Teatro - São Paulo

TEATRO - SÃO PAULO

E DAÍ? EU CANTO CONTANDO ESTRELAS

E DAÍ? EU CANTO CONTANDO ESTRELAS

Foto: divulgação

MINITEATRO - Praça Roosevelt

Por Flavia Fusco

E daí? Eu Canto contando Estrelas

Temporada até 10 de dezembro

As rainhas paulistas do rádio são homenageadas por Silvia Handroo em monólogo musical encenado em dois atos, um de interpretação e outro de releitura das canções, todas as sextas-feiras no Miniteatro.

Depois de uma intensa pesquisa de repertório e partindo de material inédito com entrevistas e reportagens sobre uma rainha do rádio paulista, a cantora e atriz Silvia Handroo e o produtor e diretor Kleber Montanheiro elaboraram o roteiro do espetáculo E daí? Eu Canto contando Estrelas. O monólogo musical prorroga sua temporada às sextas-feiras, até o dia 10 de dezembro, às 21h30 no Miniteatro.

No primeiro ato, Sílvia interpreta uma personagem inspirada numa rainha do rádio paulista. Na segunda parte, há uma releitura das canções que ficaram famosas nas vozes dos anos 40.

Entre pot-porris, interpretações e releituras, são mais de 22 músicas em homenagem a essas mulheres. O roteiro inclui sucessos como A Baratinha, Mensagem, Teleco-teco, Contando Estrelas, Adivinhe Coração, Samba da Madrugada e Deixa pra Lá.

Cenário, música e figurino

Kleber Montanheiro optou por uma montagem cenográfica intimista. No centro do palco, nada mais do que uma mesa, uma cadeira e um pequeno banco. Sobre a mesa, bolachas e a bebida favorita de uma das cantoras: conhaque. Tudo isso para reforçar a idéia de aconchego, como se Silvia estivesse se apresentando para o público da sala de sua casa, revelando a intimidade dessas mulheres, explica Kleber, que, além de diretor e cenógrafo, também assina o figurino.

O trio musical é composto por Beto Sodré na percussão, Ari Nascimento no baixo e Alexandre Cueva no violão. Os músicos que trabalham com Silvia desde a primeira versão do show, em 2002 são uma engrenagem fundamental para a execução do projeto, já que, em parceria com a cantora, arranjaram, improvisaram e brincaram em cima de todo o set list da segunda parte do monólogo musical, composta apenas por releituras das canções originais.

Da mesma forma como o espetáculo é dividido, o mesmo acontece com o figurino. Em um primeiro momento, por termos uma Silvia encarnada na figura de uma cantora, imitando os trejeitos da época de ouro do rádio e nada mais natural do que um vestuário que acompanhe essa transformação. Portanto, Silvia sobe no palco caracterizada como uma típica cantora de rádio da década de 40, com uma saia sobreposta, luvas e um belo arranjo de cabeça.

Para marcar o começo da segunda parte da peça, exatamente na metade da música Mensagem, executada de forma instrumental nesse importante momento, a protagonista vai se livrando do figurino aos poucos. Arranca as luvas características, o adorno no cabelo e a saia. Chegou a hora de incorporar ela mesma, a artista Silvia Handroo, agora trajando uma calça pantalona preta.

Sobre Silvia Handroo

Formada em composição e regência pela Unesp e durante três anos integrante do Coral do Teatro Municipal, Silvia Handroo decidiu levar o repertório de Isaurinha Garcia para os estúdios em 2002, ao receber um largo material de uma amiga. Escolheu 15 canções da cantora, entre elas as clássicas Mensagem (que valeu a Isaurinha o apelido de Rainha dos Carteiros) e Risque para rechear o álbum Personalíssimo Coração, que chegou ao mercado em 2003 e teve participação Zé Renato e Maria Alcina.

Sobre Kleber Montanheiro

Prêmio APCA 2008 de direção pelo espetáculo infantil Sonho de Uma Noite de Verão e Prêmio Femsa 2009 de direção por A Odisséia de Arlrequino, Kleber Montanheiro é o tipo de profissional cujo talento todo mundo reconhece, mas que o rostinho fica nos bastidores. Além de diretor, é figurinista, cenógrafo, iluminador e ator. Pouca gente sabe que são dele os criativos figurinos da peça Cada um com seus Pobrema (com Marcelo Médici). Dirigiu o espetáculo A Odisséia de Arlequino, o terceiro da trilogia Clássicos para Menores, que começou com O Doente Imaginário e continuou com a peça Sonho de Uma Noite de Verão. Pelas produções infantis, foi indicado por sete anos consecutivos ao prêmio FEMSA, nos últimos três por - figurino, cenografia e direção por O Doente Imaginário, e direção e figurino por Sonho de Uma noite de Verão e A Odisseia de Arlequino.

E daí? Eu Canto contando Estrelas - Texto – Silvia Handroo e Kleber Montanheiro. Direção – Kleber Montanheiro. Direção musical – Silvia Handroo. Temporada prorrogada até 10 de dezembro – sextas-feiras às 21h30. Figurino e Cenário - Kleber Montanheiro. Duração – 90 minutos. Capacidade – 50 lugares. Ingressos – R$30,00. Classificação etária - 14 anos.

MINITEATRO - Praça Roosevelt, 108. Horário de funcionamento da bilheteria: sexta-feira - a partir das 19 horas, sábados e domingos – a partir das 18 horas. Ar condicionado. Capacidade: 50 lugares. Telefone: (11) 3255-0829. Aceita cartão de débito.