twitter Twitter facebook Facebook
MySpace MySpace

Dança - São Paulo

UM PORCO SENTADO

Foto: divulgação

SESC POMPÉIA – Rua Clélia, 93.

Por Candice Frederico / Arteplural

Prêmio no Festival da Cultura, Um Porco Sentado estreia dia 26 em temporada no Sesc Pompeia

De 26 de outubro a 10 de novembro de 2010

Depois de premiado como Melhor Espetáculo de Dança do 14º Festival da Cultura Inglesa, em maio de 2010, UM PORCO SENTADO estreia temporada na Sala Espaço Cênico do SESC Pompeia e faz apresentações dias 26 e 27 de outubro, 3, 9 e 10 de novembro às terças e quartas, às 21h. No palco, os intérpretes-criadores Roberto Alencar e Renata Aspesi dançam sob a direção de Lúcia Romano e Roberto Alencar.

Concebido por Alencar, com iluminação de Domingos Quintiliano, trilha sonora de Gustavo Domingues e cenografia de Rogério Marcondes, o espetáculo teve sua pesquisa centrada nos conceitos da obra do pintor irlandês Francis Bacon (1909 – 1992) e do fotógrafo inglês John Deakin (1912-1972).

Para capturar o real, as fontes de inspiração de Renata Aspesi e Roberto Alencar preocupavam-se esteticamente com a natureza da imagem e os meios usados para expressá-la. Em diversas obras, as fotografias de Deakin serviram de molde para as pinturas de Bacon.

No espetáculo, Alencar e Aspesi realizam este mesmo movimento de adaptação de uma linguagem para outra. Como Bacon, que transpôs para a pintura a fotografia de Deakin, os criadores-intérpretes levam as obras dos dois artistas para uma nova linguagem: a do palco.

Oito cenas, sons e objetos

Em oito cenas, o espetáculo é pontuado por sonoridades que remetem os espectadores a espaços. A trilha sonora sugere, sensorialmente, uma cama, um ringue de lutadores, um matadouro, rinhas de cachorros, vitrines numa calçada e lugares invisíveis (como a corrente sanguínea do corpo e o interior da boca ou do esôfago).

O cenário é formado por um armário muito apertado, uma poltrona vermelha, uma estrutura metálica de apoio e uma moldura vitrine (com rodinhas e cortinas), que funcionam como delimitadores de espaços. Ao mesmo tempo, estes objetos cênicos também se acoplam entre si e aos bailarinos, colaborando com a sensação de distorção e transformação dos corpos humanos.

Com o objetivo de levar o público a ter determinada reação, os bailarinos, da recém-criada Cia Incunabula, recorrem a alguns objetos cênicos para gerar distorções e deslocamentos. A intenção é despertar estranhamento semelhante ao causado no público que entra em contato com as obras dos artistas que influenciaram a coreografia. Assim, contracenam no palco com lentes de aumento, máscaras e próteses. “Queremos que o público não perceba que se tratam de corpos humanos em cena. Então, usamos esses adereços para deformar os nossos corpos”, conta Alencar.

De acordo com Roberto Alencar, "tanto nas fotografias de Deakin quanto nas pinturas de Bacon, há sempre elementos que demarcam zonas de isolamento, separando os objetos retratados. Para o bailarino, Deakin e Bacon eram profundos estudiosos da figura humana e, por isso, sua opção por um minucioso exame na temática do corpo na arte e na sociedade contemporânea.“Deakin e Bacon se contaminaram em todos os âmbitos. As obras dos dois não seriam as mesmas se não tivessem se encontrado”, explica o coreógrafo e diretor."

Alencar lembra que, além da parceria, a estreita amizade fortaleceu a troca mútua representada nas obras dos dois artistas. “Um exemplo desta troca é o retrato de Francis Bacon feito por Deakin para um editorial da Vogue, em 1954." O fotógrafo colocou o amigo sentado e, em suas costas, um porco cortado ao meio, pendurado contra um fundo preto. As duas metades da carne do animal dão à ilusão de que o pintor possui asas. Inspirado por esta imagem criada por Deakin, Bacon pintou o retrato do Papa Inocêncio X sentado, com as mesmas asas de porco dilacerado da fotografia original”, conta Roberto.

UM PORCO SENTADO – Dias 26 e 27 de outubro, 3, 9 e 10 de novembro, às terças e quartas, às 21h, na Sala Espaço Cênico do SESC Pompéia. Com Roberto Alencar e Renata Aspesi. Direção Lúcia Romano e Roberto Alencar. Capacidade – 60 lugares. Ingressos - R$ 12,00 (inteira); R$ 6,00 (usuário matriculado no Sesc e dependentes, pessoas com mais de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). Classificação - Livre. Duração – 58 minutos

SESC POMPÉIA – Rua Clélia, 93.  Tel.:  3871-7700. Ar condicionado e acesso para deficientes físicos.  Não tem estacionamento.  Bilheteria do SESC Pompéia – de segunda a sábado, das 9h às 21h e aos domingos, das 9h às 19h. Aceitam-se cheque, cartões de crédito

As atrações e/ou informações sobre eventos que constam neste site estão sujeitas a mudanças e alterações sem aviso prévio. Evite surpresas telefonando antes de visitar as atrações ou eventos.