Teatro - São Paulo

TEATRO

Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia 2010

Por Adriana Balsanelli / Arteplural Comunicação

FilTE Bahia 2010 pretende incluir Salvador no circuito de festivais de teatro contemporâneo

De 09 a 19 de setembro de 2010

Na programação da 3a edição, o Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia 2010 apresenta mais de 50 atividades, montagens inéditas e diversidade de ações, sendo 20 espetáculos internacionais, 12 nacionais, lançamento de livro e a presença do diretor italiano Eugenio Barba, artista mundialmente reconhecido. Serão mostrados espetáculos do Peru, Espanha, Chile, Dinamarca, uma produção conjunta de Cuba e EUA, outra do Rio Grande do Sul, além de grupos baianos. Evento foge do eixo Rio-São Paulo, fazendo um recorte que busca colocar a Bahia na rota das mostras de teatro latino-americanas com um evento de porte.

Tendo como convidados especiais o dramaturgo Eugenio Barba, o Grupo Lume (de Campinas) e o Odin Teatret (da Dinamarca), o Filte Bahia 2010 – que nesta 3a edição homenageia o grupo peruano Yuyachkani pelos 40 anos de carreira - acontece entre os dias 9 e 19 de setembro, em 11 espaços de Salvador, entre eles no Teatro Vila Velha, no Sesc Senac Pelourinho, na Praça Municipal e na Praça Campo Grande.

O Filte 2010 - que contempla exclusivamente teatro de grupo - cresceu e movimentará Salvador durante 11 dias, envolvendo mais de 50 ações e incluindo cerca de 30 apresentações em diversas salas e praças, além de outras atividades, como cursos, Demonstrações de Trabalho, Lançamento do Volume 3 e 4 da Coleção Dramaturgia Latino-Americana e o lançamento da Revista de Teatro Boca de Cena, que terá uma edição semestral. Assim como nas outras edições, a diversidade de ações marcará o Festival. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e algumas apresentações são gratuitas.  

Reconhecido internacionalmente, um dos grupos mais importantes do continente latino-americano, o Yuyachkani apresenta 7 espetáculos, 9 demonstrações de trabalho, uma conferência e 3 encontros com outras companhias e artistas do teatro mundial no projeto Mostra Yuyachkani. O Grupo Lume, de Campinas, comemora 25 anos no evento e participa com 4 espetáculos, 2 demonstrações de trabalho e dois cursos, no projeto de residência teatral itinerante Casa Lume.

O festival traz, ainda, a peça O Castelo de Holstebro, do grupo europeu Odin Teatret, por seu diálogo constante com as novas tendências do teatro latino-americano contemporâneo. A companhia, fundada em Oslo, Noruega, por Eugenio Barba, criador também da Escola Internacional de Teatro Antropológico, atua desde os anos 60 em Holstebro, na Dinamarca. Além do espetáculo citado acima, outros inéditos de vários grupos serão apresentados: Adeus Ayacucho, Con-cierto OlvidoTales of the Body e Degustação .

Na programação de 2010, o Filte mostra 20 espetáculos internacionais e 12 nacionais. Serão apresentados espetáculos do Peru, Espanha, Chile, Dinamarca, uma produção conjunta de Cuba e EUA, além de grupos do Rio Grande do Sul, São Paulo e Bahia.  Na grade acontece, ainda, o projeto Mostra Baiana de Teatro de Grupo (com dez espetáculos, entre eles Batata!, Genesius, O Caçador de Sonhos, Uma Vez Nada Mais, Lavando a Alma e Tataravô).

Outras atividades programadas são encontros entre artistas, lançamentos de livros, revistas e catálogos, assim como a Roda Baiana de Dramaturgia Teatral, a Roda Baiana de Grupos Teatrais e a Academia Itinerante de Teatro, com pesquisadores de várias partes do mundo desenvolvendo o tema de Memória e Representação.

Com direção artística do cubano Luis Alberto Alonso, direção de produção de Rafael Magalhães e produção geral da Oco Teatro Laboratório e Carranca Produções Artísticas, o evento tem apoios da Caixa Econômica Federal (por meio do edital de Festivais de Teatro e Dança), do Governo da Bahia (por intermédio do Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado) e da Fundação Gregório de Matos.

Intercâmbio

“A estrutura do Festival está maior, com mais espaços. Não pretendemos apenas apresentar espetáculos. Além de estimular a formação de plateia, buscamos construir um trabalho de formação com todos os envolvidos”, destaca o diretor cubano, radicado na Bahia, Luis Alberto Alonso.

O Festival Latino-americano de Teatro da Bahia foi criado a partir da necessidade de um intercâmbio artístico-teatral dos países latino-americanos com o teatro brasileiro. "Estes países em sua maioria têm uma história de conquista espanhola, mas com similar processo e trajetória de miscigenação. A realização de uma mostra de trabalho teatral desta natureza nos instiga a conhecer um pouco mais de nós, brasileiros latino-americanos. É uma iniciativa pioneira na Bahia e no Nordeste (já que contamos somente com a Mostra de Teatro Latino-americano de São Paulo)", afirma Luis Alberto Alonso.

Para o ator e produtor Rafael Magalhães, que divide a coordenação do Filte com Luis Alberto Alonso, um dos objetivos do evento é buscar formas originais de expressão teatral, o que reflete na escolha dos grupos convidados. “Priorizamos grupos que desenvolvem uma pesquisa de linguagem própria e constroem sua identidade por meio da coletividade. Esses grupos concentram seus interesses na cultura de onde estão inseridos e se engajam num processo interdisciplinar e intercultural”, afirma Rafael. 

Grupos de pesquisa

Sobre a linha curatorial, o diretor artístico explica que "priorizou a produção de grupos de pesquisa, com novas formas de expressão, maneiras diferentes de pensar o teatro, de tecer a estrutura dramática, de costurar a performance. Grupos que pensem a arte fora dos moldes e cânones acadêmicos, quebrando os espaços que cercam o teatro”.

Para Luis Alberto, "um festival como este é de vital importância, já que por meio dele é gerado um diálogo entre artistas locais, nacionais e estrangeiros, sobretudo quando o universo das artes cênicas está centrado na cultura latino-americana. Somos o primeiro festival internacional de Salvador e do Nordeste com estas características, focado na reunião de grupos de teatro que desenvolvem uma pesquisa diferenciada", analisa o diretor artístico do evento, Luis Alberto Alonso. "A proposta é incluir Salvador na rota de discussão do teatro contemporâneo, considerando as produções nordestinas e fugindo do eixo Rio x São Paulo.”

Para Luis Alberto Alonso, o teatro que se realiza na América Latina é diferenciado. "É importante destacar que existem importantes pesquisadores que falam de teatro pós-dramático no mundo colocando como referência somente exemplos europeus, quando Brasil, Peru, Argentina e Cuba, entre outros tantos países, desenvolvem uma maneira de exercitar um teatro na procura de novos horizontes há muito tempo."

"Como iniciativa inédita, a Bahia e o Norte/Nordeste oferecem casa e espaços para o convívio com a arte teatral latino-americana e abrem suas portas para um Nordeste ansioso de culturas mantenedoras das suas próprias tradições", diz o diretor artístico do festival.

Para ele, "há alguns anos a discussão de teatros de grupo tem destacado importantes questões sobre o fazer teatral e a produção dos espetáculos em nosso país. A luta dos grupos de teatro para manter um trabalho contínuo com seus coletivos é por si só um “estar fora do eixo”. Mas somente o estar “fora do eixo’ não basta, pois esses grupos do Brasil estão localizados na sua maioria em São Paulo e seria uma iniciativa relevante trazer essa discussão de grupos teatrais do Brasil e Latino-americanos a um Estado Nordestino, carente de eventos desta natureza".

Trajetória

Na edição de 2008, o Filte trouxe para Salvador grupos de Cuba, Equador, México, Peru, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Pernambuco, além de cidades da Bahia, em um total de 15 espetáculos, a Feria do Livro, debates, palestras, conferências e demonstrações de trabalho em parceria com o Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste (projeto independente do Festival Latino-Americano), 4 cursos ministrados  de forma gratuita e um encontro com realizadores teatrais da América Latina. Os artistas convidados tiveram encontros diários com os artistas locais, propiciando, assim, a difusão do trabalho e intercâmbio de ambas as partes. 

Em 2009, o Filte já cresceu. Foram para Salvador grupos da Bolívia, Colômbia, Cuba, Equador, Argentina, Estados Unidos e Espanha, além dos de São Paulo, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e locais. Nesse ano firmou parceria com a Universidade Federal da Bahia por meio do Programa de Pós- Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) e fez aliança com o Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste (Nortea). Em atividade paralela, realizou 10 conferências com pesquisadores do Canadá, Estados Unidos, Colômbia, Peru, Espanha, França, Cuba e Bolívia. Houve encontro com os diretores de festivais internacionais, como representantes do Festival Ibero-Americano de Cádiz-Espanha, do Festival Hispano-Americano de Miami-EUA, do Festival Internacional de Teatro ‘OUTRO’-Murcia-Espanha, do festival Internacional de Teatro experimental de Quito-Equador.

Espaços culturais e grupos internacionais 

O Filte 2010 vai percorrer dez espaços culturais em Salvador. Entre os locais escolhidos para a realização do evento estão o Teatro Vila Velha (Palco Principal, Cabaré e Salas de Ensaio), Teatro Castro Alves (Sala Principal e Sala do Coro), Teatro Martim Gonçalves, SESC Pelourinho, Espaço Cultural Barroquinha, Centro Cultural Plataforma. Haverá, ainda, apresentações gratuitas em praças públicas no Pelourinho e nas praças Municipal e do Campo Grande.

Entre os grupos internacionais que se apresentarão no Filte 2010 estão BoanDanz Action (Cuba-Estados Unidos), Yuyachkani (Peru), Au Ments (Espanha), Cia Viaje Inmóvil (Chile), Odin Teatret (Dinamarca). Entre as companhias brasileiras estão a Lume Teatro (São Paulo), Pia Fraus (São Paulo), O Quixote (São Paulo), In.Co.Mo.De-Te (Rio Grande do Sul). Da Bahia, integram o evento os grupos Dimenti, Cia Cabriola de Teatro, Finos Trapos, Groove Studio Teatral, Teatro Griô, Teatro Nu, Outra Cia de Teatro e  Palhaços para Sempre.

Espetáculos convidados
1.             Falso Testemunho – BoanDanz Action – Cuba-Estados Unidos
2.             Peru-Vitrines para um Museu da Memória – Yuyachkani-Peru
3.             Rosa Cuchillo – Yuyachkani – Peru
4.             Adeus Ayacucho – Yuyachkani – Peru
5.             Con-cierto Olvido – Yuyachkani – Peru
6.             Os Músicos Ambulantes – Yuyachkani – Peru
7.             O Último Ensaio – Yuyachkani – Peru
8.             Confissões – Yuyachkani – Peru.
9.             Kelbilim, o cão da divindade – Lume Teatro – São Paulo
10.          Kavka, agarrado num traço a lapis – Lume Teatro – São Paulo
11.          Cnossos – Lume Teatro – São Paulo.
12.          Tales of the Body – Au Ments – Espanha
13.          Degustação –Cia Viaje Inmóvil – Chile
14.          O Castelo de Holstebro – Odin teatret – Dinamarca
15.          Bichos do Brasil – Pia Fraus – São Paulo
16.          O Quixote – O Quixote  - São Paulo
17.          O Gordo e o Magro vão para o Céu – In.Co.Mo.De-Te – Rio G do Sul.
18.          Batata! – Dimenti – Bahia
19.          Quem Conta Faz de Conta – Cia. Cabriola de teatro – Bahia
20.          Genesius – Finos Trapos – Bahia
21.          A Cela – Groove Studio Teatral – Bahia
22.          O Caçador de Sonhos – Teatro Griô – Bahia
23.          Uma Vez Nada Mais – Bahia
24.          Os Javalís – Teatro Nu – Bahia
25.          Erê, o eterno retorno – Bahia
26.          Mar mr quer – Outra Cia de Teatro – Bahia
27.          Jardim – Palhaços para sempre – Bahia
28.          Lavando a Alma – Palhaços para Sempre – Bahia
29.          Tataravô – Palhaços para Sempre – Bahia

Demonstrações de Trabalho.
1.             Prisão para a liberdade / Lume Teatro São Paulo
2.             A Dança Pessoal / Lume Teatro – São Paulo
3.             O Ator que Dança / Yuyachkani – Peru
4.             O Corpo Ausente / Yuyachkani – Peru
5.             Exercicios Matinais / Yuyachkani – Peru
6.             Relação Voz e Corpo / Yuyachkani – Peru
7.             O Ator que Dança / Yuyachkani – Peru
8.             Trabalho desde o Silêncio / Yuyachkani – Peru
9.             A Rebelião dos Objetos / Yuyachkani – Peru
10.          Aula Espetáculo Fervo-Frevo / Viaviane Souto Maior – Recife

Cursos
1.             Corpo Multifacetado / Lume teatro – São Paulo
2.             Curso Interdisciplinar de Criação(Dança Teatro e Multimidia)/BoanDanz  –Cuba-EUA
3.             Energia e Ação / Lume teatro – São Paulo

Destaque da Programação

A programação do Filte 2010 contempla o público infantil com montagem peruana Os Músicos Ambulantes, do grupo Yuyachkani; da baiana Quem Conta Faz de Conta, da Cia Cabriola de Teatro; além da peça Bichos do Brasil (da cia Pia Fraus, de SP), que levará à praça do Campo Grande bonecos infláveis gigantes.

A peça peruana Rosa Cuchillo, dirigida porMiguel Rubio Zapata,no Teatro Vila Velha, retrata a dor de uma mãe à procura do filho desaparecido. Para contar a história, o Yuyachkani une fábulas e elementos do teatro de rua. A dança, o ritual, a imagem e a música conferem identidade cultural ao drama, num ritual que incorpora elementos da cosmo-visão andina.

Estreia mundial em Salvador, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, Falso Testemunho faz um mix entre dança, vídeo e música. A coreógrafa e diretora Marianela Boan – conhecida internacionalmente como uma das mais importantes artistas de vanguarda na dança cubana e hispano-americana – explora a vida na era pós-tecnológica e tenta desvendar os vínculos emocionais entre os humanos e as imagens, e como essa convivência interfere na afetividade. A artista usa a câmera e o violoncelo para experimentar e controlar, com duas dançarinas no palco, suas reações.

A Cia Viaje Inmóvil vem do Chile com a inusitada Degustação. Na encenação, um chef recebe seus espectadores na cozinha de um restaurante. Por um preço acessível, é permitido aos clientes degustar a culinária e presenciar o funcionamento da cozinha. O objetivo é salvar o seu negócio, que, a partir da crise econômica mundial, tem perdido clientes. Tudo vai bem até que, nas telas, aparecem imagens reais dos jornais televisivos ressaltando que a crise econômica tem desatado uma rebelião de pessoas famintas.   

Mostras, Encontros e Cátedra Itinerante     

Com a proposta de promover a interação das diferentes maneiras de pensar a dramaturgia teatral e incentivar o crescimento e profissionalização dos dramaturgos baianos, o Festival realiza A Roda Baiana de Dramaturgia Teatral, que conta com dramaturgos, jovens e experientes, para discutir a dramaturgia teatral, além de convidados internacionais.  

Também serão realizados os seguintes encontros: Academia Itinerante de Teatro, Encontro Eugenio Barba e Miguel Rubio, Encontro Lume Teatro e Yuyachkani. Haverá ainda a Academia Itinerante de Teatro, com pesquisadores de várias partes do mundo desenvolvendo o tema Memória e Representação. A programação também conta com as mostras Yuyachkani, Casa Lume e Grande Teatro de Rua.

 O Filte 2010 também destaca a Cátedra Itinerante de Teatro, espaço composto por pesquisadores teatrais, nacionais e internacionais, do México, Brasil, Miami, Argentina e Cuba, com a maioria dos seus integrantes da Escola Internacional de Teatro de América Latina e o Caribe.

Lançamentos e Demontração de Trabalhos

Três publicações serão lançadas durante o evento: Coleção Dramaturgia Latino-Americana (Volume 3, En un sol amarillo/Em um sol amarelo, Cesar Brie, Bolívia), Coleção Dramaturgia Latino-Americana (Volume 3, Adios Ayacucho/Adeus Ayacucho, Miguel Rubio, Peru) e a Revista de Artes Cênicas – Boca de Cena nº 1 (Filte Bahia 2010 – Espaço de Desenvolvimento das Artes Cênicas).

Entre as outras ações promovidas pelo Filte, destaque para as Demonstrações de Trabalho O Ator que Dança, com Amiel Cayo; Corpo Ausente, com Augusto Casafranca; Exercícios Matinais, com Rebeca Ralli; Desde o Silêncio e a Inmovilidade até a Ação, com Julián Vargas; A Rebelião dos Objetos, com Ana Correa, todos do grupo peruano Yuyachkani. Do grupo Lume, de São Paulo, haverá as apresentações Prisão para a Liberdade, com Carlos Simioni, e O Labirinto do Ator, com Ricardo Puccetti. 

Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia - De a 19 de setembro de 2010
Teatro Vila Velha (Palco Principal, Cabaré e Salas de Ensaio), TCA (Sala Principal e Sala do Coro), Teatro Martim Gonçalves, SESC Pelourinho e Espaço Cultural Barroquinha (consultar programação no site do evento). Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) e alguns são gratuitos.
Realização: Oco Teatro Laboratório e Carranca Produções Artísticas.
Site - www.filte.com.br