Teatro São Paulo

TEATRO

Waltz, Valsa Nº 6

Foto Luciana Aith - Waltz, Valsa Nº 6

Foto: Luciana Aith

Espaço dos Satyros 2

Teatro

Por Renata Lopes

WALTZ – VALSA Nº 6 espetáculo de música cênica estreia em março no Espaço dos Satyros 2

4 de março a 29 de abril de 2010

Montagem da Cia Régia de Teatro, formada por Nath Calan e Bira Honorato, mescla teatro e performance musical. Nath Calan, no papel de Sônia, atua, toca e canta.

Waltz – Valsa Nº 6 é o resultado de três anos de trabalho da dupla de atores da Cia Régia de Teatro sobre a peça de Nelson Rodrigues e apresenta a atriz e musicista Nath Calan no papel de Sônia, com direção de Bira Honorato. A peça estréia dia 4 de março, quinta-feira, às 20h30 no Espaço dos Satyros 2.

A montagem faz uma nova leitura do texto rodrigueano, com sonorização ao vivo feita pela atriz, no lugar de utilizar gravação ou som mecânico. A valsa de Chopin, entre outras, é tocada durante a encenação. O trabalho retrata o homem contemporâneo e suas angústias, contradições e veleidades. Simbolizados pela personagem Sônia, a peça é nomeada pela Cia como um espetáculo de música cênica.

Surgido nos anos 60 na Europa, a música cênica é um movimento que busca integrar diferentes linguagens na música instrumental contemporânea. “Música cênica é a experiência do músico não apenas tocando seu instrumento, mas também interpretando um personagem ou compondo uma cena”, explica a atriz. “Buscamos uma experimentação ainda mais diferenciada através da interpretação musical”, explica Nath Calan. “Invertemos, porque na música cênica, o músico além de tocar, atua e, neste caso, a atriz, além atuar, toca, há portanto, uma diferença na ordem das ações”, completa. Neste texto de alta intensidade dramática, o piano de Sônia foi substituído pelo vibrafone, que é tocado em todas as valsas da peça.

No palco, o vibrafone e outros elementos percussivos – djembe, congas e caracaxás, dão visualidade e musicalidade aos elementos fundamentais do texto, como a narrativa não-linear e fragmentada; o jogo entre realismo, memória e alucinação; e a convivência entre o tempo presente e o universo atemporal.

Na preparação da atriz, foram usadas as técnicas Suzuki Training, de Tadashi Suzuki, que busca, através da fisicalidade o apoio e preparação vocal; o Viewpoints,de Anne Bogart, e a Action, de Inês Aranha, que consistem na construção da partituras físicas no espaço, através de impulsos espontâneos.

Atualmente, Nath Calan, além de atriz da Cia Régia e da Cia Garagem 21, sob direção de César Ribeiro, é contratada da Orquestra Sinfônica de Santos e da Banda Sinfônica de Cubatão, constantemente convidada em orquestras como OSUSP e Sinfônica de Rio Claro e professora de percussão no Projeto Guri Santa Marcelina.

Sinopse: Ao tocar uma valsa, Sônia, uma menina de quinze anos, é apunhalada pelas costas, e a partir de então, no limiar entre a vida e a morte, ela monta o quebra-cabeça do seu passado.

Texto: Nelson Rodrigues.
Direção: Bira Honorato.
Elenco: Nath Calan.

Waltz – Valsa Nº 6
Local: Espaço dos Satyros 2 (50 lugares)
Endereço: Praça Roosevelt ,134 - Tel: (11) 3258-6345.
Horário(s): quinta, às 20h30
Data(s):
4 de março a 29 de abril de 2010
Preço(s): R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).
Bairro: Centro
Classificação: 12 anos
Duração: 50 Minutos

Assessoria de Imprensa / Por Renata Lopes
renatalo@gmail.com - (11) 8389-6501