PUBLICIDADE

Teatro São Paulo

TEATRO - SÃO PAULO

Confissões das Mulheres de 30 de "Domingos de Oliveira"

Confissões das Mulheres de 30

Foto: divulgação

Teatro União Cultural. (262 lugares). Rua Mario Amaral, 209, Paraíso

Por Assessoria de imprensa:
Lu Cassas & Lica Nielsen

Confissões das Mulheres de 30

Temporada: 21 de janeiro a 24 de abril de 2011

A peça Confissões das Mulheres de 30, com Juliana Araripe, Camila Raffanti e Domingas Person, reestreia em 21 de janeiro no Teatro União Cultural, no Paraíso (metrô Brigadeiro). Preocupações, amores e temores das mulheres de 30 são vividos com doses generosas de humor pela tríade. Apresentações sextas, 21h30, sábados, 21h, e domingos, 20h, até 24 de abril.

Com linguagem direta, confissões recém-nascidas e bem-humoradas reforçam a dramaturgia de Domingos de Oliveira. A comédia sobre a rotina feminina nesta etapa da vida volta com quadros praticamente inéditos (pouco apresentados).

Entre eles, o que as personagens das três atrizes viram figuras patéticas em uma pista de dança. “Na balada, elas reproduzem um passo de lambada, ou de uma aula de jazz (com polaina), lembrando como faziam na adolescência. Como as mulheres de 30 têm outros interesses (além de se divertir), nesta situação, elas caem no ridículo, provocando o riso na plateia”, fala Juliana Araripe.

O diretor carioca Eduardo Wotzik é o responsável pela supervisão geral, que busca conferir às intérpretes total liberdade. “A meta é que elas possam contar suas histórias da maneira mais autoral e original possível, já que têm conhecimento da causa”, afirma. 

 A fórmula “colou”. A peça foi vista por mais de 125 mil pessoas. O fôlego do espetáculo que completará três anos em cartaz em abril se deve ao “tema (mulheres em crise), à qualidade de comunicação cênica do texto, ao carisma das atrizes e, principalmente, àquilo que não se explica no teatro e que se chama mistério”, conclui Wotzik.

Confessionário

O Coletivo de Criação Mano que Da Hora, grupo de artistas da área de música, foto, vídeo e teatro, do qual Camila e Juliana fazem parte, assina a direção. O cenário do artista plástico Cholito Chowe é uma ambientação onírica para os depoimentos realistas.

As personagens fazem piada com questões do universo feminino, como descontrole emocional, filhos, primeiro namorado após a separação e trabalho. “A comédia alivia o peso do cotidiano. É importante para a mulher viver momentos em que se distancie dos problemas. Rir cura”, diz Camila Raffanti.

Para ter um canal direto de comunicação com o público, ela e Juliana Araripe mantêm o blog www.mulheresreais.blog.br, que recebe cerca de 500 visitas semanais, com cinco minutos de permanência em média. Nele são divulgadas promoções de ingressos e de brindes, como camisetas com frases retiradas do texto da peça. “Aqui contamos nossas próprias histórias e temos uma seção chamada Confessionário, onde as internautas dão seus testemunhos. Parte do conteúdo servirá de matéria-prima para nosso novo espetáculo”, conta Juliana.

A comédia entrou em cartaz em 29 de abril de 2008 em Campinas, no teatro Tim, e semanas depois, em junho, em São Paulo, no Teatro Folha, onde permaneceu até 27 de junho de 2010. No mesmo ano, cumpriu temporada no teatro Gazeta, na avenida Paulista, entre 2 de julho e 8 de agosto, e no teatro Jardim São Paulo, na zona Norte, de 21 de agosto a 10 de outubro.

Sua primeira montagem, com Maitê Proença, Dedina Bernadelli, Clarice Niskier e Priscilla Rozenbaum, estreou em 1992, no Rio de Janeiro. A sinceridade é o ponto forte do texto escrito a partir da colaboração das quatro atrizes do elenco original.

“O resultado é teatro depoimento, que eu não inventei, mas apliquei. Os textos apareciam em conversas, mesmo sem ser escritoras, as atrizes botavam no papel suas experiências íntimas e eu copidescava, dando uma forma teatral”, conta Domingos de Oliveira.

A narrativa repleta de humor busca a identificação com o público. “São histórias que já passamos ou conhecemos alguém que as viveu” afirma Domingas Person.

Ao longo de sua trajetória, a peça já foi vista por cerca de meio milhão de pessoas, em São Paulo, Rio de Janeiro, América Latina, Espanha e Portugal.

Ficha técnica
Dramaturgia: Domingos de Oliveira
Textos originais: Clarice Niskier, Priscilla Rozenbaum, Domingos de Oliveira, Dino Menasche, Lenita Plonczinski, Dedina Bernardelli, Cacá Mourthé, Clarice Derzié, Maitê Proença e Juliana Araripe
Supervisão geral: Eduardo Wotzik
Direção: Coletivo de Criação Mano Que da Hora
Com Juliana Araripe, Camila Raffanti e Domingas Person

Confissões das Mulheres de 30. Temporada: 21 de janeiro a 24 de abril.
Local: Teatro União Cultural. (262 lugares). Rua Mario Amaral, 209, Paraíso (metrô Brigadeiro).
Telefone (11) 2148-2904 e site: www.uniaocultural.com.br
Horários: Sexta-feira, 21h30, sábado, 21h, e domingo, 20h.
Ingressos: R$50,00 (sexta e domingo) e R$60,00 (sábado).
(50% estudantes, aposentados e terceira idade).
Duração: 90 minutos
Indicação etária:
14 anos
Bilheteria: quarta a domingo, das 13h às 21h. Aceita cheque e cartão de débito e crédito (Visa, Visaeletron, Mastercard, American Express e Redeshop).
Vendas pelo telefone (11) 4003-2330 ou pelo site www.ingresso.com  
Acessibilidade para portadores de deficiência física. Ar condicionado.
Estacionamento conveniado, rua Teixeira da Silva, 540, R$ 15 pelo período do evento.

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet