PRAZER

Prazer para libertar os corações, representado toda a alegria e diversidade cultural com o novo balancê na discotecagem da DJ Karla Testa, bateria das Batuqueiras, show da banda Maria Sabina e a Pêia e muito mais. Sem desdém com nenhum ritmo brasileiro, a agitação vai ser uma peia de rock´n roll com baião, brega, forró, samba e tem pedrada de rock progressivo com maracatu. Chance de escancarar mensagens de afirmação da identidade brasileira, conscientização política e da necessidade de expansão da mente para valores transcendentais e espirituais de euforia, ansiedade e alegria, com espírito de rebeldia e ousadia da juventude.

Dia: 26 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

CONFRONTO SOUND SYSTEM

Confronto Sound System/Divulgação

Ocupação urbana sem discriminação, popular e democrática. Nasceu em 2004 e desde então é reconhecida por seus frequentadores como o espaço de encontro entre todas as camadas sociais, onde não há estranhamento e todos/todas se divertem sem pudor. As primeiras edições aconteceram na Praça do Povo, no SCS, hoje palco de baladas agitadas, e agora toma de assalto a Praça do Trabalhador, até então esquecida e jamais utilizada para eventos de caráter cultural.

Dia: 26 de fevereiro

Horário: das 15h à 0h

Local: Praça do Trabalhador, no Setor Comercial Sul

 

DO AMOR

Na via S2, com o Bloco do Amor o coração de Brasília vai pulsar azul-e-rosa, espalhando borbulhas de amor purpurinadas pelo asfalto. Um espaço onde todos os afetos se expressem livremente, sem discriminação e com tolerância e respeito.

Do Amor/Divulgação

Dia: 26 de fevereiro

Horário: das 15h às 13h

Local: Via S2

 

CARNAPATI

Bloquinho para a criançada pensado por quem, na cidade, melhor entedo do assunto – a Cia. Teatral Mapati. O Espaço Cultural infantil mais antigo do DF, o Mapati sabe bem como entreter a meninada com brincadeiras lúdicas e culturais. Entre personagens mágicos de contos e histórias brasileiras, o tradicional Carnapati é o ambiente ideal para pais levarem seus pequenos para brincarem o carnaval com segurança e muita arte.

Dias: 27 de fevereiro

Horário: das 10h às 18h

Local: Estacionamento 4 do Parque da Cidade

 

QUADRADO

O Bloco da música autoral do DF, uma iniciativa do Coletivo do Quadrado. Convite para se esbanjar com a qualidade da produção autora da nossa cidade. Um som que tem assinatura específica, identidade e sotaque, feito por gente artista e autônoma do Planalto Central. As presenças confirmadas são Litieh Martins, Wilson Bebel e Nãnan Matos.

Dia: 27 de fevereiro

Horário: das 14h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

CONCENTRA, MAS NÃO SAI

O “Concentra, Mas Não Sai” desfila desde 2001, na 404 norte, reduto da boemia e da malandragem asanortista. Idealizado pelos moradores da própria quadra e de quadras vizinhas, muitos deles envolvidos diretamente com a música e a noite brasiliense.

Desde sua fundação, vários artistas já passaram pelos palcos do Concentra, principalmente quando o bloco começou a realizar e apoiar eventos culturais e sociais na comunidade, como feiras, festa junina, rodas de samba, entre outros.

No carnaval de 2016, o bloco teve seu ponto alto, quando contou com as participações de como Dhi Ribeiro, PATUBATÊ, Tyayro, entre outros. Para este ano, a participação do PATUBATÊ já é certa.

Dia: 27 de fevereiro

Horário: das 16h às 23h

Local: SCN 404/405

 

ACABOU O GÁS

Acabou o Gás/Divulgação

Chegou para se juntar a dois outros blocos, o Aparelinho e o Divinas Tetas, e fez da segunda de carnaval talvez um dos dias mais agitados, formando um verdadeiro mar de foliões e brincantes pelas Praças e Entre Blocos do Setor Bancário Sul. O som sai da Kombi retrô do DJ Nagô – Urukombi, que fica estacionada próxima a vários Food Trucks.

Dia: 27 de fevereiro

Horário: das 15h às 2hAM

Local: Setor Bancário Sul

 

APARELHINHO

Aparelinho/Divulgação

Através das vielas e Praças do Setor Bancário Sul, os caras do Projeto Criolina comandam um carrinho de som alegórico e autônomo, equipado com som, iluminação e gerador, movido a tração humana, comandado por DJs e os percussionistas do Grupo PATUBATÊ. O carrinho, ou Aparelhinho, é uma ressignificação dos trios elétricos baianos, das aparelhagens paraenses, das troças pernambucanas e dos carros alegóricos do carnaval tradicional. Um bloco original, único em Brasília, ao som de clássicos carnavalescos, mesclados à música eletrônica e ritmos latinos, caribenhos, africanos e brasileiros de tom festivo.

Dia: 27 de fevereiro

Horário: das 15h às 23h

Local: Setor Bancário Sul

 

DIVINAS TETAS

Carnaval de Rua 2017
Divinas Tetas/Divulgação

Os tropicalistas das Divinas Tetas foram a revelação do carnaval 2016. Com temas da tropicália em releituras carnavalescas, arrastou um público estimado em 10 mil pessoas, para o Setor Bancário Sul, em plena na segunda feira de carnaval. A folia é comandada por uma banda ao vivo, sobre um palco ao ar livre, formada por 11 músicos, tocando bateria, trombone, sax alto, trompete e sax alto, além é claro dos vocais.

Dia: 27 de fevereiro

Horário: das 17h às 22h

Local: Setor Bancário Sul

 

CALANGO CARETA

Carnaval de Rua 2017
Calango Careta/Divulgação

O Calango Careta é um coletivo cultural que vive durante o Carnaval a sua grande festa pagã e se desfila para colorir a ordem de Brasília com subversão, romper preconceitos e ressignificar espaços. A carnavalização dos batuques e sopros da Banda do Bloco, que se apresenta ao vivo e no chão, tem como apoteose o baixo asa norte (408/9 Norte). Além da Banda, o Bloco tem como convidado especial o Grupo percussivo PATUBATÊ

O bloco estreou ano passado e, desde então, tem crescido em número de participantes e tem se desenvolvido em outras frentes de expressão artística e interação social, por meio de atividades que valorizam a criatividade, o espírito de colaboração, o empoderamento coletivo e a transformação sociocultural da cidade. ()

Dia: 28 de fevereiro

Horário: das 10h às 22h

Local: CLN 408/409

 

ESSA BOQUINHA EU JÁ BEIJEI

Bloco idealizado, encabeçado e organizado por mulheres. A banda, que se apresenta sobre um palco e ao vivo, é composta de 15 nomes femininos da cidade, entre instrumentistas e cantoras. O repertório vai do samba ao afoxé, executado por grandes musicistas. O bloco nasceu para criar um espaço de liberdade e respeito para foliãs.

Dia: 28 de fevereiro

Horário: das 14h às 23h

Local: Via S1, altura do SCS

 

ESPÍRITO CELTA

Carnaval é festa de rua, democrática e popular, certo? Certíssimo! Que tal então experimentar e curtir a ancestralidade e a transcendência da musicalidade celta e medieval? Mãos dadas, num ritual, a roda de dança circular se abre de energia de paz, amor, gratidão e amizade, para renovar o corpo e alimentar o espírito. O Espírito da festa faz encantar pelo folk, música celta e medieval, músicas que alimentam e evocam uma dança espontânea. A promessa e o convite a ousar em fantasias incríveis e surpresas transcendentais.

A música ao vivo é comandada pela banda Kiaulles e mais uma banda convidada, além do DJ Azriel tocando os clássicos da antiguidade.

Dia: 28 de fevereiro

Horário: das 16h às 22h

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

SKA NIEMEYER

Desfila arranjos de consagrados temas carnavalescos como “Cachaça Não É Água”, “Mamãe Eu Quero”, “Vassourinhas”, “Cabelo de Fogo” e outros, com o balanço do Ska Jamaicano. A banda, que se apresenta ao vivo em uma formação combo (uma big band reduzida), convoca pessoas empenhadas em tornar esse projeto audível e catártico.

Dia: 28 de fevereiro

Horário: das 22h às 2hAM

Local: Praça dos Prazeres da CLN 201

 

FILHOS DE ZÉ

Na quarta-feira de cinzas, fechando os dias de folia, os Filhos de Zé promovem  um cortejo afro percussivo e tocam afoxé-ijexá num dos principais centros culturais e cartões postais da cidade e bem próximo ao coração do DF, no Museu Nacional da República. O pai dessa criação é Reinaldo Braz, mestre de bateria desde 1994.

Dia: 1º de março

Horário: das 17h à 0h

Local: Museu Nacional da República

 

RESSACADA DO PATUBATÊ

Carnaval de Rua 2017
Ressacada do PATUBATÊ/Divulgação

Com vários carnavais à frente de alguns blocos e participando de muitos outros, o PATUBATÊ criou a Ressacada. Em um palco, os integrantes do Grupo prometem desfilar alegria e animação em 10 horas de festa, com a participação outros grupos percussivos do DF. ()

O PATUBATÊ já é conhecido do carnaval da Capital que, juntamente com seus alunos da Oficina de Percussão e Bloco Eletrônico, vem arrastando foliões em Blocos tradicionais e alternativos da cidade distribuindo alegria e empolgação. Só neste ano, eles participam de cinco blocos: “Virgens da Asa Norte”, “Suvaco da Asa”, Concentra, Mas não Sai”, “Aparelinho” e “Calango Careta”.

Os que já seguiram seus cortejos, foram embalados por levadas bem brasileiras, como o maracatu, samba, frevo, baião, carimbó, ciranda e tantos outros. Ritmos que certamente estarão nos repertórios dos grupos que se farão presentes nesta 2ª Ressacada de Carnaval.

Dia: 4 de março

Horário: das 10h às 20h

Local: Estacionamento atrás do Conic

 

VILÕES DA VILA

Um desfile de foliões festeiros pelas ruas e vielas histórias da região pioneira de Brasília, a Vila Planalto. Arte e cidadania, democracia e diversidade musical, e respeito ao patrimônio são as marcas deste projeto. Arte e cidadania por realizar de oficinas de percussão e distribuir de livros em ações que ultrapassam as datas do Carnaval. Diversificado e democrático, por acontecer na rua e contar com a participação de vários outros Blocos, alternativos e tradicionais, do carnaval candango. E em respeito ao patrimônio, por valorizar a história dos pioneiros e estimular a preservação.

Dia: 4 de março

Horário: das 14h às 22h

Local: Praça Nelson Corso da Vila Planalto

 

SKA NIEMEYER

Desfila arranjos de consagrados temas carnavalescos como “Cachaça Não É Água”, “Mamãe Eu Quero”, “Vassourinhas”, “Cabelo de Fogo” e outros, com o balanço do Ska Jamaicano. A banda, que se apresenta ao vivo em uma formação combo (uma big band reduzida), convoca pessoas empenhadas em tornar esse projeto audível e catártico.

Dia: 5 de março

Horário: das 14h às 22h

Local: Praça da Igreja do Rosário, na Vila Planalto

 

EIXÃO 44

O Eixão 44 é um coletivo de mulheres lésbicas do Distrito Federal, sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, tendo como sua única prerrogativa o feminismo e o combate ao racismo, machismo e xenofobia. É um coletivo civil constituído para fins sociais, recreativos esportivos e culturais, destinado a congregar suas associadas e a comunidade.

Dia: 11 de março

Local: Estacionamento 7 do Parque da Cidade

Check Also

A CAIXA Cultural Brasília recebe Arnaldo Baptista com seu “Sarau o Benedito?”

A CAIXA Cultural Brasília recebe em seu teatro   Arnaldo Dias Baptista para curta temporada …

%d blogueiros gostam disto: