Nutrição

NUTRIÇÃO

PÁSCOA - CONSUMO DE CHOCOLATE

Chocolates

Foto: Divulgação

Chocolate

A Histórico do Chocolate

Por Regina Corrêa – Nutricionista Clínica

A Páscoa se aproxima e as lojas se enchem de ovos de todos os tipos. Você sabe como surgiu o chocolate? De que é feito o chocolate? Como escolher? As crianças podem comer? Que quantidade posso consumir?

Breve histórico do chocolate:

• Há mais de 2.000 anos atrás => os índios Maias já consumiam a amêndoa do cacau.
• Em 1519 => Hernando Cortez provou uma bebida chamada “Cacachuatt” que era uma feita à base de cacau e já muito apreciada por Mantezuma II – último imperador asteca. Imediatamente levou o cacau para a Espanha, onde a bebida era preparada com adoçantes e depois aquecida. A nobreza européia apreciava muito esta preparação, e o seu preparo foi mantido em segredo por anos.
• Em meados do século XVII => a bebida feita com cacau ficou famosa e tornou-se popular na França, sendo adorada pela rainha francesa Anne que a declarou de “bebida da corte francesa”.
• Em 1828 => foi inventada uma prensa de cacau onde se extraia a manteiga de cacau da amêndoa, permitindo desta forma diminuir o amargor e acidez do chocolate.
• Em 1886 => após inúmeras tentativas um doceiro suíço (Daniel Peter) levou seu produto até Henry Nestlé (que era fabricante de leite evaporado), na esperança de conseguir a adição de leite ao chocolate. Isso coincidiu com o aprimoramento do leite condensado por Nestlé. Eles resolveram então adicionar o leite condensado ao chocolate. E deu certo! Surgiu então o chocolate ao leite. Foi aprimorado mais tarde quando a manteiga de cacau foi adicionada novamente ao chocolate o que permitiu um melhoramento no produto, concedendo-lhe uma textura muito boa que derretia na boca.

De que é feito o chocolate?

A base da mistura é a semente de cacau, licor de chocolate, manteiga de cacau, açúcar, baunilha, sal, especiarias e essências. A partir disto para atender as necessidades dos consumidores essa mistura foi sendo aprimorada. Ao longo dos anos houve um aprimoramento industrial deste chocolate onde foram introduzidas algumas variações para atender o consumidor com necessidades específicas (intolerância à lactose, diabéticos). Basicamente as variações são: Chocolate ao leite: de gosto mais adocicado onde a massa de cacau é parcialmente substituída por leite em pó integral;

Chocolate branco: basicamente manteiga de cacau no lugar da massa de cacau, açúcar, lecitina de soja e leite em pó

Chocolate amargo: contém pouco açúcar e grande quantidade de massa de cacau;

Chocolate dietético: indicado para pessoas que têm restrições alimentares principalmente o açúcar. O teor de gordura é maior garantindo desta forma a consistência. Atenção – pode ser mais calórico que o chocolate ao leite, portanto deve ser indicado para as pessoas que fazem controle da glicose e não para pessoas com restrição calórica. Alguns são feitos para pessoas com restrição de leite de vaca sendo substituído pelo de soja.

Alguns benefícios nutricionais do chocolate:

•Devido ao cacau tem-se uma quantidade razoável de ácido oléico que é uma gordura monoinsaturada, e também encontrada em azeite de oliva. É considerada a “gordura do bem” conferindo uma proteção às artérias, contribuindo para uma elevação do bom colesterol (HDL) e uma diminuição do colesterol ruim (LDL).
•Devido a uma substância chamada teobromina (componente do cacau), pode provocar um relaxamento como também uma ligeira excitação.
• Aumenta a produção de endorfina e dopamina (são neurotransmissores) promovendo um aumento na alegria, disposição e outros sentimentos positivos.
• Estimula as regiões cerebrais relacionadas com o prazer e a sensação de bem-estar e está relacionado à produção do hormônio (feniletilamina) que é precursor da serotonina. Também conhecido como o hormônio da paixão.
• Possui vitaminas A, B, C, D e os minerais potássio, ferro e flúor.
• Como tem sabor adocicado, inconscientemente nos leva a um registro alimentar do primeiro alimento que temos contato: o leite materno, e que nos causa uma sensação de conforto e proteção.
Conhecendo o valor calórico do chocolate (calorias/100 gramas):
Chocolate crocante: 553
Chocolate branco: 550
Chocolate ao leite: 540
Chocolate amargo: 537
Fonte: RGNutri (consultoria nutricional)

Algumas dicas importantes:

• Devido ao alto teor de açúcar e gordura, o chocolate deve ser restringido para as crianças, principalmente no primeiro ano de vida quando as chances de intolerância à lactose são muito maiores.
• Também algumas pessoas mais sensíveis podem ter enxaqueca em conseqüência de alergias ou pela ação de algumas substâncias vasodilatadoras contidas no chocolate. Além disso pode acontecer o surgimento de irritações na pele, no estômago e na mucosa intestinal. Pode ocorrer um quadro de diarréia devido ao consumo excessivo de chocolate, provocado principalmente pelo alto teor de gordura.

Portanto, deve ser consumido com moderação e consumir na medida certa. É difícil? Pode até ser mas não é impossível! Se você está fazendo um controle de peso ou apenas está preocupado em manter seu peso com uma alimentação balanceada e diversificada, procure exercer um autocontrole diante desta iguaria.

Outra dica importante é dividir o chocolate e comer só um pouco por dia. A dica é ... coma um pequeno pedaço, guarde o resto para aproveitar no dia seguinte e com certeza você terá uma Páscoa muito feliz (primeiro por ter um autocontrole, e depois por não ficar com sentimento de culpa por ter comido além de suas necessidades)!

Regina Corrêa – Nutricionista Clínica
Programa personalizado de orientação nutricional e re-educação alimentar
para crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes.
Atendimento: Contato Regina Corrêa

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet