Cultura São Paulo

EXPOSIÇÃO SÃO PAULO

Frida Baranek abre EXTERIORES com obras inéditas

Frida Baranek abre EXTERIORES com obras inéditas

Divulgação

Gabinete de Arte Raquel Arnaud

Exposição

Frida Baranek abre EXTERIORES com obras inéditas

A partir de 8 de agosto, 12h, até 19 de setembro de 2009

A partir do dia 8 de agosto, sábado, 12h, o Gabinete de Arte Raquel Arnaud abre a exposição da arquiteta, gravadora e escultora carioca Frida Baranek. Na exposição EXTERIORES a artista traz ao público trabalhos inéditos, concebidos em um momento extremamente singular de sua trajetória: a construção de esculturas especialmente voltadas para áreas externas, criando, além de um objeto físico, um espaço de interação e contemplação. O texto crítico da exposição foi assinado por Camillo Osório, Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Professor de Estética e História da Arte no Departamento de Teoria do Teatro da Universidade do Rio de Janeiro. Exteriores fica aberta até 19 de setembro de 2009.

A idéia de trabalhar objetos focados em exteriores sempre atraiu a artista. Suas novas obras retratam justamente a necessidade de Frida em aprofundar-se no assunto. A principal fonte de inspiração foram as árvores, mais precisamente a relação do vento com elas, o que Frida chama de “tensão entre flexibilidade e resistência”. Concentrada nestas impressões, Frida criou, por exemplo, um deck de madeira sobre uma estrutura de ferro, apoiado de forma fixa sobre um tubo, proporcionando um movimento como o de uma gangorra (para cima e para baixo ao girar do tubo).

Nessa escultura, com formato retangular de 2x4 metros, o tubo está exatamente no meio, criando um ponto de equilíbrio, onde a peça parece flutuar, movendo-se apenas com o vento. A partir do momento em que o público interage e sobe na peça (sentadas ou deitadas), a tensão da procura do equilíbrio se transfere para as pessoas. Seria esta uma forma quase plástica de transferir ao público a sensação das árvores sendo tocadas pelo vento? “Quando o corpo se equilibra ele se entrega e aproveita. Gosto do aspecto da tensão e do prazer, pois é interessante provocar esses sentimentos através de um objeto”, pontua a artista. Uma das características mais marcantes do trabalho de Frida Baranek é a capacidade de transformar seu pensar artístico em esculturas ou em uma nova realidade. Artista da Geração 80, como Ana Maria Tavares, Angelo Venosa, Nuno Ramos, Paulo Monteiro e Sergio Romagmolo, Frida trabalha com freqüência as questões relacionadas ao equilíbrio e o desequilíbrio. Um dos trabalhos mais emblemáticos e que ilustram esse pensamento data de 1985, na qual um balão vermelho sustenta uma pedra, dando a impressão de desafiar a gravidade.

Biografia

Frida Lidia Baranek (Rio de Janeiro/1961) é escultora, arquiteta e gravadora. Estudou escultura, entre os anos de 1982 e 1984 com João Carlos Goldberg e o artista plástico Tunga na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Formou-se em arquitetura pela Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, em 1983. Em 1984, iniciou pós-graduação em escultura pela Parsons School of Design, em Nova York. Atua com gravura e predominantemente com escultura. Em suas obras emprega materiais industrializados, como placas, hastes e fios de ferro ou aço, que muitas vezes são previamente expostos à ação do tempo, de maneira a perder sua aparência original.

Exposição “EXTERIORES”

Gabinete de Arte Raquel Arnaud
A partir de 8 de agosto, 12h, até 19 de setembro de 2009.

Horário: Segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h. Grátis.
Rua Arthur Azevedo, 401 - Pinheiros, São Paulo, SP. Fone: 011 3083 6322
www.raquelarnaud.com

Horário: Segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h. Grátis. Rua Arthur Azevedo, 401 - Pinheiros, São Paulo, SP. www.raquelarnaud.com

Informações para a imprensa
Canal Aberto – 11 2914 0770/ 3798 9510 / 9126 0425 – Márcia Marques
www.canalaberto.com.br

Histórico Frida Baranek

Nascida no Rio de Janeiro, em 1961, talvez a paixão de Frida pela matéria prima que constrói toda a sua obra,  como ferro, madeira, pedras, aço inox, tenha vindo de seu pai,  que trabalhou como engenheiro e sua família que atuava no ramo madeireiro. Foi Incentivada pelo pai a estudar arquitetura, mas em 1980, na faculdade surgiu a idéia, “obsessiva”, segundo ela, de que precisava estudar escultura. “Quando comecei a fazer projetos de arquitetura, a tendência natural era parecerem esculturas ou instalações”, explica. Em 1984 Frida fez parte do grupo de  123 artistas que participaram da exposição “Como vai você, Geração 80?”, realizada na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, um marco para a época.  O objetivo dos curadores era trazer à tona a produção variada situada nos anos 80. Deste evento, despontaram para o mercado artistas como Ana Maria Tavares, Beatriz Milhazes, Daniel Senise, Gonçalo Ivo, Leda Catunda, Leonilson, entre outros. Após sua participação nesta exposição, Frida matriculou-se no programa de mestrado da Parsons Scholl of Design de New York.

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet