JPG Oferta da Semana 300x250 VI
show/300x250.gif

TEATRO - RIO DE JANEIRO

Trabalhos de Amores Quase Perdidos

Trabalhos de Amores Quase Perdidos

Foto: Dalton Valério

Roteiro de Teatro Rio de Janeiro

Por Daniella Cavalcanti / Assessoria de Imprensa

Trabalhos de Amores Quase Perdidos

24 de setembro a 17 de Outubro de 2011

Texto e direção de Pedro Brício. Com Branca Messina, João Velho, Lúcia Bronstein e Pedro Henrique Monteiro

Após grande sucesso de público e crítica, “Trabalhos de Amores Quase Perdidos”, novo espetáculo do autor e diretor Pedro Brício, fará uma nova temporada, a partir do dia 24 de setembro, no Teatro Glaucio Gill. Pedro Brício, que nos últimos anos tem realizado trabalhos de relevância na cena nacional, também é o autor de montagens de destaque como: “Me salve musical!”, “Comédia Russa” (indicado ao prêmio Shell e APTR melhor autor), “Cine-Teatro Limite” (prêmio Contigo melhor autor 2008) e “A Incrível Confeitaria do Sr. Pellica” (prêmio Shell melhor autor e melhor figurino 2005), entre outras.

No elenco, Branca Messina, João Velho, Lúcia Bronstein e Pedro Henrique Monteiro, jovens atores que têm atuado com destaque no teatro, no cinema e na TV.

“Trabalhos de Amores Quase Perdidos” é um jogo de amor e acaso, de narração e atuação. O texto tem a crise dos 30 anos como tema, a impossibilidade dos amantes contarem a mesma estória como narrativa, o desejo de ter um filho e a sua morte prematura como crise dramática. E os caprichos do acaso tecendo o nosso destino - revelando o banal e trágico do nosso cotidiano. A peça fala sobre o amor na juventude, sobre a juventude e destruição de todo amor, a celebração e a suspeita desta palavra, a sua indagação cênica. E o encontro com o outro - o prazer, o choque e o inesperado deste encontro.

A trama entrelaça as estórias e narrações de um trio de amigos: um casal, que apesar de toda a afinidade sentimental do mundo acaba se separando, e o amigo, o cáustico narrador que olha de fora. Aquele personagem que chega aos 30 anos achando que está com as rédeas da vida nas mãos, mas é nocauteado pelo destino. Que perde o emprego, as certezas. E se vê obrigado a rever sua vida, suas escolhas, seus amores perdidos. E, contando a estória para o público, acaba se aprofundando dentro dela.

“Trabalhos de Amores” coloca em cena as estórias destes três amigos, dos 25 aos 30 anos, falando sobre a amizade, o romance e o amadurecimento através da dor. Uma estória que é narrada e encenada ao mesmo tempo - a dramaturgia mistura as narrações, as cenas do passado, as opiniões dos personagens, seus pensamentos e sentimentos. A memória, o presente e o olhar para o futuro. Esse ponto no tempo que converge, talvez pela primeira vez, quando chegamos aos 30: “O que eu pensava que eu seria? No que eu me tornei?”

Em nova temporada no Gláucio Gill "Trabalhos de Amores Quase Perdidos"
Texto e direção: Pedro Brício.
Elenco: Branca Messina, João Velho, Lúcia Bronstein e Pedro Henrique Monteiro

Serviço
Local: Teatro Glaucio Gill (Praça Cardeal Arcoverde, s/n - Copacabana)
Horário: Sábados 21h, Domingos 19h e Segundas 21h
Horário da bilheteria: de quarta a segunda a partir das 16h
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) R$10,00 (meia) R$ 8,00 com filipeta
Informações: 2332-7904 | Duração: 90 minutos
Classificação Indicativa: 16 anos | Gênero: Comédia Dramática
Temporada: de 24 de setembro a 17 de Outubro de 2011.