JPG Oferta da Semana 300x250 VI
JPG Oferta da Semana 300x250 VI
300x250_zanox_Oferta da Semana

DANÇA - RIO DE JANEIRO

Umbigar

Companhia Urbana de Dança

Foto: divulgação

Roteiro cultural Rio de Janeiro

Por Mônica Villela / META Companhia de Imprensa

Espetáculo Umbigar, no Centro Cultural Justiça Federal

16 de novembro a 01 de dezembro de 2011 - Quartas e quintas

No dia 16 de novembro, às 19h, estreia o espetáculo Umbigar, no Centro Cultural Justiça Federal, com direção de Paula Águas e Natasha Mesquita, e performance de Juliana Manhães, atriz, dançarina, performer e doutoranda em cultura popular. Este espetáculo foi contemplado com o edital de montagem Funarte Klauss Vianna 2010.

Inspirado nas pulsações das danças de umbigada afro-brasileiras (jongo, coco, samba de roda, lundu e tambor de crioula), o espetáculo “Umbigar” revela o universo feminino a partir da gestualidade que vem dos movimentos do umbigo, fazendo menção aos ciclos de vida e morte. Ao misturar os elementos da dança popular por meio da linguagem contemporânea, os movimentos são desconstruídos e fundidos a uma sonoridade autoral, ao vivo.

De origem africana, da nação Banto, a umbigada vem de semba, batuque, hoje o samba. Neste contexto, o espetáculo utiliza movimentos a partir de tais danças, trazendo uma corporalidade por meio do nosso centro de energia, a região do ventre, pélvica, nosso umbigo, utilizando técnicas de improviso onde o contemporâneo é mesclado ao tradicional, tendo sido a trilha sonora concebida simultaneamente à criação coreográfica.

A montagem foi desenvolvida a partir da metodologia de um treinamento corporal com os ritmos estudados através de estímulos, jogos e criação de partituras de movimento, em conjunto com a trajetória das reconhecidas bailarinas contemporâneas Paula Águas e Natasha Mesquita, e a concreta experiência de Juliana Manhães, que há 11 anos dança em um boi tradicional do Maranhão (Boi da Floresta do Mestre Apolônio Melônio).

A finalidade é experimentar este corpo brincante a partir da pesquisa de danças populares, que se movimenta em todas as regiões do país, se apropriando de uma identidade com matrizes ancestrais.

O espetáculo segue uma linha minimalista em que os maiores recursos utilizados são a música, o corpo, o jogo de iluminação e tecidos, concentrando as atenções do público na poesia e na dança. Juliana conta com o apoio e a presença constante no palco do músico Sergio Castanheira.

Direção Cênica: Paula Aguas e Natasha Mesquita
Perfomance: Juliana Manhães e Sergio Castanheira
Realização: EmCartaz Empreendimentos Culturais

Serviço:

Local: Centro Cultural da Justiça Federal (Avenida Rio Branco, 241. Centro)
Horarios: quartas e quintas, às 19h
Ingresso: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia - estudantes, idosos, artistas (com registro profissional), professores da rede pública.
Duração: 45 minutos
Classificação etária: Livre
Datas: 16 e 17, 24 e 25, 31/11 e 1º de dezembro de 2011

Bate papo: Troca de saberes no dia 17 de novembro com a diretora Paula Aguas, a performer Juliana Manhães e Laís Bernardes (Grupo Zanzar) e dia 24 de novembro com a diretora Natasha Mesquita, Juliana Manhães e Rosa Reis (Laborarte - Cacuriá Dona Teté).

Por Bruna Amorim - Daniella Cavalcanti Assessoria de Imprensa

Ivana Menna Barreto, sem o que você não pode viver

25 de novembro a 11 de dezembro de 2011

Ivana Menna Barreto, sem o que você não pode viver

Foto: João Penoni

Dia 25 de novembro estreia, na Sala Multiuso do Espaço Sesc, o novo espetáculo de Ivana Menna Barreto, “sem o que você não pode viver?”, um testemunho particular a partir da memória do outro, isto é, a partir de movimentos, imagens, escrita ou fala deixada por alguém.

Fruto de uma pesquisa interativa sobre a vida cotidiana de pessoas em diversas cidades e países, que envolveu encontros pessoais e virtuais e resultou em amplo material audiovisual, o trabalho é constantemente modificado e rearticulado em cena, partindo da questão: o que é possível fazer com aquilo que temos, ou com o que nos foi dado? A coreografia, que acontece em meio aos espectadores, é uma tentativa de resposta, numa composição das sobras que restaram de outros corpos.

A composição deixa também espaço, ao final, para a participação de outro artista, a cada temporada, convidado a criar algo a partir do que viu. Este novo registro poderá ser mostrado no mesmo dia, ou em apresentações futuras, dependendo da natureza da criação de cada um.

De acordo com Ivana, o trabalho foi feito a partir de um encontro, tanto por e-mail como presencialmente, com pessoas de várias cidades como, Rio de Janeiro, Sorocaba, Buenos Aires, Copenhage, Salerno, Tampa, Paris, Nova York, entre outras.

“Pessoas caminhando no frio, no calor; observando o mar ou esperando o trem; me contando em seu quarto, ou numa sala, quais as coisas sem as quais não podem viver; dançando sozinhas ouvindo num ipod suas músicas preferidas; escrevendo uma carta; ou tentando lembrar qual a coisa mais importante do seu dia. A performance foi então construída como testemunho particular, a partir da memória do outro: movimentos, imagens, escrita ou fala deixada por alguém”, afirma a bailarina.

Este projeto foi contemplado pelo edital de Apoio à Pesquisa e Criação Artística, 2010, da Secretaria de Estado de Cultura do RJ.

Criação e interpretação: Ivana Menna Barreto

Local: Espaço Sesc – Sala Multiuso (Rua Domingo Ferreira, 160 – Copacabana)
Informações: 2547-0156
Horários: sexta e sábado, às 20h, e domingo às 19h
Ingressos: 20,00 (inteira), 10,00 (meia-entrada) e 5,00 (associados SESC Rio)
Bilheteria: de terça a domingo a partir das 15h e vendas antecipadas até 19h
Capacidade: 80 lugares
Classificação: 18 anos
Duração: 45 minutos
Temporada: 25 de novembro a 11 de dezembro de 2011