Teatro - Rio De Janeiro

Senhora Solidão

Senhora Solidão, no Centro Cultural Justiça Federal

Foto: divulgação

Por Antonio Barboza

"Senhora Solidão", no Centro Cultural Justiça Federal

30 de abril a 06 de maio de 2012 - Sexta a domingo

Assim como na frase de Boal, os personagens dão vida aos seus desejos, compartilhando imagens de suas histórias familiares com os demais, numa espécie de terapia.

Uma mulher recebe três solitários em casa. Com alguma fama conquistada por métodos não convencionais, a mulher atrai os solitários, todos com históricos conturbados, para uma espécie de vivência, uma troca de experiências intensa, em busca de entender o porquê de a solidão estar tão impregnada na vida de todos eles.

A terapia não convencional executada ali flerta com elementos do psicodrama, criado pelo psiquiatra romeno Jacob Levy Moreno. A psicoterapia de grupo usa a representação dramática como núcleo de abordagem e exploração da psique humana e seus vínculos emocionais.

A história é contada em dois planos. O plano da realidade, do “agora”, que é a reunião dos quatro personagens na terapia e o plano da memória de cada um dos personagens, onde conhecemos um pouco seus históricos familiares e traumas específicos.

No plano real, os personagens se apresentam relembrando algumas experiências do passado e executando exercícios propostos pela mediadora. No imaginário, para o público, os atores se transformam em múltiplos personagens dando vida à apresentação da cena-memória.

Diferente de alguns espetáculos, que usam a metalinguagem assumindo que ali estão atores, brincando de trocar de personagens o tempo todo, a peça usa a trama da realidade como ponto de partida. São os solitários da história que vão se experimentar em outros personagens da vida dos demais.

O espetáculo é uma comédia em tons dramáticos. Há elementos da comédia non sense e o teatro do absurdo nas memórias. Porém, no plano da realidade, embora existam situações cômicas, há momentos de desconforto, dor e falta de perspectiva dos personagens.

O encontro, que tinha apenas como objetivo a troca de experiências, evolui para algo extremamente inesperado. A possibilidade de reconstruir suas memórias as torna perfeitas sob o ponto de vista de cada um, mas as conseqüências podem ser dolorosas.

Texto e Direção: Leandro Muniz
Elenco: Alex Nader, Carine Klimeck, Cristina Fagundes e Luis Lobianco

INFORMAÇÕES - Senhora Solidão
Datas: 30 de abril a 06 de maio de 2012 | Horário: Sexta, sábado e domingo, às 19h.
Ingressos: R$20,00 (inteira) | R$10,00 (meia)
Classificação etária: 14 anos.

LOCAL - Centro Cultural Justiça Federal
Av. Rio Branco, 241, Centro. Telefone. 3261-2550. Metrô Cinelândia