Teatro São Paulo

TEATRO SÃO PAULO

UM DIA (QUASE) IGUAL AOS OUTROS

Um Dia (Quase) Igual Aos Outros

Foto: Bruno Zanardo

TEATRO BIBI FERREIRA - Estreia dia 31 de julho, sexta-feira, às 21h30.

Teatro

Um Dia (Quase) Igual Aos Outros

Débora Duboc reestréia comédia de Dario Fo
e Franca Rame, com direção de Neyde Veneziano

Estressada por conta de uma crise afetiva, a publicitária Júlia, produtora de comerciais, resolve gravar um DVD para deixar ao marido, antes de se matar.  Empenhada nessa tarefa, vive aventuras hilariantes enquanto é interrompida por divertidas situações corriqueiras na sala de sua casa – totalmente automatizada. Assinante da hipotética revista Saúde Mental, que publicou matéria e inseriu por engano seu telefone como sendo da psicanalista autora do artigo, a personagem é atormentada por telefonemas a todo momento. 

Este é o mote da inteligente comédia Um Dia (Quase) Igual Aos Outros, do italiano Dario Fo (Prêmio Nobel) e Franca Rame, que volta ao cartaz agora no Teatro Bibi Ferreira, dia 31 de julho, sexta-feira, às 21h30, com o patrocínio da Pirelli, por meio da lei estadual 12.268 de 20/02/2006, do Proac – Programa de Ação Cultural.

Com interpretação da atriz Débora Duboc, profissional de sólida carreira no teatro e no cinema, e direção de Neyde Veneziano, especialista no teatro dos dois autores italianos e com pesquisa no cômico e no popular, a montagem de 70 minutos entretém o público com humor cortante e temas que afligem o mundo contemporâneo, como os conflitos das mulheres independentes e modernas. ”Essa volta é muito esperada, pois foi uma delícia fazer temporada com casa lotada”, explica Débora. “Não é todo dia que temos a felicidade de ter um espetáculo que agrada a todos. A peça foi celebrada por público e critica, e isso é fruto dessa dramaturgia especial desses autores”, completa.

O cenário é um apartamento, com sistema multimídia e “wireless”, equipamentos controlados por computadores quase humanos, onde vive Júlia, a bem-sucedida produtora, estressada pelo fracasso afetivo, que decide se suicidar. Ao invés de deixar uma carta, decide produzir um DVD com o intuito de culpar o ex-marido. Mas tudo fica mais difícil quando começa a receber ligações de mulheres desesperadas por conselhos, tudo porque seu telefone foi publicado na revista Saúde Mental.

Na montagem, Débora Duboc contracena com o cenário-personagem, que conta com a alta tecnologia dessa casa multimídia, um loft, espécie de estúdio onde tudo se mexe e interfere. Ao bater palmas, a luz se acende; a outro simples comando de voz, a tv é ligada automaticamente. A tv, o telão e o telefone não são apenas elementos de decoração, mas personagens que agem e interagem com a personagem.

O cineasta Toni Venturi assina a direção audiovisual, que conta com a participação  virtual de Claudia Mello, Grace Gianloukas, Eliana Rocha, Elias Andreato, Leonardo Medeiros, Marcelo Médici, Marco Luque, Marcio Seixas e Viviane Pasmanter. Thiago Adorno e Fernando Fecchio aparecem em cena fazendo uma dupla de assaltantes, uma homenagem aos palhaços de picadeiro. “Estou muito feliz de juntar essa equipe talentosa. Pessoas com quem adoraria fazer qualquer projeto e tive o privilégio de estar no palco, mesmo que virtualmente e ser dirigida por Neyde Veneziano, que foi generosa em me oferecer todo o seu conhecimento. Foi um processo diferente, é uma loucura. Tenho que me lançar ao momento, e a comédia precisa disso,” afirma Débora.

A tragédia vem revestida de ironia com situações hilárias e surreais. Para o italiano Dario Fo, o cômico tem sempre por trás uma situação trágica. E é rindo dessa tragédia que podemos criticar as injustiças. Para Débora Duboc, a solidão da mulher vai além do riso fácil e debochado, porque o autor a tornou absolutamente humana e verdadeira. “A Júlia resume bem a mulher do mundo de hoje, é extremamente contemporânea, contudo consegue não ser caricata, isso graças ao texto. O Dario consegue trazer humanidade para essa mulher.”

TEATRO BIBI FERREIRA - Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 931 - Bela Vista. Fone: (11) 3105-3129.
Capacidade - 300 lugares. Bilheteria - De terça-feira a domingo a partir das 14h30.
Ingressos - R$ 40,00 (sextas e domingos) e R$ 60,00 (sábados).
Temporada - sexta e sábados às 21h30 e domingos às 19 horas.
Recomendado para maiores de 14 anos. Até 4 de outubro.
Aceita dinheiro e cheque. Ingresso Rápido - 4003 1212 - www.ingressorapido.com.br Ar condicionado.
Acesso para deficientes físicos.

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet