CRIANÇA - SÃO PAULO

Vila Tarsila

Vila Tarsila faz temporada gratuita no Teatro Vivo

Foto: Marco Lima

Roteiro cultural São Paulo

Por Márcia Marques / Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Vila Tarsila faz temporada gratuita no Teatro Vivo

"Minha força vem da lembrança da infância na fazenda, de correr e subir em árvores.
E das histórias fantásticas que as empregadas negras me contavam." (Tarsila do Amaral)

De 6 a 28 de agosto e dias 03 e 04 de setembro de 2011

Dia 6 de agosto de 2011, com patrocínio da Gerdau, volta em temporada no Espaço Cultural Vivo, em São Paulo, o espetáculo de dança infanto-juvenil da Cia Druw VILA TARSILA, dirigido por Miriam Druwe e Cristiane Paoli Quito. Em um roteiro que valoriza o lúdico, “Vila Tarsila” joga luzes nas memórias de infância de Tarsila do Amaral, e remonta sua trajetória criativa, desde suas primeiras impressões sobre cores e formas, até as origens dos elementos que influenciaram diretamente em sua criação artística.

“Vila Tarsila” teve o apoio da 6ª edição da Lei do Fomento à Dança do Município de São Paulo e transporta o espectador ao mundo antropofágico da artista, demonstrando que sua obra nasceu das experiências visuais das inúmeras viagens realizadas e das brincadeiras que recheavam as tardes na fazenda onde vivia em Capivari, interior de São Paulo, onde podia correr livremente entre pedras, árvores, cactus e brincar com bonecas feitas de mato, em contraponto com a educação francesa que recebeu de seus pais. Certamente, o ápice desse aprendizado foi o “Manifesto Antropológico”, criado em parceria com Oswald de Andrade em 1928 e que propunha a “devoração cultural das técnicas importadas para reelaborá-las com autonomia, convertendo-as em produtor de exportação”.

Miriam Druwe e Cristiane Paoli Quito buscaram referências em algumas telas da pintora modernista para inspirar os seis bailarinos/intérpretes-criadores e a atriz Luciana Paes, que estarão em cena. Pinturas como O Abaporu, A Negra, Sol Poente, O Lago, A Lua, Manacá, A Cuca, O Sapo, O Ovo ou Urutu e A Floresta trouxeram elementos visuais fundamentais para munir a dança contemporânea pesquisada há anos pela Cia. Druw. O cenário e o figurino de Marco Lima é a materialização dessas ideias e procura trazer a própria visão de Tarsila, retratando a década de 1920. A trilha sonora original de Natália Mallo, além de suas próprias criações, foi inspirada na obra de Villa-Lobos.

Para complementar a investigação artística iniciada em agosto de 2009, Druwe e Quito tomaram como suporte o livro Tarsila do Amaral - A Modernista, de Nádia BattellaGotlib, e a exposição Tarsila - A Viajante, que teve curadoria de Regina Teixeira, realizada na Pinacoteca do Estado. Dessas duas incursões persecutórias, Druwe e Quito descortinam os bastidores do movimento modernista, a vida cotidiana de Tarsila, seu processo criativo e sua relação com a arte.

Druwe considera cada quadro da artista “como se fosse uma ‘vila Tarsiliana’ por onde se passeia, com ponte, lago, povoado... Cada obra é um passeio artístico!”. Um dos pontos que mais interessou à dupla de criadoras foi a faceta viajante de Tarsila, que a cada viagem empreendida registrava seus caminhos em forma de desenhos. Daí foram criados os proto-humanos, criaturas da natureza recorrentes na obra de Tarsila, presentes no universo mágico de quase todas suas telas. Nem humanos, nem animais, mas seres mágicos.

Miriam Druwe – Cia. Druw

Miriam Druwe, bailarina e coreógrafa da Cia. Druw, tem uma trajetória ímpar na dança brasileira. Participou de importantes companhias como Balé da Cidade de SP e Cisne Negro e trabalhou com profissionais importantes como Luis Arrieta, Ana Mondini, Vitor Navarro, Gisela Rocha, Vasco Wellemcamp, Gigi Caciulenou, Phillip Tallard, Sandro Borelli, Ismael Guiser, Yoko Okada, Sacha Svertlof, Jane Blaut, Yellê, Penha de Souza, Isabel Marques.

Premiada pela APCA como melhor bailarina em 1993, Druwe trabalhou em diversos projetos e espetáculos com companhias e instituições como a Cia Nau de Ícaros, Escola Livre de Dança de Santo André, Cefac (Centro de Formação em Artes Circenses), Centro Cultural São Paulo, Sesc´s, Galpão do Circo e Festivais de Dança no Brasil.

A Cia. Druw, em Lúdico (2008), espetáculo anterior de dança infanto-juvenil inspirado nas obras do pintor russo Wassily Kandinsky, recebeu diversas críticas positivas e obteve sucesso junto ao público, percorrendo vários teatros da capital e interior, sempre com casa cheia. Lúdico trata de forma poética um passeio pelo universo da criação de uma obra de arte.

A Cia DRUW já foi contemplada pelos seguintes prêmios: Prêmio Estímulo à Dança Secretaria da Cultura/ 2003, Prêmio Estímulo Braços e Pernas pela Cidade – Centro Cultural SP, 3º Edital de Fomento à Dança/2007 com o projeto "Lúdico", PAC 2008 – Corpoético, 6º Edital de Fomento à Dança com o projeto "Vila Tarsila" /2009, Edital Caixa Econômica Federal/2009 – Espetáculo Lúdico, 9º Edital de Fomento à Dança (SP) com o Projeto Girassóis e o Edital CORREIOS/2010 com o Projeto 'Mostra de Repertório - Cia. Druw LÚDICO e VILA TARSILA'.

Serviço

De 6 a 28 de Agosto e dias 03 e 04 de setembro de 2011. Sábados, às 16h e domingos, às 15h
(Agendamento para escolas públicas, ONGs e instituições interessadas: pelo
email: ciadruw@radarcultural.com.br)

Espaço Cultural Vivo - Av. Dr. Chucri Zaidan, 860 - Morumbi. Telefone: (11) 7420-1520
Estacionamento Sistema Valet Parking – Na temporada de espetáculos R$ 15,00
Horário da bilheteria: terça-feira a domingo, das 14h às 20h ou até o início do espetáculo
Telefone Bilheteria: (11) 7420-1520
Lotação: 290 lugares. Ingressos: Entrada franca (os ingressos serão distribuídos uma hora antes)

Navegue por NossaDica

Copyright © 2007 • Nossadica • Todos os direitos reservados • Mapa do siteWebMasterHostDica Serviço de Internet