PUBLICIDADE

Teatro - São Paulo

TEATRO - SÃO PAULO

2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco

2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco

Foto: divulgação

O N.Ex.T (Núcleo Experimental de Teatro) 

Por Cris Fusco - Flavia Fusco (Assessoria e Comunicação)

2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco

De 24 de março à 30 de abril

Festival convida 7 autores para criarem textos inéditos, optando por um tema bem distante do politicamente correto. São eles: Alexandre Machado e Fernanda Young, Antonio Rocco, Chico de Assis, Mário Vianna, Maurício Paroni de Castro, Otavio Frias Filho e Sérgio Róveri.

Elenco: Antonio Destro, Jacqueline Obrigon, Maira Galvão, Luciana Caruso, Celso Melez, Marcos Gomes, Melissa Vaz, Fania Espinosa, Mario Matias.

N.Ex.T (Núcleo Experimental de Teatro)  realizará o 2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco, reunindo textos curtos inéditos de sete dramaturgos da cena paulistana. Juntam-se nesse esforço artistas de reconhecida atuação nos palcos brasileiros.

Nesta segunda edição, o N.Ex.T renova seu desafio aos autores, optando por um TEMA bem distante do politicamente correto  e pouco tratado nos palcos brasileiros. O publico terá contato com a dramaturgia do “agora” e cada autor obterá resposta à sua produção inédita e grotesca.

Os dicionários definem o termo grotesco de uma maneira simples e sucinta: grotesco é aquilo que provoca o riso. Para os organizadores do Festival, o termo suporta outras definições, um pouco mais extensas e complexas: grotesco é tudo aquilo que causa um ruído indisfarçável na realidade, é a situação que subverte a norma do politicamente correto e, acima de tudo, é a atitude que dispensa o verniz social. Com este conceito ampliado, o grotesco pode ser trágico, pode ser cômico e pode ser, antes de mais nada, incômodo.

Assim atingi-se o principal objetivo do Festival– ainda que não o único – que é o de promover uma radiografia minuciosa não de um gênero teatral, mas sim de uma linguagem cênica e textual que pode tanto trafegar pela comédia, quanto pelo drama ou mesmo pelo teatro do absurdo. Ou seja: ao convidar sete autores de estilos diferentes para compor o repertório deste festival, a intenção dos organizadores foi investigar de que maneira o grotesco pode ser tratado pelos diferentes gêneros teatrais.

Em seus 11 anos de existência, o  N.Ex.T se consolidou como um importante espaço teatral dedicado à nova dramaturgia brasileira. Mais de 100 dramaturgos brasileiros já se apresentaram em seu palco.

Textos
A Emancipação da Mulher ou Um Outro Mundo É Possível.
Texto: Otávio frias Filho.
Sinopse: A feminista Wanda, uma dominatrix do século XIX, ensina a jovem esposa Carlota a domesticar seu marido chauvinista. Juntas elas criam uma comunidade utópica em que os homens são escravos e as mulheres, rainhas.
Direção: Marcos Loureiro.
Com: Antonio Destro, Celso Melez, Fania Espinosa, Jacqueline Obrigon, Luciana Caruso, Marcos Gomes, Mário Matias e Melissa Vaz.

A Feia, a Bonitinha e a Inteligente.
Texto: Alexandre Machado e Fernanda Young.
Sinopse: Três estereótipos femininos debatem, ao vivo e em cores, as dores e delícias de ser o que são. A intensa batalha verbal conta com uma hilária mediação mediúnica.
Direção: Antonio Rocco
Com: Jacqueline Obrigon, Luciana Caruso e Melissa Vaz.

Atirei no Dramaturgo.
Texto: Mário Viana.
Sinopse: Durante o assalto a um bar, os ladrões atiraram em um dramaturgo famoso. Agora, desesperados, traçam plano de fuga.
Direção: Marcos Loureiro.
Com: Celso Melez, Fania Espinosa, Mário Matias.

Boi da Cara Preta.
Texto: Ségio Roveri.
Sinopse: Nenezinho é acalentado por seus pais orgulhosos. Seu aspecto pouco comum é menos aterrador do que seu comportamento.
Direção: Marcos Loureiro.
Com: Jacqueline Obrigon, Luciana Caruso e Marcos Gomes.

O Ovo e a Galinha
Texto: Chico de Assis.
Sinopse: Marido acusa mulher de traí-lo. Familiares, Advogado e veterinário são convocados para examinar um estranho ovo.
Com: Antonio Destro, Fania Espinosa, Celso Melez, Marcos Gomes, Mário Matias.

Telefone Público.
Texto: Antonio Rocco
Sinopse: No centro de São Paulo, ao lado de um telefone público tudo pode acontecer: Expectativas frustradas, amores impossíveis e um assalto relâmpago.
Direção: Antonio Rocco
Com: Antonio Destro, Celso Melez, Fania Espinosa, Jacqueline Obrigon, Luciana Caruso, Marcos Gomes e Mário Matias.

Espetáculo convidado:
A Carne dos Arrogantes (Camera Oscura I e II)
ATELIER DE MANUFACTURA SUSPEITA.
Texto de Mauricio Paroni de Castro (colaborou Rodrigo Zappa)
Sinopse: (I) Otelo encarnado em ator faz confissão pública sobre sua condição de corno. (II) Fedra encarnada em uma atriz faz confissão pública de suas atrocidades.
Direção: Mauricio Paroni de Castro.
Com: Erika Forlin e Rodrigo Zappa.

Participantes:

Dramaturgos: Alexandre Machado e Fernanda Young, Antonio Rocco, Chico de Assis, Mário Vianna, Maurício Paroni de Castro, Otávio Frias Filho e Sérgio Róveri.

Diretores: Antonio Rocco, Marcos Loureiro e Maurício Parone de Castro*.

Atores: Antonio Destro, Celso Melez, Erika Forlin, Fania Espinosa, Jacqueline Obrigon, Luciana Caruso, Marcos Gomes, Mário Matias, Melissa Vaz e Rodrigo Zappa.

Ficha Técnica
Cenário e figurino: Cássio Brasil.
Trilha sonora: Ricardo Severo.
Iluminação: Marcos Loureiro.
Técnica: Ivan Fagundes.

Coordenação: Antonio Rocco.
Produção: N.Ex.T.

Serviço:
2º Festival N.Ex.T de Teatro  Grotesco
Temporada: De 24 de março de 2011 à 30 abril de 2011.
Dias de apresentação: Quintas, sextas e sábados às 21h30.
Espetáculo: Serão apresentadas duas peças curtas por dia.
Duração total: 70 minutos.
Capacidade da sala: 70 lugares.
Recomendação: 18 anos.
Ingressos: R$ 30,00 – Meia: R$ 15,00.
Estacionamento conveniado: R$ 10,00.
Acesso universal.

Local: N.Ex.T (Núcleo experimental de teatro)
R. Rego Freitas, 448 - Vila Buarque - São Paulo/SP
Reservas: 3259.9636.
nexteatro@nexteatro.art.br
www.teatronext.com.br

Objetivos e Justificativa do Projeto

Este 2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco foi idealizado com o objetivo de expandir a linguagem e a pesquisa teatral, mas não de uma maneira uniforme, e sim a partir de uma visão pluralista conferida a partir de nove obras distintas. Um segundo objetivo do Festival diz respeito à expansão do repertório dos atores – já que o festival define que apenas oito atores integrarão o elenco dos seis espetáculos. Com isso, apostamos em que o elenco, limitado, mas eclético por necessidade, terá a oportunidade de transitar, às vezes em uma única noite, por climas distintos de espetáculos, conferidos não só pelos textos, mas principalmente pelo trabalho dos diretores.

Por fim, o Festival pretende brindar o público com o ineditismo de uma proposta que possui todas as condições para repercutir positivamente no cenário teatral da cidade: textos de autores com reconhecida participação na cena paulistana, diretores preocupados com a pesquisa de linguagem, atores de atuação marcante em grupos teatrais ou trabalhos solo e, principalmente, a ousadia de um tema, até o momento, pouco em nossos palcos.

Perguntas sobre o 2º Festival N.Ex.T de Teatro Grotesco.  Antonio Rocco, responde.

1) Por que  fazer o 2º festival de teatro do grotesco?
Nossa experiência, com o primeiro festival, foi maravilhosa: a diversidade dos textos, a qualidade das montagens, a provocação aos criadores e ao público... O resultado foi ótimo! Vamos reeditar esse movimento.
O grotesco, no dicionário, aparece como sinônimo de ridículo, caricato, o que faz rir. Porém, o grotesco tem outros significados: Estranho, indefinível, mutante, horrendo, esquisito, incômodo, escatológico. Grotesco é tudo que não nos é familiar. Grotesca é a obscura zona de transição: Homem/animal, profissional/diletante, coração/entranhas, divino/demoníaco...  Grotesco é o permanente estado de transformação. Numa sociedade em que o passado é renegado e o presente está instantaneamente obsoleto, nada mais apropriado para o debate do que o GROTESCO.  

2) Qual  conceito de grotesco norteia o festival?
O tema foi dado aos dramaturgos sem qualquer direcionamento. Procuramos o grotesco de cada um, multifacetado.

3) Qual o critério de escolha dos autores, atores, diretores e textos?
Convidamos autores e diretores com atuação marcante nos palcos paulistanos, alguns já participaram de nossa primeira edição. Infelizmente, não pudemos convidar todos que mereceriam estar em cena. Nesse segundo festival produziremos “apenas” seis peças.
Quanto aos atores participantes, são amigos da casa e já atuaram em outras montagens do N.Ex.T. Eles fazem parte do nosso Grupo “Amigos do N.Ex.T”.
Além de nossas produções, teremos a participação de grupos teatrais convidados, que apresentarão “seu próprio grotesco” em horário alternativo.

4) Quais as metas desse festival?
O N.Ex.T já tem 11 anos de história e foi criado só para apresentar dramaturgia brasileira contemporânea. Bolamos e produzimos muitos espetáculos, entre eles, o “Terça Insana”, divisor de águas no humor dos anos 2.000. Além de espetáculos próprios, viabilizamos a montagem de inúmeros grupos convidados. Mais de 100 autores nacionais já apresentaram seus trabalhos aqui. O II festival do teatro grotesco da continuidade ao nosso projeto de fomento a nova dramaturgia brasileira: oferecendo ao público o “novo”, reduzindo o tempo entre a escrita dos textos e sua montagem, possibilitando ao autor uma resposta rápida ao seu trabalho. O N.Ex.T é um espaço para a prática e  o aprendizado da escrita teatral.