Agenda Brasil

CULTURA - SÃO PAULO

MOSTRA SESC DE ARTES 2010

Por Fernanda Teixeira / Arteplural

A arte contemporânea mostra suas facetas em 62 projetos culturais. São produções artísticas nacionais e internacionais em 15 unidades do Sesc

De 18 a 28 de novembro de 2010

Do músico Ornette Colemann ao artista multimídia Felix Thorn, do grupo Intrépida Trupe ao artista plástico chinês Li Wei, do coletivo alemão do show Hallogallo aos portugueses Ana Borralho e João Galante, passando pelos holandeses da peça C´est du Chinois e por Enrique Diaz e Cristina Moura do espetáculo Otro, a programação é variada. Durante 10 dias diversas formas de manifestações artísticas tomam conta de 15 unidades do Sesc e espaços da Capital. Atrações criadas a partir das áreas de teatro, música, literatura, dança, artes visuais e artemídia provocam o público e trazem o hibridismo na arte contemporânea

Norteada pelos critérios da inovação e da resistência, durante 10 dias a Mostra SESC de Artes fará pulsar a cultura em 15 unidades do SESC - 11 unidades, o Sesc TV e as ações nos tapumes dos canteiros de obras dos SESCs Av Paulista, Bom Retiro e 24 de Maio. De 18 a 28 de novembro,  o SESC-SP enfatiza a produção artística contemporânea. A programação de 2010 reúne shows, espetáculos, intervenções, oficinas e instalações.

Ao todo são 62 projetos. Entre as atrações estão a estreia do espetáculo Otro, dirigido por Enrique Diaz e Cristina Moura; a banda americana Lou Reed's Metal Machine Trio: MM3. Sem Canções e Sem Vocais, de Lou Reed; o Projeto Coleções, da Intrépida Trupe, o artista multimídia Felix Thorn, que desenvolve esculturas que produzem música; e o Hallogallo 2010, formado por Michael Rother (ex-Kraftwerk) e Steve Shelley (Sonic Youth), Benjamin Curtis e Aaron Mullan.

A Mostra SESC de Artes deste ano intensifica o recorte da linguagem do hibridismo na arte contemporânea e apresenta projetos agrupados para dialogar entre si. Estimular indefinições e suspensões em relação às gavetas em que costumamos encaixar nossos costumes, nossa vida, nossa convivência e nossa arte é um dos objetivos desta edição.

Com curadoria da equipe de técnicos SESC SP, a programação foi pautada, entre outros critérios, pela: "relativa definição do sujeito na realização artística (a participação direta do público, público versus artista), arte enquanto ação (relacionando corpo, política e estética), proposta de zonas de desconforto para a plateia e pela relação direta entre a vida cotidiana e as manifestações artísticas contemporâneas". Os projetos podem ser amarrados a partir da identificação de um dos eixos conceituais que norteiam a pesquisa curatorial.

De acordo com o diretor regional do SESC São Paulo, Danilo Santos de Miranda, “ao apresentar trabalhos com limites indefinidos, as atividades da Mostra SESC deste ano ampliam as possibilidades de o espectador perceber como a arte contemporânea cada vez mais dilui fronteiras e o inclui como parte do acontecimento artístico”.

Destaques na programação
No segmento da arte e da performance, destaque para a instalação dos portugueses Ana Borralho e João Galante, que apresentam a obra World of Interiors, inserida no mundo das artes performáticas. Os seus trabalhos, sempre híbridos, cruzam os mundos das artes plásticas e da performance, numa pesquisa desenvolvida ao longo de anos de uma forma madura e consistente.

Os também portugueses Fernando Nabais e Fernando Galrito exploram a interatividade com TXT, uma obra performativa mediada por várias tecnologias sensoriais, que explora formas de linguagens artísticas transversais contemporâneas. O resultado é um vocabulário singular que se articula fisicamente, por intermédio de paisagens sonoras interativas, composições visuais e coreografia em tempo real, as quais representam um manancial de expressões artísticas que sustentam a intenção dramatúrgica.

Em World of Interiors o público é confrontado com uma imagem inquietante: pessoas deitadas no chão, de olhos fechados e sem movimento aparente. Os seus pertences, espalhados pela sala. Aparentemente, nada acontece no exterior. Perante este vazio é exigida uma ação dos visitantes, uma aproximação, um toque, um avanço na intimidade dos corpos, uma proximidade entre as pessoas e os performers, para que se dê uma partilha deste mundo interior. Nessa intimidade, público e artistas são interceptados por trechos de textos de Rodrigo Garcia, sussurrados. Ao fundo, música de Mahler. http://vimeo.com/13202066

Nas artes cênicas, vem da Holanda C´est du Chinois, com direção de Edit Kaldor (Bélgica).  A peça – cujo título em Português poderia ser “Isto para mim é grego” (ou literalmente “...é chinês”), indicativo de algo impossível de entender – apresenta a família Yao-Lu, vinda de Shangai. Qual o objetivo? Gravar e vender dvd-rooms interativos para pessoas focadas no futuro e que querem se iniciar na aprendizagem do Mandarim. Isso mesmo, a encenação é em chinês! A performance é uma ocasião para a família promover o seu novo produto, de forma a alargar o seu círculo de potenciais clientes. http://www.ltsmetaal.nl/movies/ChinoisInt03.htm

Depois de apresentações pela Europa e Japão, o coletivo carioca Grupo Improviso aterrissa em São Paulo com seu OTRO (or) weknowitsallornothing _ uma investigação sobre identidade e alteridade e sobre como estes dois conceitos são inseparáveis. Uma experiência coletiva sobre estar vivo hoje, sobre convivência, sobre diferença, sobre afeto e sobre os limites entre o eu e o resto, o que não é “eu”. Dirigido por Enrique Diaz e Cristina Moura, o espetáculo é composto por cenas fragmentadas, não convencionais, que mesclam relatos, vídeos, música em cena, atores, cenas cotidianas.

"A pesquisa inicial para o espetáculo foi feita por meio de residências artísticas pelas ruas de lugares como a Praça XV, Taquara e Lapa, no Rio de Janeiro. Por lá investigamos a relação do olhar de figuras da cidade com o entorno urbano, processando esses materiais com vários tipos de articulação cênica. O que acontece em cena é o embate destes artistas com estes materiais, com eles mesmos, com os outros “atores” da cena, com o palco, com o público e com o evento milagroso de estar vivo hoje. Um salto no vazio... Um depoimento incompleto, errático, da vida de hoje", explicam os diretores Enrique Diaz e Cristina Moura.

A cena paulistana da musica eletrônica e rock ganha brilho com a performance show Hallogallo 2010. O multiinstrumentista alemão Michael Rother (ex-Kraftwerk) revisita neste trabalho, com um grupo de músicos convidados, o repertório da banda NEU!, da qual foi fundador, nos anos 1970, e com quem lançou três LPs. O NEU!  surgiu da união de Michael Rother e Klaus Dinger após deixarem a legendária  banda alemã. Com cinco álbuns gravados, o grupo  foi e é referência para diversos grupos e artistas, como  David Bowie, Hawkwind, Iggy Pop, DEVO,  Radiohead e U2, entre outros.  Hallogallo 2010, capitaneada por Michael Rother  e Steve Shelley (Sonic Youth), Benjamin Curtis e Aaron Mullan, revisita  os álbuns anteriores. www.hallogallo2010.com/michaelrother.de

O show do veterano saxofonista americano Ornette Coleman e banda (EUA) é mais um destaque da programação. Dos mais relevantes músicos de jazz da atualidade, é considerado o fundador do free jazz, estilo que provocou uma ruptura nos padrões musicais estabelecidos no gênero até os anos 1950.

O projeto Barulho, recorte da Mostra Sesc de Artes, apresenta um panorama contemporâneo de artistas cujos trabalhos estão centrados no uso criativo de uma estética barulhenta. Entre as atrações estão  Patife Band e Arrigo Barnabé e o LOU REED'S METAL MACHINE TRIO: MM3. SEM CANÇÕES E SEM VOCAIS (EUA), projeto de Lou Reed, baseado em seu controverso Metal Machine Music, LP lançado em 1975.

INFORMAÇÕES GERAIS

Venda de Ingressos - Os ingressos para todas as atividades podem ser adquiridos na Administração Central do Sesc SP e em quaisquer unidades no Estado de São Paulo. Consulte o horário de funcionamento da bilheteria nas unidades.

Mais informações sobre a programação: www.sescsp.org.br/mostra

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

MOSTRA SESC DE ARTES 2010

TEATRO

OTRO (or) weknowitsallornothing – Sesc Pinheiros
Direção - Enrique Diaz e Cristina Moura. Com - Coletivo Improviso (RJ). Conceito/Projeto - Enrique Diaz. Criação e performance - Cristina Moura, Daniela Fortes, Denise Stutz, Enrique Diaz, Felipe Rocha, Raquel Rocha, Renato Linhares, Thierry Tremouroux.

Espetáculo desenvolvido pelo Coletivo Improviso que investiga cenicamente a percepção que temos de nós mesmos e de nossa relação com o outro. Cenas fragmentadas e nada convencionais fazem parte de um projeto de pesquisa de dramaturgia e linguagem para investigar as relações humanas e, principalmente, a alteridade. A pesquisa inicial para o espetáculo foi feita através de residências artísticas pelas ruas do Rio de Janeiro, investigando a relação do olhar de figuras da cidade com o entorno urbano para estudar a diversidade. O Coletivo Improviso é composto por atores, bailarinos, coreógrafos e músicos que, desde 2002, vêm desenvolvendo uma linguagem cênica baseada em integração de disciplinas artísticas, observação e interação com espaços urbanos.
Dias 24 e 25 de novembro. Quarta e quinta, 21h30. 18 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 80 minutos. Teatro Paulo Autran – Capacidade – 700 lugares.

ANTICLÁSSICO - Sesc Vila Mariana
Texto, direção, figurinos e atuação - Alessandra Colasanti. Participação - João Velho.
Uma bailarina de vermelho saída de um quadro de Dégas se torna acadêmica no
Brasil, bebe Campari e profere uma desconferência sobre o enigma vazio (metáfora da contemporaneidade). Diz-se amiga íntima da Monalisa e faz saltitar nomes e frases de efeito, cita Benjamim, Foucault, Derrida, diz ter sido namorada de celebridades modernistas como Diaghilev, Nijinsky, Picasso, Kandinsky, ídolos pop como Elvis Presley, Charles Aznavour e ícones contemporâneos como o compositor pós-moderno John Cage. Ao seu lado um jovem punk concertista que toca sonatas de Chopin e serve a bailarina.Com direito a projeções, vídeos ilustrativos, perguntas da audiência, coffee break e talk show, Anticlássico é o primeiro monólogo da atriz, performer, autora e diretora Alessandra Colasanti.
Dias 23 e 24 de novembro, terça e quarta, 20h - 14 anos. R$24; R$12; R$6. Duração - 90 minutos. Auditório – Capacidade – 131 lugares

CARNE – Sesc Pompéia
Concepção - Kiwi Companhia de Teatro. Direção - Fernando Kinas. Roteiro - Fernanda Azevedo e Fernando Kinas. Com - Fernanda Azevedo e atriz convidada.
Duas atrizes, um percussionista e projeções de vídeo. O espetáculo discute as relações profundas entre patriarcado e capitalismo, mostrando o panorama da opressão de gênero e a situação específica da violência contra a mulher. Como base para o trabalho, são utilizados textos da escritora austríaca Elfriede Jelinek, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura em 2004, que fazem uma reflexão sobre a situação das mulheres no Brasil e no mundo. Criada em 1996, em São Paulo, a Kiwi Companhia de Teatro/Cooperativa estabeleceu parcerias com inúmeras entidades e organizações populares que expressam preocupação com os temas centrais do presente projeto. Desta empreitada fazem parte a Marcha Mundial de Mulheres (Brasil), SOF – Sempreviva Organização Feminista (São Paulo), ECCOS – Comunicação em Sexualidade (São Paulo), Centro Audiovisual Simone de Beauvoir (Paris), Ação Educativa (São Paulo), Coletivo Dandara (USP), ONG e Ponto de Cultura Religare (São Paulo).
Dias 19 e 20 de novembro. Sexta e sábado, 21h. 16 anos. R$24; R$12; R$6. Duração: 60 min. Espaço Cênico - Capacidade – 56 lugares.

O ARDOR (ARG) - Sesc Ipiranga
Direção - Ricardo Holcer. Texto e atuação - Marcelo D’Andrea.
O trabalho parte de uma situação comum: um mecânico está testando um equipamento e, após ter uma indigestão, sofre os efeitos adversos dessa comida que o fazem voltar no tempo até sua juventude. A partir disso, metaforicamente, o espetáculo começa a desenvolver uma reflexão sobre a história de violência na Argentina e na América Latina durante os anos de ditadura. A dramaturgia simples e crua de Marcelo D'Andrea (que é também o ator do espetáculo) por vezes nos faz esquecer que se trata de um monólogo, evidenciando o grande número de personalidades que habitam o corpo de uma única pessoa.
Dias 25 e 26 de novembro. Quinta e sexta, 21h.
12 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 50 min. Teatro – Capacidade – 200 lugares.

O INTERROGATÓRIO – Sesc Consolação

Com - Centro de Investigação Teatral (RJ). Direção e Concepção - Eduardo Wotzik. Dramaturgia - Peter Weiss. Com - Alessandra de Cássia, Alexandre Menezes, Alexandre Mofatti, Alexandre Varella, André Frazzi, Antonio Barboza, Augusto Garcia, Bruno Augusto, Carla Ribas, Cássio Pandolfi, Cláudio Cinti, Daniel Faleiros, Fernando Arze, Flávio Siqueira, Gustavo Damasceno, Gustavo Grangeiro, Hamilton Ricardo, Ivan Fernandes, Johnny Luz, Lu Grimaldi, Luiz Washington, Malu Rocha, Marco Aurélio Hammellin, Michele Fontaine, Natally do Ó, Nilson Nunes, Pedro Kligerman, Sílvio Pozatto, Thiago Magalhães, Xando Graça, Yashar Zambuzzi, Zé Guilherme Guimarães, entre outros.
Adaptação da obra de Peter Weiss que recria fielmente os momentos finais do Tribunal de Frankfurt, em 1965, quando os oficiais nazistas e funcionários menos graduados foram processados por crimes de guerra. Em cena, 40 atores revelam os testemunhos do cotidiano do campo de Auschwitz. O público tem a opção de entrar e sair da sala a qualquer momento. O Centro de Investigação Teatral é um núcleo de atividades artísticas formado por profissionais ligados ao teatro e que vêm, nos últimos anos, se dedicando ao aprimoramento e à pesquisa de linguagens e técnicas teatrais.
Dia 27 de novembro. Sábado, 18h às 6h da manhã de domingo. 16 anos. R$24; R$12 R$6. Duração: 12 horas. Teatro Anchieta - Capacidade – 320 lugares.

.TXT (POR) – Sesc Vila Mariana
Conceito original - Fernando Nabais. Autoria e direção artística - Fernando Galrito, Fernando Nabais e Stephan Jürgens. Coreografia - Stephan Jürgens. Design de som - Fernando Nabais. Dramaturgia visual - Fernando Galrito. Performer - Pedro Ramos.
Obra performativa interativa mediada por diferentes tecnologias sensoriais que explora formas de linguagens artísticas transversais em ambientes compostos por poemas visuais e coreografias em tempo real. O resultado da ação é um vocabulário singular que se articula fisicamente por intermédio de paisagens sonoras interativas e composições visuais, as quais representam um manancial de expressões artísticas que sustentam a intenção dramatúrgica.
Dias 20 e 21 novembro. Sábado, 21h. Domingo, 18h. 12 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 50 minutos. Teatro. Capacidade – 608 lugares.

TE FAREI INVENCÍVEL COM MINHA DERROTA (ESP) – Garagem da futura unidade Sesc Santo Amaro
Criação e atuação - Angélica Liddell.
Inspirado na vida da violoncelista britânica Jacqueline Du Pré, que morreu aos 42 anos vítima de esclerose múltipla, a obra trata de temas como a saudade, a morte, o terror, a desconfiança, a ansiedade e a compaixão. A intérprete, Angélica Liddell, procurou nesse espetáculo uma identificação com Du Pré, na tentativa de buscar a cumplicidade com os mortos já que os vivos, segundo Liddell, a desapontam.
Dias 27 e 28 de novembro. Sábado, 20h. Domingo, 19h. 18 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 80 min.  Capacidade - .
Espetáculo não recomendado para pessoas extremamente sensíveis por conter cenas de automutilação.

MÚSICA

ARTIFICIEL (CAN) - Sesc Vila Mariana
Com Alexandre Burton e Julien Roy.
O estúdio de criação do duo Alexandre Burton e Julien Roy produz arte por meio de tecnologias digitais. POWEr é o nome da performance baseada em perturbações eletromagnéticas de alta tensão.  Usando uma serpentina Tesla audio-modulada como instrumento ao vivo, arcos elétricos são gerados e transformados em um processo audiovisual em tempo real. A eletricidade é usada como um material sutil, mas intenso, manifestada como um fenômeno intrinsecamente sinestésico. O projeto é um comissionamento para a 10ª Edição do Festival Mutek em Montreal. Este projeto foi apoiado pelo Canada Arts Council e pelo Conseil des Arts et des Lettres de Québec. Foi indicado para o premio do festival berlinense Transmediale 2010 e recebeu uma menção honrosa na categoria “Sonoridade Eletrônica” do Premio Lux 2010 do FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletronica) de São Paulo..
Dia 19 de novembro, sexta, às 19h30. 12 anos. R$24; R$12; R$8. Duração – 40 minutos. Auditório – Capacidade – 131 lugares. Não recomendado para pessoas que usem marcapasso ou sofram de epilepsia.

PROJETO BARULHO
Na classificação sistemática do dicionário, a palavra barulho refere-se a algo incômodo, fora da ordem convencional dos padrões estabelecidos. Cientificamente o significado da palavra é relacionado a um som indesejável. Contudo, todas essas definições tornaram-se insuficientes diante das obras de vanguarda do início do século XX, onde o barulho foi incorporado na estética musical de diversos gêneros. Ruídos, distorções, microfonias, arritmias e dinâmica acelerada transformaram-se em moto criativo na composição de uma música invariavelmente experimental e provocadora. Permitir ao espectador uma fruição diante de zonas de desconforto é a proposição deste recorte conceitual dentro da Mostra Sesc de Artes 2010, apresentando um panorama contemporâneo de artistas cujos trabalhos estão centrados no uso criativo de uma estética barulhenta.

LOU REED'S METAL MACHINE TRIO: MM3. SEM CANÇÕES E SEM VOCAIS (EUA) – Sesc Pinheiros
Projeto de Lou Reed baseado em seu controverso Metal Machine Music, LP lançado em 1975. O trabalho é centrado na sonoridade da guitarra, misturada a ruídos e distorções. Na época de seu lançamento, foi recolhido das lojas. Muitos o receberam como uma provocação, ganhando inclusive o título de “pior álbum de todos os tempos”, já que o lançamento do disco era uma obrigação contratual com a gravadora da qual Lou Reed estava se desligando. Outros acreditam que o trabalho influenciou diversos estilos como o punk, o heavy metal, o grunge, o techno e o trance. Metal Machine Music foi remasterizado e relançado em Abril deste ano, iniciando a turnê do Metal Machine Trio. Com Lou Reed (guitarra e eletrônica), Ulrich Krieger (sax tenor e eletrônica em tempo real) e Sarth Calhoun (processamento ao vivo).
Dias 20 e 21 de novembro. Sábado, 21h30. Domingo, 18h30. 12 anos. R$40; R$20; R$10. Teatro Paulo Autran – Capacidade – 700 lugares.

The Raveonettes (DIN) – Sesc Pompeia
Criado em Copenhagen em 2001, o duo formado por Sune Rose Wagner (guitarra e vocal) e Sharin Foo (baixo e vocal) tem como característica harmonias vocais sobrepostas a uma massa sonora composta por distorções e ruídos. Everly Brothers e The Jesus and Mary Chain são as principais referências sonoras da banda que traz em sua discografia os álbuns Whip It On (2002), Chain Gang Of Love (2003), Pretty In Black (2005), Lust, Lust, Lust (2007) e o recente In and Out of Control (2009).
Dia 19 de novembro. Sexta, 22h. 18 anos. R$32; R$16; R$8. Choperia. Capacidade – 800 lugares.

Splinter Vs Stalin (ITA) – Sesc Santana
Grupo italiano de noise music, formado por F.L.A., Tisborroinfaccia, Nave e Gary Coleman. Neste concerto, contam com participação do brasileiro Fabio A. do projeto Ajaxfree. O grupo mistura elementos do noise contemporâneo às influências de grindcore.
Dia 23 de novembro. Terça, 21h, 12 anos. R$32; R$16; R$8. Teatro – Capacidade – 349 lugares.

Crash Trio (ITA) – Sesc Santana
Show de hardcore-free jazz e livre improvisação. O trio nasceu em janeiro de 2008, graças ao projeto NeverMetBefore, uma série de concertos que reuniu esses músicos pela primeira vez. Com Edoardo Marraffa (sax tenor e sopranino), Chris Iemulo (violão) e Stefano Giust (bateria).
Dia 24 de novembro. Quarta, 21h, 12a nos. R$32; R$16; R$8. Teatro – Capacidade – 349 lugares.

Chelpa Ferro – Sesc Pompeia
Criado em 1995 pelos artistas plásticos: Barrão, Luiz Zerbini e Sergio Mekler. Um coletivo de arte que mistura diferentes harmonias e barulhos. Na banda de sons estranhos, nenhum dos artistas toca um único instrumento musical convencional.
Dia 25 de novembro. Quinta, 21h, 12 anos. R$32; R$16; R$8. Teatro. Capacidade – 344 lugares.

Patife Band e Arrigo Barnabé – Sesc Pompeia
Formada em 1983, a banda de punk dodecafônico mistura ritmos brasileiros assimétricos, influências do jazz e do punk rock. Com Paulo Barnabé (bateria e voz), André Fonseca (guitarra), Matheus Leston (sintetizadores) e Richard Firmino (sopros). Participação Arrigo Barnabé.
Dia 27 de novembro, Sábado, 22h.
18 anos. R$32; R$16; R$8. Choperia. Capacidade – 800 lugares.

Shows

DZZZZ BAND (AGO) – Sesc Pompeia
Liderada pelo poeta, ator, rapper e performer Nástio Mosquito, a banda angolana apresenta seu discurso de crítica social cantado em inglês e português em meio à diversidade de referências sonoras como hip hop, jazz, rock e eletrônico.  
Dia 26 de novembro. Sexta, 22h 18 anos. R$32; R$16; R$8. Choperia. Capacidade – 800 lugares.
Parceria Bienal de Artes de São Paulo.

Black Alien  – Sesc Interlagos
O ra­pper carioca, ex-Planet Hemp, apresenta-se ao lado de DJ Castro, para mostrar músi­cas de seu CD Babylon By Gus – Vol. I: O Ano do Macaco. O álbum, lançado em 2004, traz uma versatilidade de sons, trafegando entre o rap, o ragga, o reggae, o hardcore-rap.
Dia 28 de novembro - Domingo, 15h. Livre. Preço de Portaria. SESC Interlagos. Arena Livre.

GRUPU – Sesc Vila Mariana
Direção - Fernando Hashimoto. Com - Paula Buscácio, Vitor Zago, Luis Oliveira Silva, Daniela Cervetto, Isadora Conte, Eduardo Virgílio, Ronaldo Lima.
Concerto de percussão erudita composto para os andares da Torre A do Sesc Vila Mariana. O concerto é assistido do atrium pelo público. As apresentações do GRUPU surpreendem pela utilização da extensa multiplicidade de configurações para percussão, o que ressalta a ilimitada qualidade timbrística destes instrumentos. São apresentadas obras de alto nível técnico e refinamento expressivo. Neste concerto, repertório de Steve Reich, John Cage, Henry Cowell, entre outros.
Dia 27 de novembro. Sábado, 16h. Livre. Grátis. Atrium. Capacidade -

HALLOGALLO 2010 (ALE/EUA) – Sesc Vila Mariana
Com Michael Rother (ex- Krafwerk), Steve Shelley (Sonic Youth) e Aaron Mullan (Tall Firs).
O multi-instrumentista alemão Michael Rother revisita neste trabalho, com um grupo de músicos convidados, o repertório da banda NEU!, da qual foi fundador, nos anos 1970 e com quem lançou três LPs. O NEU! (do Alemão, “novo”) era formado por Rother e Klaus Dinger (bateria), com a colaboração do produtor e engenheiro de som Conny Plank e foi um dos principais expoentes do krautrock, movimento de bandas de rock alemãs da época, marcado pelo forte experimentalismo. Após o terceiro álbum da banda, Rother e Dinger se separaram e passaram a se dedicar a outros trabalhos. Reuniram-se novamente entre 1985 e 1986. Klaus Dinger faleceu em 2008. Mesmo com a curta duração do grupo, o NEU! influenciou, entre outros, nomes como Sonic Youth, Iggy Pop, Stereolab e Radiohead. Seu som era marcado por agregar à sonoridade tradicional do rock elementos de música atonal, free jazz, distorções e eletrônica. Em Hallogallo 2010, Rother tem como convidados o baterista Steve Shelley (Sonic Youth) e o guitarrista Aaron Muller (Tall Firs). No repertório, além das músicas do NEU!, apresentam uma seleção de outros trabalhos de Michael Rother, incluindo de sua carreira solo.
Dia 23 de novembro. Terça, 21h. 12 anos. R$ R$32; R$16; R$8. Teatro. Capacidadade – 643 lugares.

ORNETTE COLEMAN (EUA) – Sesc Pinheiros
Com Ornette Coleman (sax, violino e trompete), Denardo Coleman (bateria), Tony Falanga (contrabaixo acústico), Albert Mac Dowell (contrabaixo elétrico).
O veterano saxofonista e compositor norte-americano é um dos mais relevantes músicos de jazz da atualidade e considerado o fundador do free jazz, estilo que provocou uma ruptura nos padrões musicais estabelecidos no gênero até os anos 1950. Vencedor do Grammy de 2007, pelo conjunto de sua carreira, Coleman investe numa estética que privilegia a atonalidade, improvisações livres e a arritmia em detrimento da harmonia e da melodia. Em mais de meio século de carreira, gravou dezenas de álbuns e influenciou nomes tanto do jazz quanto de outros gêneros. Nos anos 1970, inova mais uma vez ao ampliar a sua ação, até então restrita à composição e ao sax alto, tocando também, de forma muito singular, o sax tenor, trompete e violino e criando trilhas para cinema. Nestes shows, Coleman apresenta repertório baseado nas diversas fases de sua carreira, sobretudo no seu mais recente álbum, Sound Grammar.
Dias 27 e 28 de novembro. Sábado, 21h30. Domingo, 18h30, 12 anos. R$40; R$20; R$10. Teatro Paulo Autran. Capacidade – 700 lugares.

LA TRUC (FRA) – Sesc Carmo e Sesc Interlagos
Com Cyril Hernandez.
"La charret de Troc" é um carrinho ambulante (parecido com carrinhos de pipoca ou cachorro quente) onde o público é convidado a dar uma breve entrevista. Em troca ganha um concerto de música eletrônica baseado nas informações obtidas na entrevista. O espectador leva o CD de seu concerto para casa.
Livre. Grátis.
Dia 19 de novembro, Sexta. 12h. Rua 24 de maio. Dia 20 de novembro, Sábado, 11h, 14h e 17h. No Sesc Interlagos.Preço de Portaria. Pça de entrada da Sede.

SOCIAL SMOKERS – Sesc Interlagos e Pompeia
Com Jorge Vaz Nande (voz), Biru (voz), Silva o Sentinela (voz), Alexandre Cortez (composição, baixo e programações), José Lencastre (saxofone), João Pedro Gomes (vídeo), Sérgio Costa (guitarra e teclados) e Ivo Palitos (bateria e percussões).
Performance do grupo português de spoken words “Social Smokers”. As palavras são usadas como peças de um quebra-cabeça, e o que parece não combinar, se junta de maneira poética. O espectador torna-se poeta e o poeta, espectador. Social Smokers é um grupo de poetas e músicos, formado em 2009, no Festival do Silêncio, em Lisboa, Portugal.
Dia 20 de novembro. Sábado, 15h. Sesc Interlagos. Ludoteca. Preço de Portaria. Dia 21 de novembro. Domingo, 18h30. Sesc Pompéia.18 anos. R$32; R$16; R$8.

SONATAS, PIANOS, MACHINES AND INTERLUDES (ING/ALE/FRA) – Sesc Pompeia
Curadoria - Sarah Nicolls. Com Andrea Neumann, Felix Thorn (Felix’ Machines), Kathy Hinde, Sarah Nicolls e Pierre Malbos.
Com curadoria da pianista Sarah Nicolls (Londres Sinfonietta, WARP), Sonatas, Pianos, Máquinas e Interlúdios é uma noite de performances de máquinas-pianos e piano-máquinas, construída a partir do legado da técnica de piano preparado de John Cage.
Dia 20 de novembro. Sábado, 20h. 18 anos. R$32; R$16; R$8. Teatro. Capacidade – 344 lugares.

SYBABELIA – Sesc Pompeia
Com André Vallias e Lica Cecato.
Um mosaico caleidoscópico de imagens, sons e palavras, transpondo as fronteiras da língua e do tempo.Transcriações multimediais de poetas como a japonesa Ono No Komachi e Haroldo de Campos. Na performance, Lica Cecato toca o insólito instrumento eletrônico criado pelo russo Léon Theremin, em 1919, acompanhada dos vídeo-poemas de André Vallias. Lica Cecato é cantora, artista plástica, multi-instrumentista, poeta e performer. André Vallias é poeta digital, curador, designer gráfico, produtor de mídia interativa e tradutor intersemiótico.
Dia 19 de novembro. Sexta, 21h. 12 anos. R$24; R$12; R$6. Teatro. Capacidade – 344 lugares.

ARTEMIDIA

PARA ESPECTADORES REMOTOS – Sesc Santana
Com - Celina Portella.
Seqüência de ações realizadas ao vivo para a webcam durante uma chamada de vídeo via Skype. São composições de imagens utilizando diferentes meios de apresentação, projeção, reprodução, colagem ou objetos, espelhos e lentes. Apresentada para uma pessoa de cada vez, a “performance digital” explora a simulação de reciprocidade da comunicação virtual interativa, questionando a idéia de realidade consensual, ora através do conteúdo, ora através da forma de apresentação das imagens. A esfera intimista e a escala reduzida de reprodução do trabalho, afirma a tele-presença como alternativa para um diálogo entre realidades remotas, mas contesta a idéia de substituição da experiência sensível de um encontro “concreto” no espaço físico.
Dias 20 e 21 de novembro. Sábado e domingo, 15h30 às 17h30. Livre. Grátis.
A performance também pode ser vista de qualquer computador com webcam ligado a internet. As ações acontecerão nos dias 20, 21 e 22/11. Sábado e domingo, 16h às 20h. Segunda, 17h30 às 19h30. Para agendar seu horário escreva, a partir de 19/11, para espectadoresremotos@gmail.com

REDES VESTÍVEIS – Sesc Itaquera, Ipiranga e Interlagos
Concepção e Direção - Cláudio Bueno. Programação - Roger Sodré.
Performance baseada em uma rede virtual elástica inspirada na Rede de Elástico (1973), de Lygia Clark. Por meio de um aplicativo online e geolocalizado instalado em celulares, duas ou mais pessoas conectam-se a uma rede virtual representada graficamente na tela do celular. A cada nova participação, um novo nó é adicionado à trama, que se tensiona por meio de movimentos e deslocamentos físicos em espaços próximos ou distantes. O corpo que se movimenta dentro da rede virtual incita o movimento dos outros, que caso não se movimentem também, fazem esgarçar e estourar os nós da rede, desconectando o outro participante. A informação toma o corpo e o move. Pretende-se sugerir novas experiências para este corpo espacialmente localizado que performa diante do que não vê, mas sente, entre corporal e incorporal.
Dia 21 de novembro. Domingo, 14h às 16h. Sesc Itaquera.
Dia 27 de novembro. Sábado, 17h às 19h. Sesc Ipiranga.
Dia 28 de novembro. Domingo, 13h às 15h. Sesc Interlagos
Livre. Grátis.

ATELIÊ DE [CIBER]COSTURA – SESC Pompeia
Ponto de encontro para interessados em arte, design e tecnologia digital, espaço de criação, exposição e tricotagem de idéias. Concebido como espaço de troca e aprendizado, as pessoas poderão visitar as obras utilizadas nas [ciber]intervenções, participar de bate-papos (trocando os [ciber]pontos) e costurar seus próprios circuitos eletrônicos.
De 19 a 28 de novembro. Terça a domingo, 14h às 21h. Livre. Grátis.

[CIBER]INTERVENÇÕES
Apresentação das obras expostas no Ateliê de [ciber]costura.
Livre. Grátis.

Vestis - Corpos Afetivos – Luisa Paraguai
Estrutura de arcos vestível que se expandem e contraem a partir das interações estabelecidas, na busca de formalizar esteticamente as diferentes espacialidades corpóreas.
Dia 19 de novembro. Sexta, 14h no SESC Pompeia
Dia 20 de novembro. Sábado, 15h no Sesc Itaquera
Dia 25 de novembro. Quinta, 20h no Sesc Pompeia
Parangonet 1.0 – Sonic Dimension - Ricardo O’Nascimento e Jader Scalzaretto
Dois aparatos vestiveis que, por meio do seu movimento no espaço, cria e difunde samplers sonoros inspirados no Tropicalismo.
Dia 20 de novembro. Sábado, 20h no Sesc Pinheiros
Dia 25 de novembro . Quinta, 19h no Sesc Pompeia
Dia 27 de novembro. Sábado, 14h No Sesc Interlagos

GER: Mood Sweater – Kristin Neidlinger. Um display vestível de emoções que externaliza aspectos íntimos do indivíduo para o mundo.
Dia 21 de novembro. Domingo, 19h. SESC Pompeia
Dia 25 de novembro. Quinta, 19h. Sesc Pompeia
Dia 27 de novembro. Sábado, 20h. Sesc Pinheiros

Captas – Fabio FON e Soraya Braz.
Uma intervenção móvel-urbana em que chamativas capas tagarelam ruidosamente quando percebem o uso de telefones celulares.
Dia 23 de novembro. Terça, 12h às 13h. Galeria do Rock.
Dia 25 de novembro. Quinta, 19h. Sesc Pompeia
Dia 27 de novembro. Sábado, 18h. SESC Pompeia

Homem Perfeito – Hannah Perner-Wilson e Mika Satomi.
Como um sexto obstáculo (6th obstruction), a obra propõe diferentes regras para o curta-metragem “The Perfect Human” de Joergen Leth’s, 1967.

Dia 25 de novembro. Quinta, 19h. Sesc Pompeia

Dia 26 de novembro. Sexta, 19h. SESC Pompeia

[CIBER]TRICOTAGEM
Oficinas para experimentação do processo de criação de roupas interativas.
14 anos. Grátis.

!Condutivo! Circuitos Flexíveis para Computação Vestível. Com Kristin Neidlinger. Serão abordados a história e o futuro de arte, moda e tecnologia vestível.
Dias 20 e 21 de novembro. Sábado e domingo, 14h30 às 18h SESC Pompeia.

Circuitos Flexíveis. Com Ricardo O’Nascimento. Nessa oficina os participantes serão introduzidos a chamada “wearable technology”, materiais condutivos especiais e conceitos básicos de eletrônica.
Dias 23 e 24 de novembro. Terça e quarta, 19h às 21h30. Sesc Pinheiros.

Orquestra de Brinquedos Sonoros Vestíveis. Com Hannah Perner-Wilson e Mika Satomi. Oficina que explora como transformar brinquedos em instrumentos musicais.
Dias 27 e 28 de novembro. Sábado e domingo, 14h30 às 18h. Sesc Pompeia

TROCANDO OS [CIBER]PONTOS – Sesc Pompeia
Bate-papo sobre o processos criativos dos artistas.
Com: Ricardo O’Nascimento, Jader Scalzaretto, Luisa Paraguai e Kristin Neidlinger. Mediação: Cristiane Mesquita.
Dia 19 de novembro. Sexta, 19h às 21h. 14 anos. Grátis.
Com Hannah Perner-Wilson, Mika Satomi, Fábio FON e Soraya Braz. Mediação: Marcelo Tramontano.
Dia 24 de novembro. Quarta, 19h às 21h.14 anos. Grátis.

GABINETE VOLTAICO – Sesc Consolação
Com Sergio Bonilha e Luciana Ohira.
Numa sala de aspecto antiquado, estranhas reações luminosas ocorrem mediante a presença dos visitantes. Segundo os próprios artistas, "a instalação é uma homenagem a estes grandes cientistas do século XVIII, Luigi Galvani e Alessandro Volta." Participam na construção e funcionamento da obra recursos eletrônicos baseados em pesquisas colaborativas como as do projeto Arduino.

De 19 a 28 de novembro. Segunda a sexta, 13h às 22h. Sábado, 9h às 18h, Livre. Grátis

Atividades Práticas de Procedimentos Científicos e Artísticos. Série de quatro encontros voltados à experimentação dos princípios de funcionamento das pilhas e baterias criadas pelos cientistas italianos Luigi Galvani e Alessandro Volta no século XVIII. A oficina tem caráter prático e abordará a criação de interfaces analógico-digitais conectando computadores atuais às pilhas químicas de Galvani e Volta.
De 22 a 25 de novembro. Segunda a quinta, 15h às 18h, Livre. Grátis.

LITERATURA
BANQUETE DE PLATÃO
Com Coletivo de Performance Heróis do Cotidiano.
Performance urbana inspirada em O Banquete, de Platão. O Coletivo Heróis do Cotidiano interage com o público em um grande banquete instalado em local público, caracterizado pelo fluxo intenso de pessoas. À mesa são oferecidos diversos tipos de alimentos como proposta de aproximação entre os Heróis e as pessoas em trânsito. Falar sobre o amor com os performers é a condição para fazer parte do banquete. As ações do Coletivo fundem intervenção urbana, teatro, poesia e artes plásticas para criar uma dimensão poética em espaços urbanos funcionalizados, com o propósito de re-significar espaços  públicos e potencializar os afetos. Em 2009, o Coletivo recebeu o Prêmio Artes Cênicas nas Ruas, da FUNARTE.
Dia 26 de novembro.  Sexta, 17h. Largo de São Francisco, Centro
Dia 27 de novembro. Sábado, 16h. SESC Pinheiros
Dia 28 de novembro. Domingo, 10h. Rua dos Patriotas, Ipiranga.
Livre. Grátis.

BIBLIOTECA LÍQUIDA – Sesc Interlagos, Ipiranga e Pompeia

Curadoria de Marcelino Freire

Com que hábitos de leitura estamos acostumados? Como se comportam os corpos diante dos livros? Que formas editoriais reconhecemos?  A partir destas perguntas surge a Biblioteca Líquida: sete escritores de renome na Literatura Brasileira Contemporânea escreveram livros curtos e inéditos que compõem uma única interface. A proposta é provocar deslocamentos de percepção na relação entre leitor e Literatura.
Presença: O leitor poderá abrir volumes, folhear  suas páginas, optar por um livro ou outro e apreciar as características de cada obra. Ausência: são apresentadas obras cujos autores preferem não se identificar e desejam que a relação entre escritor e leitor seja efetivada exclusivamente pela agradável companhia dos livros. Gostando dos textos, os livros não estão à venda e não podem ser emprestados. Estes livros realmente existem? Com a Biblioteca Líquida, sugerimos aos leitores a diluição das formas editoriais tradicionais e da noção de autoria em um suporte manipulável por gestos.
De 19 a 28 de novembro Livre. Grátis.
Sesc Interlagos - Quarta a domingo e feriados, 9h às 17h.
Sesc Ipiranga - Terça a sexta, 7h às 22h. Sábados, domingos e feriados, 9h às 18h.
Sesc Pompeia - Terça a sábado, 9h às 22h. Domingos e feriados, 9h às 20h.

CAÇA PALAVRAS
Criação - Grupo Poro
Intervenção visual do grupo O Poro, realizada em espelhos e portas que provocam o público a desvendar palavras na intimidade dos banheiros. O Poro, fundado em 2002, é composto por uma dupla de artistas formada por Brígida Campbell e Marcelo Terça-Nada!. O grupo realiza ações poéticas, irônicas e ilustrações de cunho político por meio de intervenções urbanas e ações efêmeras, procurando levantar questões sobre os problemas das cidades e buscando a ocupação poética dos espaços.
De 19 a 28 de novembro. Livre. Grátis.
Sesc Carmo. Segunda a sexta, 9h às 20h,
Sesc Consolação - Segunda a sexta, 7h às 22h. Sábado e feriado, 9h às 18h.
Sesc Interlagos - Quarta a domingo e feriado, 9h às 17h.Preço de Portaria
Sesc Ipiranga - Terça a sexta, 7h às 22h. Sábado, domingo e feriado, 9h às 18h.
Sesc Pinheiros - Terça a sexta, 13h às 22h. Sábado, domingo e feriado, 10h às 19h.
Sesc Pompeia - Terça a sábado, 9h às 22h. Domingo e feriado, 9h às 20h.
Sesc Santana - Terça a sexta, 10h às 22h. Sábado, domingo e feriado, 10h às 19h30.

CÍRCULO DE AREIA
Criação - Glayson Arcanjo.
Intervenção realizada pelo artista plástico Glayson Arcanjo em que um conjunto de letras feitas com areia compõe textos circulares. Ao dispô-las no chão, as letras formam frases tecidas de modo a instigar o espectador a uma leitura sempre incompleta e circular, num diálogo com a incerteza e a instabilidade. O artista plástico Glayson Arcanjo atualmente é professor assistente da Faculdade de Artes Visuais na Universidade Federal de Goiás (UFG).
De 19 a 28 de novembro. Livre. Grátis,
Sesc Carmo - Segunda a sexta, 9h às 20h.
Sesc Pompéia - Terça a sábado, 9h às 22h. Domingo e feriado, 9h às 20h.

De 20 a 28 de novembro,Sesc Interlagos - Quarta a domingo e feriado, 9h às 17h. Preço de Portaria
De 21 a 28 de novembro, Sesc Itaquera - Quarta a domingo e feriado, 9h às 17h. Preço de Portaria

PORTUNHOL SELVAGEM – Sesc Pinheiros e Vila Mariana
Curadoria - Douglas Diegues. Textos - Douglas Diegues, Edgar Pou (Paraguay), Jorge Kanese (Paraguay), Ronaldo Bressane (Brasil) e Xico Sá (Brasil).
O Portunhol Selvagem é um idioma que não tem regra, gramática ou ordem. É uma língua livre, que vive na fronteira livre entre o Brasil e o Paraguai e além dela. Ela se apropria do vocabulário de várias línguas e, ao mesmo tempo, não se limita a nenhuma delas e está em constante ebulição e movimento. Para a Mostra Sesc de Artes, Douglas Diegues (Brasil- Paraguay) traz uma instalação de textos em portunhol selvagem que questiona as fronteiras entre países e idiomas. Poetas e escritores, adeptos do Portunhol Selvagem, que também trazem textos para esse projeto são: Edgar Pou, Jorge Kanese, Ronaldo Bressane e Xico Sá.
De 19 a 28 de novembro, Livre. Grátis.
Terça a sexta, 13h às 22h. Sábado, domingo e feriado, 10h às 19h no Sesc Pinheiros
Terça a sexta, 7h às 21h30. Sábado, domingo e feriado, 10h às 18h30 no Sesc Vila Mariana

PRÉ-HISTÓRIAS, 2- Tapumes da futura  Unidade 24 de Maio
Criação - Verônica Stigger.
Quantas vezes, ao andarmos pelas ruas de nossas cidades, não acabamos escutando, um pouco por acaso, um tanto por curiosidade, fragmentos de conversas alheias que ficam a ressoar na memória do passante? Estas falas, justamente por nos chegarem fracionadas, em cacos ou lampejos, têm sempre um quê de enigma, sugerindo, ao ouvinte imaginoso, histórias potenciais, ficções embrionárias. O trabalho que aqui se propõe é uma instalação que reúne frases percebidas no cotidiano, em busca da poesia inesperada, dura ou terna, ingênua ou irônica. Veronica Stigger é escritora, crí­tica de arte e professora universitária. É autora dos livros: O trágico e outras comédias, Gran Cabaret e Os anões.
De 18 a 28 de novembro. Segunda a domingo, 24 horas, Livre. Grátis.

DANÇA
C’EST DU CHINOIS* (HOL) – Sesc Consolação
Concepção e direção - Edit Kaldor. Com - Nucheng Lu, Siping Yao, Aaron Fai Wan, Lei Wang, Qifeng Shang.
Em “C’est du chinois*” Edit Kaldor apresenta-nos a família Yao-Lu, vinda de Shangai que para viverem na Europa, decidem gravar e vender dvd-roms interativos para europeus interessados aprender Mandarim. No palco, cinco cidadãos chineses, determinados a desabafar com o público. A única língua falada é o Mandarim, mas todos estão convictos de que a língua não constitui um obstáculo para uma comunicação com a audiência. O espetáculo fala sobre comunicação, uma comunicação aparentemente impensável, mas tornada possível através do esforço comum de atores e espectadores. Edit Kaldor nasceu em Budapeste e aos 13 anos imigrou para os Estados Unidos, onde morou por dez anos. Graduou-se em Inglês e Teatro, e colaborou em vários espetáculos de teatro e roteiros de filmes. Mais tarde começou a escrever e dirigir suas próprias obras. Atualmente vive e trabalha em Amesterdã.
* Expressão francesa equivalente a “isto para mim é grego”, indicativo de algo impossível de entender.
Dias 20 e 21 de novembro. Sábado, 21h. Domingo, 20h30, 12 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 65 minutos. Teatro Anchieta. Capacidade – 320 lugares.

DYSIQUILIBRIO – Sesc Pompeia
Direção e Concepção: Dudude Herrmann e Marco P. Rolla.
Este trabalho é um desdobramento do processo colaborativo de Dudude Herrmann e Marco Paulo Rolla, que em 2003 iniciou-se com o trabalho Tanque numa pesquisa multidisciplinar. A ideia do desequilíbrio partiu de vivência de um cotidiano supostamente harmonioso e que quase sempre não revela tal verdade. O ideal da ordem não significa o melhor, e no desequilíbrio todas as possibilidades têm seu tempo e suas intensidades. A parceria de Marco Paulo e Dudude Herrmann começou nos anos 90. O interesse de ambos é a ampliação de fronteiras, a experimentação de linguagens, somadas à experiência individual nas artes visuais, na dança, na musica, no teatro, na improvisação e na performance.
Dia 23 de novembro. terça, 21h. 14 anos. R$24; R$12; R$6. Duração: 50 min. Teatro. Capacidade – 344 lugares.
Parceria 29º Bienal de São Paulo.

FELDENKRAIS IN PROGRESS (AUT) – (Interações Feldenkrais)
Concepção: Amalia Altenburg e Phillip Rutner.
Esta intervenção cria um território artístico e físico, em um espaço público, no qual os passantes podem optar por serem durante um tempo performers ou somente publico. De posse de fones de ouvido, o público passa a seguir uma série de comandos que tem por base o método Feldenkrais. Amalia Altenburg estudou teatro e filosofia, e trabalha como atriz e trainner Feldenkrais®. Philipp Ruthner é trainner Feldenkrais®, e estudou esportes e ciência, e atua como Dj e cantor.
Duração: 2 horas.Livre. Grátis.
Sesc Itaquera. Pça de Eventos - Dia 20 de novembro. Sábado, 14h.
Sesc Pinheiros - Praça – Dia 21 de novembro. Domingo, 16h.
Praça da Liberdade – Dia 22 de novembro. Segunda, 12h.
Em frente ao Museu do Ipiranga (em frente a entrada) – Dia 27 de novembro. Sábado, 15h.
Sesc Interlagos – Dia 28 de novembro. Domingo, 15h. – Pça de Entrada da Rede Social.

MATADOURO – Sesc Consolação
Direção e Concepção - Marcelo Evelin. Com - Alexandre Santos, Andrez Lean Ghizze, Cipó Alvarenga, Fábio Crazy da Silva, Fagão, Izabelle Frota, Jacob Alves e Marcelo Evelin.
Matadouro é a terceira e última parte de uma trilogia iniciada por Marcelo Evelin/demolition Inc em 2003 na Holanda com o espetáculo “Sertão”, seguido de “Bull Dancing” criado em 2006 no Brasil. A trilogia elabora-se em torno de questões relacionadas a uma identidade territorial e cultural deslocada, e ao dilema racionalidade X animalidade no homem contemporâneo. O espetáculo explora aspectos sociais, políticos e culturais brasileiros para dialogar com a multipluralidade do mundo globalizado, tomando emprestado para cada peça uma parte do romance “Os Sertões” de Euclides da Cunha, respectivamente A Terra, O Homem, A Luta. Marcelo Evelin é coreógrafo, pesquisador e intérprete. Vive e trabalha na Europa desde 1986, onde atua na área da dança e do teatro físico, tendo colaborado com profissionais de variadas linguagens, nacionalidades e experiências.
Dias 25 e 26 de novembro. Quinta e sexta, 19h30. 16 anos. R$24; R$12; R$6. Duração: 60min. Teatro Anchieta. Capacidade – 320 lugares.

PROJETO COLEÇÕES – Sesc Pompeia
Direção - Valéria Martins. Intrépida Trupe. Com - Carolina Cony, Flávia Costa, Guilherme Lazzari, Leonardo Senna, Renato Rocha.
Projeto Coleções é o encontro de linguagens do movimento com as artes plásticas.
O espetáculo, dirigido por Valéria Martins, a obra de arte deixa de ser um objeto de contemplação e se torna o suporte para a representação e movimentação dos performers.
Aprofundando a linguagem cênica singular, unindo o circo, ao teatro e a dança, marca do grupo, este trabalho promove a interação dos atores com obras dos artistas plásticos Raul Mourão, Marta Jourdan, Guga Ferraz e Pedro Bernardes. Pioneira na atualização das técnicas circenses em uma linguagem contemporânea, a Intrépida Trupe prima pelo apuro técnico e pela inventividade de suas encenações. Em 24 anos de existência, seus espetáculos mesclam circo, teatro e dança a uma estética ousada, incorporando luz, música e efeitos especiais resultando numa linguagem multimídia e arrojada.
Dias 19, 20 e 21 de novembro. Sexta, 19h30. Sábado e domingo, 17h.Livre. Grátis. Duração: 50 min. Convivência.

ROYAL DANCE (ITA/ESP) – Sesc Ipiranga
Direção e Concepção: Antonio Tagliarini e Idoia Zabaleta.
A bandeira é um dos símbolos mais poderosos e contaminados do século passado. O hastear da bandeira ao som do hino nacional não deixa ninguém indiferente, com a sua mistura de verticalidade, beleza, solenidade e grandiosidade. Em Royal Dance, Antonio Tagliarini e Idoia Zabaleta tecem uma penetrante, e por vezes hilariante, performance, mas sempre grandiosa em torno do nacionalismo, bandeiras e hinos e toda a atração e ambiguidade que provocam. Antonio Tagliarini, nascido na Itália, é performer, coreógrafo e encenador. Idoia Zabaleta, de origem basca, é coreógrafa e diretora do espaço de criação AZALA. Royal Dance é o primeiro projeto da dupla em total colaboração.
Dias 19 e 20 de novembro. Sexta, 21h. Sábado, 19h, 12 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 70 min. Teatro – Capacidade - 200 lugares.
Apoio para tourné Departamento de Cultura do Governo Basco.
Parceria Festival Panorama.

SIM > AÇÕES INTEGRADAS DE CONSENTIMENTO PARA OCUPAÇÃO E RESISTÊNCIA – Sesc Santana

Direção - Alejandro Ahmed.Com Grupo Cena 11 Cia. de Dança

O projeto tem por objetivo reorientar o modo de utilização do espaço cênico, seu entendimento de posicionamento de platéia e suas perguntas sobre como definir dança. Bailarinos e platéia ocupam o mesmo ambiente, num processo de investigação que comporta dois objetivos centrais da pesquisa do Grupo Cena 11: adaptabilidade e relocamento das funções de um corpo. O Grupo Cena 11 Cia. de Dança desenvolve, desde 1995, uma técnica particular e instaura projetos de pesquisa e formação sempre com o propósito de confluir teoria e prática no entendimento de dança. Alejandro Ahmed, além de diretor artístico da companhia, é coreógrafo residente e bailarino.
Dias 19, 20 e 21 de novembro. Sexta a domingo, 19h e 21h. 12 anos. R$32; R$16; R$8. Duração: 60 minutos. Co-produção: Sesc SP.Patrocínio: Petrobrás. Teatro – Capacidade - 349 lugares.

WORLD OF INTERIORS (POR) – Sesc Pinheiros
Direção e Concepção - Ana Borralho e João Galante. Textos a partir de fragmentos da obra teatral de Rodrigo Garcia.
Os performers estão deitados no chão, espalhados pela sala, de olhos fechados e sem movimento aparente. O texto do Rodrigo Garcia funciona como base narrativa. O público poderá escutar o texto dito ao vivo pelos performers ao longo de todo o tempo da performance. As palavras são sussurradas, obrigando o público que queira entender a aproximar-se colocando suas cabeças junto dos corpos dos performers, e estabelecendo deste modo uma relação direta e íntima com eles. É o espectador quem define a duração e o tipo de relação que será estabelecida. Ana Borralho e João Galante conheceram-se enquanto estudavam artes plásticas. Seus trabalhos tem sido apresentados em diversos festivais internacionais.
Dias 24, 25 e 26 de novembro. Quarta a sexta,  a partir das 19h.  Duração: 2h. Livre. Grátis. 2º andar – Sala de Oficinas. Capacidade - 40 lugares.

PAISAGEM CONCRETA – Sesc Santana
Direção e Concepção - João Saldanha. Com - Celina Portella, Fernando Klipel, Jamil Cardoso, Laura Samy e Vivian Miller.
A organização espacial, os aspectos dinâmicos da forma e das cores e os ritmos propostos por Burle Marx são apresentados nos corpos de 5 intérpretes. Parte do trabalho se desenvolve dentro de um espaço, que é visto pelo deslocamento do público para observar o desenvolvimento das ações através de lentes, fixadas na estrutura, que modificam a escala espacial. Na primeira meia hora, o espetáculo solicita o engajamento corporal dos espectadores, tornando o olhar uma experiência física, que implica em deslocamento, decisão e adaptação. João Saldanha é coreógrafo, estudou dança moderna e balé clássico. Recebeu diversas premiações e atualmente desenvolve um trabalho para a bailarina Angel Vianna, que terá a sua estréia em janeiro de 2011 no Sesc Ginástico, no Rio de Janeiro.  
Dias 27 e 28 de novembro. Sábado, 21h  e domingo, 19h, 12 anos. R$32, R$16 e R$8.  Duração: 80 minutos. Teatro – Capacidade - 349 lugares.

ARTES VISUAIS

GUERRILLA GIRLS (EUA) – Sesc Pinheiros
Importante coletivo de artistas feministas dos anos 80. Trabalham na fronteira entre ação artística e ativismo político engajado na causa feminista (e em sua crítica), através de ações, cartazes, projetos editoriais e curatoriais. As performances apresentam ao público o processo de criação de posters, ações e livros que tratam da discriminação da mulher nas artes e na política. A ação tem formato de fala e é seguida por uma sessão de perguntas aberta ao público.
Dia 19 de novembro. Sexta, 19h30. 16 anos. Grátis. 2º andar – Sala de Oficinas. Capacidade - 40 lugares.

LI WEI (CHN) – Sesc Santana
Concepção - Li Wei.
Exposição com fotografias do artista chinês Li Wei. As fotos retratam performances que parecem desafiar a gravidade, em diversas situações, criando uma realidade própria muitas vezes perigosa. O espectador se pergunta: como isso foi feito? Como as pessoas conseguiram ficar nessas posições? Truque? Ilusão de ótica?O artista afirma que estas imagens não são montagens de computador, apenas possuem ajuda de adereços como espelhos, fios metálicos, andaimes e acrobacias, para serem realizadas. Li Wei já expôs suas obras na Europa e Estados Unidos e, atualmente, vive em Pequim, China.
De 19 de novembro a 19 de dezembro. Segunda a domingo, 24 horas, Livre. Grátis. Vitrine.

DISSONÂNCIAS – Sesc Santana
Exposição composta por instalações, engrenagens,  máquinas visuais e sonoras, inventadas e construídas com equipamentos digitais e analógicos. Convivência 1 e 2.

Exposição:
Claudio Bueno. Artista multimídia. Seus trabalhos atuam principalmente em torno da arte em mídias móveis, locativas, interfaces, net art e vídeo. Participa de grupos de estudos, exposições e se apresenta em oficinas e palestras.

Felix Thorn (ING). Artista multimídia desenvolve esculturas que produzem música traduzindo as estruturas rítmicas de áudio em um show visual tridimensional. Desenvolveu as Felix Machines que funcionam como instrumentos musicais, bem como esculturas cinéticas.

Paulo Nenflídio. Artista sonoro, suas obras são esculturas, instalações, objetos, instrumentos e desenhos que se parecem com bichos, instrumentos musicais ou com máquinas de ficção científica. Som, eletrônica, movimento, construção, invenção, aleatoriedade, fí­sica, controle, automação e gambiarra são elementos do seu trabalho.

Piano Migrations (ING). Grupo interdisciplinar e colaborativo de artistas que pesquisa as rotas de migração de pássaros, traduzindo imagem em som.  Suas obras refletem sobre o relacionamento entre seres humanos e mecanismos e como as mudanças ambientais estão afetando a migração dos animais. Seus trabalhos incluem instalações, performances, música, vídeo, autômatos e projetos on-line participativos.
Wilson Sukorski. Compositor, músico eletrônico, performer multimídia, criador/produtor de conteúdos musicais para rádio, vídeo e cinema, designer e construtor de instrumentos musicais inusitados e pesquisador em áudio digital.
Yuri Suzuki (JPN). Nascido em Tóquio em 1980, Suzuki é um designer de produto que trabalha com design interativo e música, estabelendo pontes entre o analógico e o digital. Seu trabalho levanta questões sobre a relação entre o som e as pessoas e em como estas são afetadas pela música e sons.
De 19 de novembro a 19 de dezembro. Sesc Santana. Terça a sexta, 9h às 21h30. Sábados, 10h às 21h. Domingos e feriados, 10h às 19h30. Livre. Grátis. Convivência 1 e 2
Como a obra do artista Wilson Sukorski está instalada na piscina, para visitá-la é necessário possuir exame dermatológico e cartão de matrícula atualizados. De 19 a 28/11.
Performances:

Wilson Sukorski - Música Molhada – Sesc Santana
Dois projetores de vídeo, um projetando imagens na água da piscina e outro em um telão, música eletrônica tocada ao vivo de dentro d’água por instrumentos desenvolvidos para piscina e amplificados por hidrofones. Instrumentos aéreos também cruzam o espaço, e câmera gravam a performance inclusive embaixo d’água.
Dia 27 de novembro. Sábado, 20h. Livre. Grátis.

Piano Migrations (ING) – Sesc Santana
Performance ao vivo com projeções e interação com a obra que compõe a exposição.
Dia 19 de novembro. Sexta, 20h. Livre. Grátis.

É CRÉDITO OU DÉBITO?

Curadoria - Josué Mattos

Intervenções em que artistas e público negociam, por centavos, conversas, gestos, textos ou objetos simbólicos discutindo questões sobre a sociedade de consumo e o mercado da arte. Ao utilizar esta que é uma das frases mais empregadas em nosso mundo contemporâneo, questionamos a circulação de produtos, serviços, ideias e ideais que constantemente nos interpelam a assumir o papel de consumidor em intercâmbios incessantes, travados com base em valores objetuais e simbólicos. Intercâmbios que quase sempre comprometem experiências subjetivas. Sob curadoria de Josué Mattos, artistas incorporam ideias e ações a partir de uma genealogia artística construída desde os anos 70 que subverte o sistema institucional da arte, estabelecendo alternativas de posicionamentos face ao sistema capitalista. Em consonância com os objetivos da Mostra Sesc de Artes, as intervenções reúnem considerações do mundo contemporâneo e do caráter interdisciplinar da arte contemporânea.
Livre. Grátis.

Ana Teixeira/ Outra Identidade
Caetano Dias / Margarida
Daniele Marx / Equilíbrio Econômico
Ernesto Neto / Troco uma embalagem por uma laranja fresca
Grupo Hóspede / Projeto Tudo R$
Jaime Lauriano / A Casa
Luciano Mariussi / De Cor
Malu Saddi / O Livro das Flores que Sopram
Marcos Chaves / Eu só vendo à vista
Marilá Dardot / Atlas
Nazareno / Ilusões
Tamara Andrade / Desenhe o seu lugar, eu desenho você.
Vitor César / Destinatário
18/11. Quinta, 20h às 22h. Sesc Pompeia

Caetano Dias / Margarida
Jaime Lauriano / A casa
Marcos Chaves / Eu só vendo à vista
Tamara Andrade / Desenhe o seu lugar, eu desenho você
Vitor César / Destinatário
19 /11. Sexta, 12h às 15h. Largo da Igreja de Nossa Senhora Monte Serrat – Pinheiros.

Ernesto Neto / Troco uma embalagem por uma laranja fresca
Luciano Mariussi / De Cor
Malu Saddi / O Livro das Flores que Sopram
Marilá Dardot / Atlas
20 /11. Sábado, 12h às 15h. Largo da Igreja de Nossa Senhora Monte Serrat – Pinheiros.

Daniele Marx / Equilíbrio Econômico
Grupo Hóspede / Projeto Tudo R$
Luciano Mariussi / De Cor
Vitor César / Destinatário
21/11. Domingo, 11h às 16h. Sesc Interlagos. Pça Trabalhadores do Comércio.

Ana Kalaydjian / Café por leitura
Ana Teixeira / Vende-se amor
Ernesto Neto / Troco uma embalagem por uma laranja fresca
Jaime Lauriano / A casa
Nazareno / Ilusões
22/11. Segunda, 12h às 15h. Rua São Bento e Praça Antonio Prado - Centro.

Tamara Andrade / Desenhe o seu lugar, eu desenho você
Malu Saddi / O livro das flores que sopram
Ana Kalaydjian / Café por leitura
Ernesto Neto / Troco uma embalagem por uma laranja fresca
23/11. Terça, 12h às 15h. Rua São Bento e Praça Antonio Prado - Centro.

Daniele Marx / Equilíbrio Econômico
Grupo Hóspede / Projeto Tudo R$
Jaime Lauriano / A casa
Marcos Chaves / Eu só vendo à vista
Nazareno / Ilusões
24/11. Quarta, 12h às 15h. Rua São Bento e Praça Antonio Prado - Centro.

Ana Kalaydjian / Café por leitura
Caetano Dias / Margarida
Ernesto Neto/ Troco uma embalagem por uma laranja fresca
Luciano Mariussi / De Cor
Tamara Andrade / Desenhe o seu lugar, eu desenho você.
25/11. Quinta, 12h às 15h. Praça Floriano Peixoto – Santo Amaro.

Ana Kalaydjian / Café por leitura
Ana Teixeira/ Vende-se amor
Malu Saddi / O livro das flores que sopram
Marilá Dardot / Atlas
26/11. Sexta, 12h às 15h. Praça Floriano Peixoto – Santo Amaro.

Filé de Peixe / Piratão
Grupo Hóspede / Projeto Tudo R$.
Nazareno / Ilusões
Ana Teixeira / Outra identidade
Jaime Lauriano / A casa
Daniele Marx / Equilíbrio Econômico
27/11. Sábado, 12h às 15h. Praça Floriano Peixoto – Santo Amaro.

Ana Teixeira/ Outra Identidade
Caetano Dias / Margarida
Daniele Marx / Equilíbrio Econômico
Ernesto Neto / Troco uma embalagem por uma laranja fresca
Filé de Peixe / Piratão
Grupo Hóspede / Projeto Tudo R$
Jaime Lauriano / A Casa
Luciano Mariussi / De Cor
Malu Saddi / O Livro das Flores que Sopram
Marcos Chaves / Eu só vendo à vista
Marilá Dardot / Atlas
Nazareno / Ilusões
Tamara Andrade / Desenhe o seu lugar, eu desenho você.
Vitor César / Destinatário
28/11. Domingo, 13h às 16h. Sesc Itaquera. Pça de Eventos.

GIGANTO - Tapumes da futura Unidade Santo Amaro

Concepção: Raquel Brust

Projeto de intervenção urbana realizado com fotografias em grande formato idealizado pela fotógrafa Raquel Brust. O projeto consiste em apresentar imagens ao cenário cotidiano, utilizando espaços públicos como plataformas de exibição fotográfica.
As fotografias procuram estimular o diálogo entre o cidadão e a paisagem urbana em que está inserido. Nascido em 2009, o projeto foi inicialmente realizado com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo - ProAC 2008. Para a Mostra Sesc de Artes, o projeto propõe um reconhecimento da região de Santo Amaro, reagindo com a arquitetura crescente da região e retratando personagens e paisagens.
De 18 a 28 de novembro. Segunda a domingo, 24h, Livre. Grátis. Tapumes da futura Unidade Santo Amaro
Rua Amador Bueno, 505.

MEMORIAL DO ESQUECIMENTO - Tapumes da futura Unidade Av. Paulista.
Criação - Laís Myrrha.
Sobre um muro pintado de preto, a performance consiste em pintar, com tinta branca, os nomes de pessoas que se disponham a contribuir com a realização do memorial.  Os nomes são escritos um sobre os outros, e a ação continua até que o muro se torne completamente branco. Laís Myrrha é mestre pela Escola de Belas-Artes da UFMG e desde 1998 tem participado de diversas exposições coletivas e individuais. Nasceu em Belo Horizonte (MG) e atualmente vive e trabalha em São Paulo.
De 19 a 28 de novembro. Segunda a domingo, 24 horas. Livre. Grátis.

SEMICONDUCTOR – Sesc Vila Mariana
Com Ruth Jarman e Joe Gerhardt.
O Semicondutor é um duo artístico formado por Ruth Jarman e Joe Gerhardt. Através de imagens em movimento, instalações sonoras e multimídias, exploram a natureza material de nosso mundo e o modo como nós o experimentamos, questionando nosso lugar no universo. Desde 1999, os artistas exploram diferentes processos de animação digital para produzir filmes experimentais que revelam o constante movimento de nosso universo. O som também ocupa papel central nas obras, tornando-se sinônimo das imagens. O trabalho Brilliant Noise, criado durante uma residência nos laboratórios da NASA, apresenta imagens da órbita e superfície solar. As imagens foram mantidas em sua forma mais crua, revelando as partículas energéticas e o vento solar como uma chuva de ruído branco. A trilha sonora traduz as áreas de intensidade e brilho da imagem em camadas de manipulação de áudio e radio-frequência.
Instalação: De 19 a 28 novembro. Terça a sexta, 10h30 às 21h30. Sábados, domingos e feriados, 10h30 às 18h30. Livre. Grátis.
Performance: De 23 novembro. Terça, 19h30. Duração: 35 minutos. Local?

VOLTO JÁ! (EUA) - Tapumes da futura unidade Bom Retiro
Com Steve Powers, Dan Murphy, Michael Levy, Aindriais Dolan, Robert Lopez, Timothy Badalucco , entre outros.
O artista norte-americano Steve Powers e uma equipe de grafiteiros escrevem sobre o amor e a vida utilizando as cores e as tipografias dos anúncios comerciais. O projeto nasceu de uma experiência realizada na cidade de Filadélfia com o objetivo de revitalizar uma área degradada através da linguagem da pintura mural. Com uma trajetória artística iniciada na prática do grafite, com publicações sobre o assunto, Steve caminha também pela área da ilustração em seu estúdio em Nova Iorque.
O deslocamento proposto pelo artista discute como as relações afetivas podem estar estampadas no corpo da cidade a partir da estética da linguagem comercial.
De 18 a 28 de novembro. Segunda a domingo, 24 horas. Livre. Grátis.
Tapumes da futura unidade Bom Retiro - Al. Cleveland e Al. Nothman.

CINEMA

FESTIVAL CINETUBE @2010views - CineSesc
As produções audiovisuais nunca mais foram as mesmas desde o surgimento dos canais de compartilhamento de vídeos e da popularização das tecnologias de captação. Sites como YouTube, o principal expoente, têm transformado a relação do público com a arte audiovisual. É justamente essa influência que o Festival CineTube @2010views quer apresentar. Convidados da televisão, cinema e música irão expor seus pontos de vista sobre a transformação em andamento. O Festival também pretende incentivar a produção independente. E para isso, convida o público a construir as noites do evento junto com a organização. Como? Selecionando e produzindo os vídeos que serão exibidos no CineSesc. O evento será mediado pelo twitter, que estará conectado à tela, e o público poderá, ao vivo, escolher os vídeos que serão exibidos. Acesse www.2010views.com ou siga @2010views para ter mais informações e saber como enviar o seu trabalho para nós.
Dias 26 e 27 de novembro. Sexta e sábado, 23h, 14 anos. Grátis. Sala de Exibição.

MOSTRA MATHEW BARNEY - CineSesc
DR9
Matthew Barney, 2006, EUA, 135 min, 35mm.
Filmado em Nagasaki, a bordo do baleeiro japonês Nissin Maru, esta obra trabalha a relação entre limitações auto-impostas e criatividade. O artista prossegue com seu interesse por ritos religiosos, desta vez focando o Shinto. A trilha sonora foi composta pela cantora Björk.

Dia 25 de novembro. Quinta, 20h30. 16 anos. Grátis. Sala de Exibição

Ciclo Cremasters
Com o Ciclo Cremaster, do grego “kremastér (o músculo que serve para elevar os testículos, também entendido como símbolo da sexualidade masculina.), Barney pretende criar a mitologia do novo milênio. Seu projeto, composto por cinco filmes (desenvolvidos entre 1994 e 2002) é inspirado em sua experiência anterior como esportista e segue a filosofia de que a forma só pode tomar uma configuração ou mutar quando resiste contra uma força oposta. Assim, um dos conceitos de seu trabalho é ultrapassar os limites do corpo através do treino físico, em uma pressão atlética e narcísica de poder, da realização daquilo que é impossível fisicamente. O corpo é, para o artista, tanto órgão de reprodução, quanto instrumento esculturável. Filmes apresentados em 35mm.
Cremaster 1 e Cremaster 2 - Dia 22 de novembro. Segunda, 20h30.
Cremaster 3 - Dia 23 de novembro. Terça, 20h30.
Cremaster 4 e Cremaster 5 - 24/11. Quarta, 20h30.
18 anos. Grátis.

TELEVISÃO

INSTALAÇÃO -> VÍDEO – SescTV. Sky, canal 3. Net, canal 137.
Curadoria - Marcus Bastos.
O projeto inverte o trajeto histórico da videoarte. Esta é a proposta que o SescTV traz para a Mostra Sesc de Artes 2010: obras criadas nos formatos de instalação, intervenção urbana, live cinema ou audiovisual em dispositivos portáteis traduzidas para um monitor de televisão. Para reagir a esta provocação, foram selecionados vinte artistas de diferentes gerações e regiões do Brasil. As obras foram convertidas em pílulas de curta duração, para serem exibidas no formato de Interprogramas.
De 18 a 28 de novembro, durante a programação do canal. Livre. Grátis.

PERFORMANCE
PERCURSOS URBANOS
Com Julio Lira, Thaís Monteiro e convidados.
Realização de roteiros em ônibus, com o objetivo de apresentar e discutir os desafios e as possibilidades dos centros urbanos, articulando como mediadores pessoas de saberes acadêmicos e de saberes populares. Troca de ideias, (re)descoberta de espaços e pessoas, proposições de uma ação criativa e novos usos da cidade. O projeto recebe convidados em cada roteiro, sob a coordenação dos artistas Julio Lira e Thaís Monteiro, integrantes do coletivo MESA (Mediação de Saberes), de Fortaleza. O foco de atuação do grupo não pressupõe espaços ou públicos pré-determinados, mas a interação entre diferentes grupos e segmentos sociais e o desenvolvimento de metodologias participativas e de processos capazes de provocar alterações no contexto sócio-cultural. Agregar conhecimento e estabelecer vínculos culturais, sociais e afetivos com a cidade de São Paulo estão entre os objetivos da proposta.
Duração: 3h. 12 anos. R$3,00; R$1,50; Grátis.

Percursos:
19/11. Sexta, 19h30. Saída Sesc Consolação. A São Paulo Epifânica de Caio Fernando de Abreu. Neste roteiro iremos acompanhar a literatura e personagens de um autor mestre na exposição da solidão humana, da procura por amor e cumplicidade. O circuito do baixo centro servirá de ambiente para leituras e dramatizações. Mediador: Rodolfo Lima.

20/11. Sábado, 15h. Saída Sesc Consolação. Para Além dos Olhos: uma Deriva Guiada. Um roteiro para pensar nas deficiências das pessoas comuns, profundamente ligadas ao mundo pela visão e incapazes de chegar a ele através de outros sentidos. Como mediador, uma pessoa cega que nos guiará pelos limites e possibilidades da ausência de visão. Vendas para os olhos estarão disponíveis aos participantes. Mediador: Claudio Marcos Ângelo.

21/11. Domingo, 15h. Saída Sesc Consolação. A Cidade como Playground. Neste percurso vamos observar como as estruturas urbanas são reapropriadas e resignificadas por seus habitantes, em especial pelos jovens, em uma provocação à arquitetura instituída. Skate, Le parkour serão algumas das práticas de transformação urbana a serem vivenciadas, apreciadas e analisadas. Mediador: Alexandre Barbosa Ferreira.

22/11. Segunda, 15h. Saída Sesc Consolação. Rotas do Alimento: do Mundo ao Mercado. A recomendação para este percurso é levar uma boa sacola porque iremos a mercados para comprar o de comer e o de beber. Ali, entre bacias e balanças, vamos aprender sobre a história da alimentação no Brasil, sobre as origens e disseminação dos produtos agrícolas. Mediador: Dolores Freixa.

23/11. Terça, 15h. Saída Sesc Consolação. Pequena Jornada Teológica Poética. Pode a arte ser o lugar do Sagrado? Neste percurso nos propomos a encontrar romancistas, poetas, artistas e conhecer a angústia, a teologia bruta que pulsa no fundo dos seus textos. E depois? Depois Guimarães Rosa nos dirá: "Tudo, para mim, é viagem de volta". Mediador: Waldecy Tenório.

24/11. Quarta, 15h. Saída Sesc Santo Amaro. Em Cada Canto um Conto: uma Experiência Teatral. Um passeio por lugares da cidade onde memórias pessoais são compartilhadas, ganham vida e tornam-se vivências coletivas através do teatro e da música. Valorização da escuta e dos narradores, exposição de processos criativos serão algumas das marcas deste roteiro dramatúrgico desenvolvido por quatro atrizes. Mediador: Grupo Nhê Maria.

25/11. Quinta, 15h. Saída Sesc Santo Amaro. Arte Pelas Margens. Onde a ligação do ser urbano com o céu, a floresta, as águas? Neste roteiro propomos uma ligação com a água que vai além das torneiras. Passearemos pela Represa Billings, contemplaremos bichos e gentes, acompanharemos artistas anfíbios e suas práticas resistentes  e até conspiraremos por uma cidade zelosa por suas águas. Mediador: Floriana Breyer e Mauro Neri.

26/11. Sexta, 15h. Saída Sesc Santo Amaro. Comida de Santo.  Oferendas destinadas as Entidades espirituais e aos Orixás, as comidas sagradas dos terreiros, feitas por cozinheiras de santo nos ajudarão a compreender melhor, neste percurso, a personalidade dessas entidades, as formas de devoção, as funções dos alimentos e a relação entre corpo e espiritualidade nas religiões de matriz africana.

27/11. Sábado, 15h. Saída, Sesc Santo Amaro. Pela Alma e Pelo Corpo, Outras Medicinas. A busca pela saúde e pelo bem estar nem sempre passa pela ciência e pela farmácia.  Neste percurso investigaremos práticas populares da região de Santo Amaro de se alcançar a cura, seja por meio de plantas e substâncias medicinais, seja por meio de gestos, orações. Mediador: Ana do Val.

28/11. Domingo, 15h. Saída Sesc Santo Amaro. Santo Amaro - Bom Retiro Território em Trânsito. Como a arte pode se relacionar com processos de transformação urbana e social? Este percurso, ao estabelecer ligações entre dois diferentes bairros da cidade colocará em evidências pessoas e práticas artísticas  que ativam processos  que potencializam a capacidade criativa do espaço social local. Mediador: Lilian Amaral.