TEATRO INFANTIL - RIO DE JANEIRO

'Chagall', de Doris Rollemberg

'Chagall', de Doris Rollemberg

Foto: Dalton-Valerio

Roteiro Criança Rio de Janeiro

Por Bruna Amorim - Daniella Cavalcanti Assessoria de Imprensa

Chagall

07 de janeiro a 18 de março de 2012, no CCBB

Espetáculo infantil conta a bela e emocionante história do menino Moshe Segal até o seu reconhecimento como o artista, Marc Chagall

Estreia, no dia 07 de janeiro, no Teatro II do Centro Cultural Banco do Brasil, “Chagall”, mais novo projeto da CIADRAMÁTICADECOMÉDIA. Com texto de Eduardo Rieche, argumento de Doris Rollemberg (indicada ao 5° Prêmio Contigo de Teatro por “A Caolha” e indicada ao Prêmio Zilka Sallaberry por “Leonel Pé de Vento”, ambos em 2011) e direção de João Batista, a companhia apresenta às crianças a obra do grande artista, Marc Chagall, e sua bela e emocionante história, que o acompanhou desde menino e que influenciou, decisivamente, seus trabalhos como pintor. No elenco, João Velho, Cristina Lago, Cleiton Rasga, Eduardo Rieche, Sergio Kauffmann e Sonia Praça.

O espetáculo ainda conta com direção de movimento de Márcia Rubim, figurino de Mauro Leite (indicado ao 5° Prêmio Contigo de Teatro 2011 por “A Caolha”), direção musical de Marcelo Alonso Neves, iluminação de Renato Machado e preparação vocal de Paula Leal, do grupo “Chicas”.

Com a montagem de Chagall, a CIADRAMÁTICADECOMÉDIA prossegue com algumas questões trabalhadas em suas últimas encenações para o público adulto, Bartleby, o escriturário (2011); A Caolha (2010) e O Homem da Cabeça de Papelão (adaptação de conto homônimo de João do Rio, um dos melhores espetáculos de 2008 no Rio de Janeiro, segundo O Globo): a inadequação, ou não, do homem à vida em sociedade e o relacionamento do indivíduo com o seu meio.

Sobre o espetáculo

A vida de Moshe Segal é fascinante e a obra de Marc Chagall, ímpar. Definições, rótulos ou interpretações não esgotam a versátil e vasta produção. Chagall é o artista lírico na vanguarda pictórica. Suas pinturas transcendem o domínio do ponderável, onde reconhecemos a fantasia, a vida e o sonho, tempos distintos co-exitindo lado a lado. Suas telas imprimem uma inesgotável capacidade evocativa povoadas de intensas memórias. Sua atuação nas artes é multidisciplinar: Chagall é pintor, poeta, cenógrafo, muralista, ilustrador, além de renovador da arte dos vitrais.

A obra de Chagall é marcada pela ótica de um pintor-poeta que atravessa uma Revolução (1917) e duas grandes guerras. Dessa forma, reconhecemos importantes denúncias de injustiças sociais em sua colorida pintura. Chagall sabe que a arte é capaz de ‘satisfazer os olhos e despertar a mente’.

A noção de se inventar foi imprescindível para ele. Uma criança pobre e judia que habita um mundo cujo acesso à educação e ao ‘simples’ ir e vir lhe são negados. A ideia da necessidade de se inventar, de construir uma imagem aguda, é uma potente contradição entre o sentimento de não pertencimento e de estranhamento com a obrigatoriedade de se fazer enxergar. Moshe Segal precisou se inventar para se tornar Marc Chagall.

“É atual e oportuno falar de exclusão e estranhamento para crianças. Ainda mais interessante quando esses assuntos podem ser tratados revelando como a fantasia, a ousadia, o sonho e a Arte podem conviver com o sentimento de não pertencimento e mesmo oferecer outros horizontes. É possível e maravilhoso desenhar um rosto verde”, afirma Doris Rollemberg.

Local: Centro Cultural Banco Brasil – Teatro II
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Tel.: 3808-2020)
Bilheteria: Terça a domingo, das 09h às 21h
Horários: sábados e domingos, às 16h
Ingresso: R$ 6,00
Classificação: Livre
Duração: 60 minutos
Temporada: 07 de janeiro a 18 de março

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet