PUBLICIDADE

Infantil - São Paulo

TEATRO INFANTIL - SÃO PAULO

Cia. Paidéia de Teatro estreia ‘Na arca às oito’

Na arca às oito

Foto: divulgação

Pátio dos Coletores de Cultura – Paidéia

Por Silvia Peres

Cia. Paidéia de Teatro apresenta a peça "Na arca às oito"

Peça para família tem preços populares

26 e 27 de fevereiro de 2011

Indicada ao Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem nas categorias Melhor Espetáculo Infantil, Diretor (Amauri Falseti), Atriz (Manoela Pamplona) e Iluminação (Wagner Freire), a peça Na arca às oito, da Cia. Paidéia de Teatro, faz duas apresentações neste final de semana, sábado, dia 26, e domingo, 27 de fevereiro, às 17 horas.

Indicada para toda família (censura livre), a peça foi sucesso de público em 2010 ao apresentar um divertido texto sobre o dilúvio e a arca de Noé do autor alemão Ulrich Hub, vencedor do Prêmio Alemão de Peça Radiofônica Infantil de 2006 e do Prêmio Literário de 2008. Na história, três pinguins discutem amizade e solidariedade, com leveza e humor.

Até 3 de abril, Na arca às oito ficará em cartaz aos sábados e domingos (às 17h) com preços populares (R$ 15,00 inteira / R$ 7,00 meia)  na sede da Cia Paidéia (Rua Darwin, 153, Alto da Boa Vista- Tel: 5522-1283). Excepcionalmente, a peça não terá apresentações dias 5, 6, 12 e 13 de março.

A direção do espetáculo é de Amauri Falseti, que há 13 anos iniciou a Paidéia Associação Cultural ao lado da atriz Aglaia Pusch. A Paidéia é uma instituição sem fins lucrativos que desenvolve atividades de criação e montagem de espetáculos teatrais dirigidas ao público infanto-juvenil, além de realizar anualmente o Festival Internacional de Teatro para a Infância e Juventude: Uma Janela para a Utopia.

Sinopse

Pinguins adoram discutir, mas quando perguntamos para um pinguim: quem é Deus? Ele nunca sabe direito o que responder. Quem é Deus? Ele vê tudo?  Se ele é invisível, como vamos saber se ele existe de verdade?

Foi durante essa discussão, entre três pinguins, que o dilúvio começou. Mas uma pomba entrega para eles dois bilhetes para a arca de Noé.
Apenas dois bilhetes...
Repleta de humor, a peça abre espaço para reflexões.

Ficha Técnica: Texto:Ulrich Hub | Tradução: Christine Röhrig | Direção: Amauri Falseti
Elenco: Aglaia Pusch, Camila Amorin, Fábio Coutinho, Flavio Porto, Manoela Pamplona e Rogério Modesto. Músicos: Marcos Iki e Timon Schilling
Duração: 50 minutos - PARA A FAMÍLIA (censura livre)

Pátio dos Coletores de Cultura – Paidéia - Rua Darwin, 153, Alto da Boa Vista
Informações: www.paideiabrasil.com.br
Ingresso: R$ 15,00 (inteira) R$ 7,00 (meia)
Reservas: ciapaideia@paideiabrasil.com.br. Tel.: 5522-1283

CONHEÇA A CIA. PAIDÉIA

A palavra Paidéia é um conceito da Grécia antiga que significa cultura e educação plena e holística do homem. Este é o lema do grupo. A Cia. Paidéia de Teatro é um dos núcleos da Paidéia Associação Cultural, ONG cultural e social que nasceu da experiência do diretor Amauri Falseti e da atriz e diretora Aglaia Pusch. Há mais de 30 anos, eles estão envolvidos com jovens em atividades do fazer teatral e a questão cultural no trabalho social.
 
Desde sua criação, em 1997, a Cia. Paidéia busca, por meio do teatro, desencadear ações eficazes e dinâmicas capazes de despertar e envolver a comunidade de jovens e crianças em processos culturais nos quais a criação, a discussão, a imaginação e a fantasia estejam presentes e contribuam para a construção de instrumentos de transformação da realidade.

Hoje, contemplada pelo projeto "Ponto de Cultura", a Paidéia abriga também uma sala de cinema e uma biblioteca.

Um dos trabalhos da Paidéia é realizar parcerias com escolas públicas, privadas e Ongs da região. Por meio das aulas com os integrantes da Cia. de Teatro, professores e alunos das escolas EMEF Carlos Andrade Rizzini e EE José Raul Poletto já estão ampliando seus conhecimentos sobre as artes cênicas, contribuindo para que o Teatro tenha destaque em seus programas educacionais.

A Cia. Paidéia consolidou seu espaço físico, o Pátio dos Coletores de Cultura (Rua Darwin, 153 – Alto da Boa Vista tel: 11 – 5522-1283), como um centro cultural, que é um pólo multiplicador de agentes culturais.  A construção desse espaço se deu graças ao apoio e à participação de artistas, amigos da Paidéia no Brasil e na Alemanha, pais e jovens dos projetos da Paidéia, Freunde der Erziehungskunst Rudolf Steiner, empresários, Associação Tobias, Programa Municipal de Fomento ao Teatro, subprefeitura de Santo Amaro e Sesc Santo Amaro.