ROTEIRO DO SAMBA

SURURU NA RODA

Sururu na Roda

Foto: divulgação

Show

31 de março de 2012, Sururu na Roda no CCC

Foi em 2000, na informalidade dos encontros nos jardins da UNIRIO, que surgiu a idéia de formar o grupo Sururu na Roda. A então estudante Nilze Carvalho – voz, cavaquinho e bandolim – uniu-se a Fabiano Salek e Sílvio Carvalho – respectivamente voz e percussão, e voz, percussão e cavaquinho. Em sua formação mais recente, Juliana Zanardi – voz e violão – completa o grupo, transformando a parceria num dos mais badalados sambas de roda que revitalizaram a Lapa, bairro ícone da boemia do Rio de Janeiro.

Uma das grandes marcas do grupo é sua sonoridade que expressa diferentes nuances de timbres. Isso ocorre com muita naturalidade pelo fato de seus integrantes serem cantores e instrumentistas, cada um proveniente de um contexto musical diferente, trazendo para o grupo sua bagagem e suas influências. O resultado é uma grande mistura dos gêneros da música brasileira, uma verdadeira miscigenação musical, um grande Sururu!

A fim de fazer um registro fonográfico, aproveitando o clima dos shows, o Sururu na Roda lançou seu primeiro CD, Arco da Velha, em 2001, que traduz fielmente o clima das rodas de samba.

No seu segundo CD, Sururu na Roda, lançado em 2004, que traz no repertório músicas de Assis Valente, Dorival Caymmi, Candeia, Zé Keti, Noel Rosa, entre outros bambas, o grupo teve o privilégio de contar com a participação mais que especial de Chico Buarque – um dos mais belos reconhecimentos da qualidade do trabalho feito pelo grupo.

Em 2005, o grupo exportou todo seu conhecimento teórico e suas vivências do mundo do samba, apresentando-se em shows e ministrando workshops sobre o tema nos Estados Unidos, na Universidade de Notre Dame, em Indiana, e na Universidade Estadual de Michigan, no Estado de Michigan.

Já em 2008, o grupo lançou seu terceiro CD, Que Samba Bom, ao vivo, com canções inéditas de autoria própria − incluindo Errei, que compôs a trilha sonora de Caminho das Índias, novela da Rede Globo −, faixas assinadas por compositores da nova geração, além de releituras de sucessos do cancioneiro popular. Neste mais novo trabalho, o Sururu na Roda teve a felicidade de receber o cantor e compositor Zeca Pagodinho, ícone do samba brasileiro, em uma faixa, pout-pourri de duas músicas.

O Sururu na Roda participou, com a música Da melhor qualidade (de Almir Guineto e Arlindo Cruz) e Tô Voltando (de Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós), do DVD Samba Social Clube volume 1 e 3 − projeto que reuniu artistas consagrados, como Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Arlindo Cruz, entre outros, em regravações de clássicos do samba.

O grupo já se apresentou em vários teatros e casas de espetáculo pelo Brasil, em concertos solo ou como acompanhantes de artistas tradicionais do samba, como Nei Lopes, Walter Alfaiate, Dona Ivone Lara, Nelson Sargento, Délcio Carvalho, Zé Renato, Moacyir Luz, Tia Surica da Portela, e ao lado de artistas da nova geração, como Edu Krieger, Roberta Sá, Rodrigo Maranhão e Ana Costa.

Com dez anos de trabalho calcado no samba e no choro e três discos lançados, o Sururu na Roda se mantém ligado à proposta de resgate cultural do cancioneiro popular e propõe releituras de outros diversos ritmos que constroem a música popular brasileira.

Em 2009, o Sururu na Roda se apresentou na Costa Rica e Guatemala, em excursão pela América Latina.

"O Sururu na Roda é a síntese da diversidade musical da renovada Lapa. Grupo surgido há oito anos, no bojo dessa retomada, o Sururu na roda é o que melhor sintetiza essa renovação, pois, ao contrário de boa parte dos seu pares, não ficou apegado à releitura de antigos sambas (...) O Sururu na Roda traz o frescor e a alegria das rodas, fazendo um samba com a marca do bom humor carioca", bem compendia João Pimentel, no jornal O Globo.

No ano de 2011, o Sururu na Roda gravou o CD "Se você me ouvisse", em homenagem ao centenário do eterno sambista Nelson Cavaquinho.

Com o objetivo de exaltar cada vez mais o mestre do samba, o CD é recheado de obras do artista com sucessos que vão desde "Folhas Secas" até a instrumental "Caminhando". A direção é do próprio grupo e conta com as participações de PC Castilho (sopro), Zé Luiz Maia (baixo) e Diego Zangado (bateria) em todas as faixas.

Cristino Ricardo cantou em Degraus da Vida, Marcelinho Caldi (acordeon) participou nas faixas “Vida” e “Caminhando”, Alexandre Caldi (sopros) além de tocar fez o arranjo do sopro na faixa “História de um Valente. Já Dirceu Leite tocou em “Rugas”, “Dona Corola” e “Folhas Secas”.

Para a capa do CD foi criado – pelo artista plástico Zé Andrade – uma miniatura do Nelson Cavaquinho, que fará parte da arte do encarte. A Rob Digital é responsável pelo lançamento da obra.

A produção do CD foi financiada por 237 fãs através de incentivo coletivo. O Sururu divulgou em março na plataforma movere.me o projeto. A outra novidade do ano ficou por conta da chegada de Juliana Zanardi (voz e violão), que substituiu Camila Costa. Este é o primeiro trabalho com a nova formação.

O Sururu na Roda é formado por Nilze Carvalho, (voz, cavaquinho e bandolim), Fabiano Salek, (voz e percussão), Sílvio Carvalho, (voz, percussão e cavaquinho) e a recém-chegada Juliana Zanardi, (voz e violão).

INFORMAÇÕES  - Sururu na Roda

Datas: 24 de março  de 2012
Horários: sábado, às 23h.
Preços: R$ 25,00 (Couvert) 
Classificação etária: 18 anos

LOCAL - Centro Cultural Carioca
Rua do Teatro, 37 - Centro - Telefone: (21) 2252-6468 - (21)2242-9642
Atendimento: segunda à sexta das 11h às 20h e sábado das 16h30 às 20h30.